Os melhores documentários sobre tecnologia no Netflix

Por | @Evilmaax Entretenimento

Mais legal do que os filmes do Netflix são as séries do Netflix; e melhor do que as séries do Netflix são os documentários do Netflix, com certeza. No Netflix tem documentário de tudo: música, ciência, história, astronomia, making off de clássicos, superação, esportes, viagens, animais, videogames, personalidades, problemas sociais e muitos outros. Temos até alguns documentários que já foram premiados com o Oscar.

Dando continuidade à série de posts que trata dos melhores de cada categoria, hoje vamos ver os melhores documentários sobre tecnologia. Os títulos estão ordenados pela nota que possuem no IMDB.

Snervous: Tyler Oakley – Nota 5.8

Os YouTubers são um fenômeno nos dias de hoje e nós já até fizemos um podcast sobre o assunto aqui no Oficina. Com milhares de fãs, milhares de views, milhares de inscritos e milhares e milhares de dólares por mês.

O documentário mostra a vida de um desses casos: Tyler Oakley, que além de ser um dos YouTubers mais famosos, é uma referência e ativista dos direitos LGBT. O longa mostra a turnê dele, os bastidores de tudo o que aconteceu e mais: mostra aquela parte que ninguém, a parte da produção de conteúdo, a famosa “sorte”.

Hot Girls Wanted – Nota 6.1 

Este documentário original Netflix mostra o recente fenômeno que veio com a popularização da internet: a pornografia de nicho que é vendida online e todo faustuoso e inesgotável mercado em volta do assunto.

Durante mais de 1 hora e 20 minutos são mostradas a vida antes e depois de mulheres que resolveram – por diversos motivos – procurar uma agência de filmes amadores e agora ganham seu salário desta maneira.

Downloaded – Nota 6.8

Pode não parecer, mas antigamente era preciso pagar para ter uma música e não era streaming nem anda, você tinha que ir até uma loja para comprar o cd, ou a fita e vinil (se você for das antigas).

O mercado musical chegou a ser mais poderoso que o mercado cinematográfico e gravadoras como Sony, Virgin, entre outras eram frequentemente vistas no top 20 das maiores e mais lucrativas empresas do mundo. Tudo ia bem para elas até que um dia dois rapazes de menos de 20 e 19 anos ruíram as fundações dessa indústria multibilionária.

Neste excelente documentário é mostrado como Shawn Fanning e Sean Parker deram início a uma das maiores revoluções do mundo digital. Eles são os responsáveis por criar o Napster, o primeiro compartilhador de arquivos onde as pessoas começaram a trocar .MP3 no longínquo ano de 1999. Dali para a frente a cultura do gratuito não parou de evoluir e ainda hoje as indústrias de filmes, games, música, tv precisam se reinventar diariamente para não sucumbirem.

Assista ao documentário e perceba que a revolução causada pelo Napster é mais séria do que você imaginava.

Nós roubamos segredos: A historia do Wikileaks – Nota 6.9 

Desde 2006 que existe o site WikiLeaks, porém foi mais ou menos a partir de 2010 que passamos a ver a internet da maneira que vemos hoje, ou seja, com medo da coleta de dados de maneira indiscriminada pelas grandes corporações e governos.

Desde que Julian Assange criou a plataforma e começou a liberar arquivos confidenciais os usuários começaram a atentar aos dados que compartilha, aos contratos que aceita, às permissões que concede, etc. Entendemos que ninguém está seguro ou é intocável na Rede.

E este documentário vai muito além disso. Ele abre a discussão para temas ainda mais complexos, sobre como, por exemplo, o caso Wikileaks abriu caminho para um debate mundial sobre a confidencialidade nos dias atuais.

Não sabe o que é o tal caso Wikileaks? Mais um motivo para você dar o play no título.

Deep Web – Nota 7.1 

Lançado em 2015 este documentário norueguês dirigido pelo mesmo diretor de Dowloaded –  também na nossa lista – mostra como um rapaz de vinte e pouco anos, um promissor mestre em física – queria algo a mais. Queria criar um mundo onde as pessoas não precisassem ficar reféns do sistema de leis do estado. Dessa forma surgiu o Silk Road, o maior mercado negro da Deep Web e Dread Pirate Roberts, como era conhecido. Ele não foi o primeiro, mas foi o mais importante.

Em meio a mensagens em fóruns com passagens que vão de Thomas Hobbes a Henry Thoreau ele moldou um sistema que saiu do seu controle e se tornou no maior mercado de drogas, armas, remédios e qualquer outro produto ilegal que alguém possa querer comprar. De quebra ainda se tornou um dos mais cultuados hacktivista da Deep Web.

Seu mercado movimentava bilhões de dólares, o suficiente para o FBI colocar todas as suas energias atrás de Ross Ulbricht, inclusive, com métodos ilegais. Acompanhe essa história que vai da liberdade e livre arbítrio às técnicas suspeitas da polícia americana para chegar ao seu objetivo.

#Chicagogirl - The Social Network Takes on A Dictator – Nota 7.2

Nesse premiadíssimo documentário é contada a história da ativista política Ala’a, uma americana de 19 anos que decide provar que as redes sociais podem ser mais poderosas do que mísseis em uma guerra.

Munida apenas de seu laptop ela usa Facebook, Twitter, Skype, Google Maps, entre outros para ajudar aqueles que protestam na Síria contra um regime que persiste há décadas na região. Com o país vivendo em uma guerra civil e milhares morrendo diariamente ela cria, diretamente de Chicago, protestos gigantes, organiza encontros, elabora rotas de fuga e o principal: espalha no ocidente as atrocidades que são cometidas no país através do YouTube.

Se um post no Facebook derrubou o ditador egípcio em 18 dias; se um vídeo feito por um celular e que se tornou vira acabou com a ditadura na Tunísia em 28 dias, por que não na Síria?

Print the legend – Nota 7.2 

Mais um documentário original Netflix este título é, talvez, o primeiro a falar da revolução causada pelas impressoras capazes de imprimir ossos, peças, armas, carros e o que mais a sua imaginação permitir.

Disponível desde 1984, foi somente por 2013, aproximadamente, que a tecnologia começou a entrar nas casas comuns e as pessoas começaram a sentir o impacto de usar plástico e não tinta na impressora da sala, aliás, quem ainda tem uma impressora de tinta em casa?

Lançado em 2014 este documentário mostra os rumos do então, novo e promissor mercado. Das novidades que apareciam quase que diariamente da luta das marcas para ser aquela que iria ser a pioneira em explorar e aproveitar esse novo nicho do mercado tec.

O documentário é taxativo ao afirmar que estamos diante da nova Revolução Industrial, afinal o que acontecerá agora que podemos imprimir desde roupas até tecidos humanos em nossa própria casa? Assista e tenha um bom ponto de partida para esta discussão.

Terms and Conditions May Apply – Nota 7.4 

O documentário analisa o verdadeiro preço dos arquivos e programas “grátis” na internet e como estamos pagando por eles com nossa privacidade e informações pessoas.

A cena se repete diariamente com boa parte das pessoas: você instala um novo programa, cria conta em um determinado site, concede permissões para algum aplicativo no Facebook ou no seu smartphone, adere a uma nova rede social, cadastra-se em alguma promoção, entre tantas outras coisas banais hoje em dia. Independente de em qual dos seguintes casos anteriores você se enquadre, todas elas são confirmadas com um clique em um botão que diz: “Eu li e estou de acordo com os termos de uso”.

Mas alguém realmente os lê? Assista o documentário e você pensará duas vezes antes de aceitar o próximo contrato negligentemente.

We are Legion – The Story of the Hacktivist – Nota 7.4 

O foco do documentário é mostrar como se organiza o Anonymous, o maior grupo de hackers do mundo, símbolo de uma era de desobediência civil na era digital.

Prepare-se para ser sobrecarregado por termos como privacidade, hacktivismo e anonimato neste doc que aborda desde o surgimento da cultura do ativismo hacker até chegar no surgimento do Anonymous no site 4Chan. A narrativa conta também a história de alguns de seus principais membros através de entrevistas – alguns que há pouco saíram da prisão e outros que esperam julgamento –, até seus ideais de uma internet realmente livre e, claro, alguns dos principais e mais marcantes ataques do grupo.

Entre os “atores” do filme estão, por exemplo, Anon2World, Anonyops e Julian Assange. Indicado para quem gosta da cultura hacker e para quem quer conhecer ou se aprofundar no assunto.

TPB AFK: The Pirate Bay Away From Keyboard – Nota 7.6

E se o Napster inventou a era do “grátis” na internet e popularizou as .MP3, o Pirate Bay popularizou o conceito e espalhou por aí tudo que foi tipo de conteúdo: filmes, games, discografias, clipes, livros, softwares, séries, etc.

Isso, é claro, serviu para angariar a raiva dos grandes estúdios e marcas, principalmente Hollywood. Acompanhe a trajetória de Peter Sunde, Fredrik Neij e Gottfrid Svartholm antes, durante e, principalmente, depois da criação do maior site de compartilhamento de arquivos que já existiu.

Prisões, fugas, investigações, julgamentos televisionados, protestos, crimes, FBI. Todos os elementos para um bom filme de ação, mas é só a história do Pirate Bay.

Quem Matou o Carro Elétrico? – Nota 7.7

Após testes para carros de corrida a General Motors viu que seria possível criar um carro totalmente movido a energia limpa, e assim nasceu o primeiro carro totalmente elétrico do mundo. Com a já insipiente crise do aquecimento global anunciando-se o estado da Califórnia decretou em 1990 que todas as montadoras deveriam oferecer um carro que fosse uma alternativa de zero emissão de carbono. Em instantes o carro elétrico se tornou uma das tecnologias mais promissoras do momento e tudo ia muito bem. O mundo se encaminhava para se tornar um lugar melhor, ou pelo menos mais respirável, a não ser pelo fato de o mesmo estado ter revogado o decreto supracitado 13 anos depois após muitos processos e pressões das montadoras.

Documentário mencionado há pouco, esta análise busca explicar como o carro elétrico surgiu como uma salvação frente os preços crescentes do combustível fóssil, nossos problemas de poluição e esgotamento de recursos e, de uma hora para a outra, após a ação de forças sombrias, caiu em descrédito com a mesma velocidade com que apareceram.

Revenge of the electric car? – Nota 7.1

5 anos após o documentário que mostrou o nascimento e a morte prematura dos carros elétricos, Chris Paine volta ao tema e mostra as marcas que não desistiram do sonho de um carro ecológico e sustentável e, lutando contra a maré, continuam pesquisando novas tecnologias e aumentando a participação dos carros “verdes” nos salões de automóveis ano após ano.

Com acesso a lugares exclusivos de montadoras como Tesla, Nissan e General Motors, o diretor mostra a corrida para ser a primeira marca a emplacar os carros elétricos, como pensam e o que buscam visionários como Elon Musk. Despretensiosamente ele quer responder: Será que agora os carros elétricos vão emplacar?

Slingshot? – Nota 7.7 

Antes de Bill Gates anunciar sua máquina que poderia converter cocô em água potável para as comunidades mais pobres do mundo este homem já trabalhava duro na causa.

Dean Kamen é o inventor do Segway – aqueles patinetes motorizados e estranhos que só se vê em aeroportos americanos – e agora tem uma nova ideia e inspiradora ideia que pode matar a sede de muita gente. Por entre as passagens secreta de sua casa – tão excêntrica quanto ele próprio – está o laboratório onde ele desenvolveu por anos a tecnologia de destilação de água.

O documentário mostra toda a sua paixão e dedicação pelo tema, desde as fases iniciais até os primeiros testes na região rural de Gana. Somente a história de superação e dedicação já vale o clique.

The internet’s own boy? – Nota 8.1 

Este título conta a história de Aaron Swartz um dos ativistas mais importantes da internet. Aaron foi um programador prodígio e foi vital para a criação de plataformas como o Reddit e o protocolo RSS, ou seja, suas digitais estão por todo o canto da internet, atualmente.

Preocupado com a distribuição gratuita de conhecimento, ele usou seus conhecimentos e métodos não convencionais para acessar os repositórios de uma revista de artigos científicos que cobrava pelo acesso ao material e não remunerava os autores, mas sim as editoras. Por conta dessa invasão – e tantas outras – ele acabou sendo acusado pelo crime de invasão de computadores e condenado. Condenado a 35 anos Aaron não aguentou a pressão e se suicidou 2 anos depois.

Acompanha a trajetória brilhante e o triste final de um dos grandes programadores do nosso século.

Steve Jobs - Nota 8.1 

Steve Jobs é uma das pessoas mais importantes e lembradas quando o tema é tecnologia, inovação e tudo que circunda estes grandes assuntos. Por isso, se você jogar seu nome na barra de pesquisa do Netflix, irá encontrar, hoje (já foi mais), 3 documentários e 1 filme que falam exclusivamente de um dos criadores da Apple.

Para poupar seu tempo aqui vai um brevíssimo resumo dos docs:

Steve Jobs: Como ele Mudou o Mundo – nota 6.6. Este é o piorzinho de todos e conta a história dele desde seu nascimento até sua morte. Por conta disso o documentário não consegue se aprofundar em nada e o que vemos é algo feito com fontes de Wikipedia. 

Steve Jobs: The Billion Dollar Hippy – nota 6.8. Neste vemos uma abordagem diferenciada, onde seus ex-colegas de trabalho contam histórias das loucuras de Steve Jobs e como era conviver com alguém tão “exótico” quanto ele. 

Steve Jobs: The Lost Interviem – nota 8.1. Como o nome já diz, este daqui nada mais é do que uma entrevista concedida por ele em 1995, após ter sido demitido da Apple e já no comando da NeXT. Não espere ver um documentário que conta uma história linear como estamos acostumados, mas melhor do que isso: Aprecie uma oportunidade única de ver como um dos maiores gênios do nosso tempo pensava acerca de uma diversidade de temas, e da melhor forma possível: através da boca do próprio. 

Citizenfour – Nota 8.1

Vencedor do Oscar de melhor documentário de 2015, esse doc tem como personagem principal outra figura da tecnologia que angaria ódio e amor por onde passa: Edward Snowden.

Em 2013 Laura Poitres – a diretora do documentário – começou a receber e-mails encriptados de um tal de Citizenfour que afirmava ter provas de que o governo americano através da NSA, com colaboração de outros órgãos ao redor do mundo, estava vigiando as pessoas de maneira indevida e não autorizada.

Após várias trocas de mensagens ela, sua câmera, e mais 2 repórteres partem para Hong Kong para encontrar com o tal Citizenfour. Chegando lá eles conhecem o até então desconhecido Edward Snowden e o resto é história. 

Já assistiu algum dos títulos? Lembra de algum que não coloqui na lista? Deixei um comentário e compartilhe conosco.

Mais sobre: netflix2017 netflix2017 Netflix2016
Share Tweet
  • Quer receber novidades sobre Netflix lançamentos em 2017?

    Preencha o formulário abaixo para se cadastrar:

  • Preencha para confirmar

Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar