Oficina da Net Logo

A história de Elon Musk [vídeo]

Se você sempre quis ser Steve Jobs, prepare-se para querer ser Elon Fucking Musk

Por | @Evilmaax Tecnologia 4 comentários

Desde que Steve Jobs se foi, o Vale do Silício e o restante do mundo tenta encontrar uma nova mente que pense além, que seja inquisitiva, que dê às pessoas aquilo que elas nem sabiam que precisavam e que faça aquilo que todos diziam ser impossível.

O que o pessoal não sabe era que esse alguém já existe, chama-se Elon Musk e, na mesma época em que Jobs despontava ao status de gênio com o lançamento do iPhone, iPad e outros gadgets, ele já coabitava o Vale e passava por apertos para fazer seus produtos virarem realidade. Mas sejamos sinceros, Steve Jobs só virou a "lenda Steve Jobs" por conjunção de três fatores primordiais:

  • Um tino comercial e uma visão de futuro acima da média;
  • O fato de ser uma figura púbica cativante e apaixonante, capaz de prender a atenção de qualquer um, seja ele amante ou hater de Apple;
  • E um excelente engenheiro chamado Steve Wozniak, parceiro de fundação da Apple e que foi o cérebro por trás dos primeiros e mais importantes lançamentos da marca.

Em uma comparação direta, os dois primeiros Elon possui, sem sombra de dúvidas. E, quanto a um bom engenheiro a tiracolo, quem disse que Musk precisa? Como veremos no decorrer do texto, Elon não só cativa como um Jobs, mas cria e projeta como um Wozniak. Ahh, e Elon ganha um ponto extra frente Steve Jobs: Ele está vivo, logo, ainda vamos ver ele colocar em prática muitos dos seus sonhos mais bizarros. Leia em destaque: Como usar a tecnologia para diminuir a ansiedade?.

Inventar um smartphone é bacana, mas colocar um foguete em órbita e depois fazer ele voltar em segurança para a Terra, ou criar um carro elétrico que se torne o desejo de consumo das massas, é bem mais legal.

» Veja mais Histórias Digitais.

Podem me chamar de fanboy, mas se colocarmos na ponta do lápis, fato sobre fato, faltou MUITO para Steve Jobs ser um Elon Musk.

Como você verá neste especial, a vida de Elon Musk tem sido magnífica até aqui, logo, um post somente não daria conta. Assim, distribuí o conteúdo nos artigos abaixo; não esqueça de clicar e ler cada um deles. Só assim para ter uma noção completa da visão de universo que Elon prepara para nós.

Confira a partir de agora os rumos que levaram Elon a chegar até aqui e os seus planos nem um pouco modestos para todos nós, incluindo eu e você. E se você quiser um resumão antes de começar a ler o(s) artigo(s) completos, dá o play aí embaixo ❤

Post atualizado em 02/10/2018

Como Elon Musk se tornou o Iron Man

A história de Elon começa bem antes de seu nascimento, quando seu avô, um americano que fora morar no Canadá, quiroprático de sucesso e um dos maiores especialistas em dor de coluna no mundo resolve juntar suas coisas do dia para a noite e partir para a África do Sul. Lá começaria a história dos Musk, de um jeito um tanto “incomum”.

Os avós de Elon, por exemplo, tinham um pequeno avião monomotor que pilotavam com frequência. Em uma das viagens eles chegaram a fazer mais de 35 mil quilômetros, indo da África à Escócia, depois à Noruega e então voltando; em outra ocasião eles fizeram mais de 48 mil quilômetros indo da África à Austrália. Acredita-se que, até hoje, eles tenham sido os únicos pilotos não comerciais a fazerem o trajeto num monomotor.

A mãe de Elon – chamada Maye – cresceu neste ambiente e teve uma infância/adolescência bastante diferente das suas amigas de mesma idade: incursões pelo deserto, aventuras em busca de uma cidade perdida na selva e expedições pelo continente africano que duravam mais de mês. Com tal criação ela esperava que seus próprios filhos fossem seguir os instintos aventureiros da família, mas não seria bem isso que aconteceria com o seu primogênito, pelo menos na infância.

A história de Elon Musk [vídeo]

Elon Musk nasceu em 28 de junho de 1971 na África do Sul, mais precisamente em Pretoria, sendo o primeiro de 3 irmãos. Embora inteligente e precoce nos aprendizados, sua mãe conta que ele chegou a ser considerado surdo, pois tinha o costume de fixar um olhar em um ponto e ficar preso à sua imaginação por longos minutos mesmo que alguém o chamasse insistentemente. Após muitos exames e a hipótese de surdez os médicos chegaram a, inclusive, remover suas glândulas adenoides; um procedimento comum em crianças que possuem audição deficiente.

Elon continuaria em seus transes até ser alfabetizado e arrumar um novo mundo onde podia se perder. Ele lia tudo que encontrava. Ler 10 horas por dia não era raro para ele. Começou pelos livros que o atraía e quando estes terminaram em casa, atacou a biblioteca da escola e depois a biblioteca do bairro. Quando estes também terminaram começou a ler a famosa Enciclopédia Britânica (ele ainda leria outra enciclopédia após terminar esta).

(..) talvez no segundo ou terceiro ano tentei convencer a bibliotecária a encomendar livros para mim. Então comecei a ler a Encyclopaedia Britannica. Isso ajudou muito. Você ignora o que não sabe. E acaba percebendo que há todo um mundo de coisas lá fora.

Não surpreende que, na infância, Musk dizia ter o sonho de ser um escritor de ficção científica ou fantasia. Ele era fascinado por Senhor dos Anéis, Asimov e o seu livro favorito e talvez o mais influente em seu modo de pensar: O Guia do Mochileiro das Galáxias. Musk se dedicava tanto às leituras - e às enciclopédias - que uma das principiais brincadeiras era perguntar qualquer coisa para ele. Como Elon possuía uma espécie de memória fotográfica, raramente era pego por uma pergunta que não houvesse lido a respeito e não soubesse a resposta.

E aqui é importante uma observação: Segundo o próprio Elon, seu cérebro funciona de modo diferente das pessoas normais. Enquanto nós imaginamos algo como, por exemplo, um motor em 2D na sua cabeça, muitas vezes estático, ele consegue fazer não só uma imagem 3D, mas dividir o tal motor em seções e ver como cada uma as partes e peças opera; ver os pistões agindo com o impulso das explosões; a resposta do mecanismo às possíveis cargas aplicadas, etc. Ele consegue, inclusive, simular cenários precisos. O que fazemos através de software de computador – e com sofrência – Musk faz com a mente - e com facilidade.

A história de Elon Musk [vídeo]
Elon e sua mãe, Maye Musk

A infância de Elon não foi relativamente tranquila. Seu pai era um engenheiro bem-sucedido e sua mãe era nutricionista e modelo - profissão que ainda exerce mesmo com seus quase 70 anos. Eles moravam em uma casa enorme e as crianças tinham acesso a tudo que queriam. Fizeram viagens internacionais desde pequenos e tiveram acesso quase imediato ao lançado computador pessoal.

O primeiro contato de Elon com uma máquina dessas foi no início dos anos 80, quando os primeiros computadores começaram a aparecer na África do Sul. Seu pai conta que comentou com os meninos sobre uma palestra com alguns ingleses que estavam indo ao país para falar sobre o assunto. Elon não descansou enquanto seu pai não o inscreveu para aquelas 3 horas de debate - o que não era tão fácil, pois crianças não seriam permitidas no evento. Após a palestra, quando foi buscar o garoto ele já não estava mais no lugar em que o havia deixado. Elon, com seus 11 anos, estava entusiasmado conversando com os demais sobre o que havia ouvido. Ao chegar para buscar o filho e perguntar se ele não estava causando problemas, um dos professores disse que ele devia colocar um computador em casa, imediatamente.

E foi assim que em 1982 ele ganhou um Commodore VIC-20, um computador que vinha com 5 KB de memória, 32 KB de armazenamento e um manual de programação em BASIC. O manual que se julgava necessário 6 meses para total assimilação foi atingido em cheio pelo TOC de Elon Musk que passou 3 dias acordado, sem ao menos um cochilo, até que fosse terminado.

A história de Elon Musk [vídeo]
Nesta época os computadores usavam as Tv's como monitores

Ele ficou completamente alucinado com a ideia de que podia instruir uma máquina a fazer qualquer coisa que desejasse e não demorou muito para que criasse seu primeiro código. Foi o jogo Blastar, codificado em 167 linhas. Sua invenção foi publicada na página 69 da PC and Office Technology, uma revista sobre computadores da África do Sul, que ainda pagou e ele ganhou 500 dólares como premiação (o que era MUITO dinheiro na época. Para comparar, o PC de Elon custava menos de 300 dólares no lançamento).

Embora o game não tenha feito muito sucesso – já que na época não existia compartilhamento de arquivos e você precisaria digitar corretamente na sua máquina todas as 167 linhas caso quisesse jogá-lo – a façanha estava de bom tamanho para um garoto de 12 anos (pergunta: o que você estava fazendo com 12 anos? deixe nos comentários). 

E se você ficou curioso para ver o jogo em ação, saiba que alguém o codificou e disponibilizou nesse link. Quando perguntando sobre o jogo depois de adulto, Elon diria que o joguinho era simples, mas era mais legal do que Flappy Bird.

Mas Elon não era só um nerd que ficava em casa programando, lendo ficção e jogando RPG dia todo (embora isso correspondesse a maior parte das suas atividades). Elon já demonstrava que gostava de empreender.

Com frequência Elon liderava seu irmão Kimbal e primos em aventuras pelo bairro. Em uma delas decidiram que iriam vender ovos de páscoa de porta em porta. Os ovos não estavam muito bonitos, mas ainda assim foram vendidos a peso de ouro para os vizinhos ricos dali. Brincadeiras menos sadias incluíam criar pólvora caseira com salitre, enxofre e carvão, colocar em tubos e criar seus próprios foguetes para brincar, já que na África do Sul não havia os kits de Faça Você Mesmo que existiam nos Estados Unidos; "É uma sorte eu ainda ter todos os dedos", contou Musk. 

A história de Elon Musk [vídeo]

À medida em que iam crescendo seus negócios iam ficando mais sérios. Em uma das ocasiões o grupo tentou abrir um fliperama. Sem que seus pais soubessem eles escolheram o lugar ideal, alugaram e começaram os trâmites para obter as licenças para o negócio. A coisa só não aconteceu porque em determinado momento precisaram de alguém com mais de 18 anos para assinar um documento jurídico, e nenhum dos pais concordou com isso. Mais de vinte anos depois Elon e Rive (um dos primos que estava no negócio do fliperama) acabariam, de fato, fazendo negócio juntos; mas isso você verá na outra parte deste especial).

Mas não se constroem Homens de Ferro só com coisas boas, amizades e sucesso, certo? Todo filme/história sobre um super-herói tem aquele momento de dificuldade que o transforma e tal. Com Musk não foi diferente. Sua infância teve partes muito complicadas. 

Como sabemos crianças são maldosas umas com as outras, correto? E se você é o nerd da escola, aquele que prefere ficar lendo ao invés de jogar bola e socializar, é melhor que tenha uma grande resistência à dor. Elon parecia ser o alvo predileto dos valentões da escola. Perseguiram-no por anos, e, na verdade, não somente ele. Até seu melhor amigo foi perseguido e apanhou, diariamente, até desistir de andar com ele. As surras eram constantes e em uma das vezes Musk apanhou tanto que desmaiou e foi levado ao hospital. Só conseguiu voltar à escola 1 semana depois. Como resultado ele ainda ganhou um nariz torto que precisou ser consertado com cirurgia alguns anos depois.

Para piorar, nesta época seus pais já haviam se divorciado e a vida em casa era tão difícil quanto na escola. Elon, incialmente, foi morar com a mãe e os irmãos na casa de férias da família, mas não ficou muito por lá. Logo ele resolveria ir morar com o pai. Até hoje Elon - e seu irmão Kimbal, que seguiu os passos do irmão logo depois - não gostam de falar sobre o período que passaram com o pai.

O que se sabe é que a relação com Errol Musk foi complicadíssima. Embora tivesse alguns momentos de prazer, como acompanhar o pai em suas obras e ver como eram feitas ligações elétricas, projetos hidráulicos, como se assentavam tijolos, etc. a convivência era "muito intensa", segundo as palavras de Kimbal. A convivência com Errol é tão complicada que mais tarde Musk e sua esposa, Justine, combinariam que seria melhor para seus filhos que eles nunca conhecessem seu avô paterno. O consenso entre a família Musk é que o patriarca é uma pessoa de trato muito difícil, mas, pelo pouco que Elon deixou escapar até hoje sobre o assunto, foi uma época fundamental para que ele saísse da sua zona de conforto e superasse seus limites. 

Elon considera este período importantíssimo para ele ter se tornado o bilionário perseverante que se tornou hoje. Por conta disso hoje ele já disse que tenta impor algumas “dificuldades” aos seus 5 filhos. Segundo ele, eles não podem ter mais horas de videogame do que horas de leitura por semana, por exemplo. Mesmo sendo herdeiros das empresas mais promissoras do mundo – e do espaço – Musk quer que eles se superem nas adversidades impostas, assim como aconteceu com ele.

A ideia de ir morar com o pai foi a primeira de muitas barreiras que ele se impusera e não seriam poucas ao longo da vida. Outras experiências notáveis seriam, por exemplo, a mudança drástica para o Canadá e o período que ele resolvera viver com 1 dólar por dia quando estava na faculdade, assim como faziam as pessoas mais pobres do mundo. Quanto à sua experiência de viver com 1 dólar, Elon teve de parar após algumas semanas por complicações de saúde decorrentes da baixa ingestão de nutrientes. No período ele se alimentava basicamente de laranjas.

Já quanto à viagem, Elon decidira ainda na adolescência que deveria buscar seu futuro longe da África do Sul, em um lugar que suas ideias pudessem sair do papel. O lugar ideal era os Estados Unidos, obviamente, terra das oportunidades que ele havia visitado algumas vezes com seu pai quando era pequeno e que o havia encantado.

Quando morava com Errol, Elon costumava tocar no assunto e dizia ao pai que tinha o sonho de cruzar o atlântico. A resposta do pai era sempre a mesma: ele iria dispensar os empregados e deixar o filho cuidando de todos os afazeres domésticos para que ele soubesse como era “brincar de americano”.

Elon, Kimbal e Tosca MuskElon, Kimbal e Tosca Musk

Mas nem isso o desencorajou. Assim, tão logo foi possível, Elon vendeu as ações que havia comprado de uma farmacêutica alguns anos atrás e com 17 anos embarcou para o Canadá onde ainda havia parentes. Segundo ele, a pressa em trocar de país tem dois motivos distintos: Ir o mais rápido para o local onde as coisas aconteciam; e abster-se de ter que se apresentar às forças armadas e fazer parte do Apartheid.

Assim ele abandonou a Universidade de Pretória onde cursou física e engenharia por alguns meses sem muita vontade e embarcou para o Canadá. Detalhe importante: ele não falou com NENHUM dos parentes que esperava encontrar por lá antes de pegar o avião.

As palavras de Kimbal explicam resumem bem esse episódio: “a África do Sul era como uma prisão para alguém como Elon”.

América do Norte e estudos

Sim. Elon Musk saiu da África do Sul e atravessar o mundo sem ter exatamente para aonde ir. A ideia era encontrar com um tio-avô, porém não seria tão simples quanto ele esperava. Desde a sua partida abrupta a mãe fizera alguns contatos para garantir que Elon não ficasse totalmente desamparado; a notícia ruim é que em meio a esses contatos ela descobriu que o tal tio-avô que ele encontraria já não morava mais no Canadá.

Quando Elon chegou lá e descobriu isso, ele se viu sem ter para onde ir e a saída foi se "hospedar" em um abrigo para jovens. Após alguns dias conhecendo Montreal ele teve uma grande ideia: comprar uma passagem de ônibus que atravessava o país e que permitia embarcar e desembarcar quantas vezes quisesse. Assim ele parava nas cidades e procurava algum Musk que pudesse lhe dar abrigo através da lista telefônica.

A história de Elon Musk [vídeo]
Kimbal e Elon logo após o reencontro no Canadá

Depois de 3 mil quilômetros ele foi parar em Swift Current, uma cidade de 15 mil habitantes, onde encontrou um primo de segundo grau que lhe deu abrigo. A partir de então Musk passaria por várias cidades, sempre em busca de um biscate que pagasse um pouquinho melhor.

No ano seguinte ele cultivaria legumes e verduras e retiraria grãos de um silo com um primo na cidade de Waldeck (onde ele também comemoraria os seus 18 anos, recém completados); cortaria toras de madeira com uma motosserra em Vancouver e limparia as caldeiras de uma serraria. Neste último ele tinha de colocar uma roupa de proteção, passar por um túnel minúsculo e, com uma pá, retirar toda a sorte de resíduos que ficasse por lá. Tinha de sair a cada meia hora, senão aqueceria demais e morreria. Dos 30 trabalhadores que começaram no início da semana, restavam apenas Musk e mais dois na semana seguinte. Ele não desistiria tão cedo, pois era o que possuía o melhor salário.

Elon entraria na universidade de Queens em Kingston, Ontario na mesma época em que seu irmão, irmã e mãe também se mudavam para o Canadá. Pensando em arrumar o primeiro emprego após entrarem na faculdade, Elon e Kimbal adotaram um método particular: Eles pegavam o jornal e começavam a selecionar as pessoas que eram importantes e interessantes; depois pegavam o telefone e tentavam marcar um almoço. Quem lhes deu uma chance foi Peter Nicholson, um alto executivo de um banco canadense, o que resultou em um estágio de verão para Elon. Logo ele seria conselheiro pessoal do executivo.

Elon quase acabou virando genro de Nicholson. Mesmo sem conhecer sua filha, Christie, ele a convidou para o seu aniversário. “Acho que a segunda frase a sair de
sua boca foi: ‘Penso muito em carros elétricos.’ Aí ele se virou para mim e perguntou: ‘Você pensa em carros elétricos?’”, disse ela. A coisa nunca avançou.

Ele acabaria namorando com Justine Wilson que conhecera na universidade e viria a ser mãe de seus 6 filhos alguns anos depois (o primeiro bebê morreu com 10 semanas de vida após um mal súbito e os demais seriam provenientes de 1 gestação de gêmeos e outra de trigêmeos). O namoro teria idas e vindas já que Musk logo iria estudar na Universidade da Pensilvânia onde conseguira uma bolsa de estudos. Seu primeiro diploma foi economia e logo depois viria o de física. 

A história de Elon Musk [vídeo]

Diferentemente da escola, onde Musk não se esforçava por não ver um propósito claro em estudar algo que não lhe interessava - a faculdade foi um momento onde ele pode expor suas ideias e começar a ser admirado por isso. Não foi o cara que fez dezenas de amigos, mas era sempre o cara que se destacava como o mais inteligente da turma e que todos paravam para ouvir quando ele começava a falar.

Foi na universidade da Pensilvânia que o seu interesse por energia solar deslanchou de vez enquanto ele aproveitava cada modelo de negócios que precisava ser criado durante as disciplinas para desenvolver suas ideias. Entre seus projetos mais memoráveis estão um sobre a energia solar e como o avanço da tecnologia seguiria esse rumo; algo que parecia uma mistura entre os atuais Google Livros e Google Acadêmico que ele via como um enorme banco de dados que armazenaria livros e documentos de pesquisa; e seu projeto sobre ultracapacitores, que tinham deixado-no muito empolgado com o avanço em relação às baterias normais e como eles se encaixavam tão bem nas ideias que ele tinha para o futuro.

Elon nem sabia, mas os ultracapacitores fariam parte da sua vida mais cedo do que ele imaginava. 

Foi em 1994 que Musk – e seu irmão – foi para o Vale do Silício. Lá ele tinha 2 estágios. O dia começava na startup Pinnacle que pesquisava o uso dos ultracapacitores como modo de revolucionar os carros elétricos e híbridos, e, terminava na Rocket Science Games, empresa que queria criar os videogames mais potentes do mundo ao alternar a mídia dos jogos, passando dos tradicionais cartuchos para os novos CDs. Lá ele trabalhou como nomes como Tony Fadell que anos depois conduziria grande parte das pesquisas que levariam ao iPhone e iPod.

Musk e Justine se conheceram na faculdade. Eles teriam 6 filhos juntosMusk e Justine se conheceram na faculdade. Eles teriam 6 filhos juntos

Musk e Vale do Silício foram amor à primeira vista. Ele ainda voltaria lá para mais 2 verões de estágios antes de ir para Stanford dar início ao seu doutorado em física e resistência dos materiais. O “problema” foi que o chamado da internet foi mais forte e ele abandonou Stanford 2 dias depois do início das aulas. Musk convenceu seu irmão a também se mudar para o Vale. De lá eles conquistariam a web juntos.

Os irmãos Musk redefinem a publicidade online

O primeiro negócio concreto dos irmãos veio de uma ideia que surgiu meio que por acaso na durante os estágios de verão nas startups. Em 1995, época em que pesquisas por restaurantes, lojas, bancos e qualquer tipo de estabelecimento se dava através das páginas amarelas das listas telefônicas, surgiu um homem em um dos locais onde Musk estagiava dizendo que o futuro das buscas seria a internet e não mais os catálogos.

O negócio que o homem propunha não aconteceu, pois ele não sabia bem o que falava e não soube explicar sua ideia, porém, era inegável que fosse uma boa sacada. Elon ficou com aquilo martelando na cabeça até que ele a aperfeiçoasse e montasse um plano de negócios que misturava conceitos do Google Maps e os famosos apps de avaliação de negócios de hoje em dia. Assim surgiu a Zip2.

No local onde funcionaria a empresa seria também a casas dos irmãos Musk. Ali a empresa ficaria aberta praticamente 24 horas por dia, sempre com alguém trabalhando, fosse Elon, Kimbal ou algum estagiário. O começo, é claro, foi difícil. Os irmãos Musk lembram que moravam na empresa porque estavam quebrados demais para pagar um segundo aluguel. Suas roupas ficavam em um armário e o banho era tomado na Associação Cristã de Moços.

Mas uma coisa chamava a atenção de quem conhecia a desconhecida Zip2: a dedicação sobre-humana de Elon Musk. Musk dormia em um pufe ao lado de sua mesa e pedia para que os primeiros a chegar para trabalhar pela manhã o acordassem com um chute para que ele voltasse a programar. Mesmo sem números expressivos para apresentar, logo os investidores começariam a se interessar por aquela devoção e os aportes financeiros começariam a entrar.

A história de Elon Musk [vídeo]
Zip2 em sua versão final

Um desses aportes salvadores foi aquele de 3 milhões de dólares da Mohr Davidow, uma companhia de capital de risco, em 1996. Com tal grana a empresa se mudou para um lugar maior e contratou engenheiros talentosos. Foi nesse momento que a empresa mudou sua atuação. Ao invés de ir de porta em porta vendendo seu serviços eles resolveram começar a vender a plataforma de listagem de serviços diretamente para os jornais, assim eles poderiam criar seu próprio serviço e entrar no ramo da internet sem ter de começar do zero.

Com tanta grana na jogada, os investidores viram que precisavam de uma mudança: Elon era esforçado, mas não passava de um garoto de 20 e poucos anos (ele tinha 24) e sem nenhuma experiência concreta no mundo dos negócios. A decisão foi substituí-lo por alguém mais qualificado. O escolhido foi Jim Ambras, o CEO da Silicon Graphics, a empresa mais bombada do Vale do Silício naquele momento. 

Obviamente que Elon odiou, mas as coisas deram muito certo para a Zip2. A internet crescia e os grupos de mídia tradicionais sentiam o medo de estarem ficando para trás enquanto que serviços gratuitos de classificados, como o famoso Craiglist, surgiam e ameaçavam seu monopólio. Precisando entrar o quanto antes nos classificados online, empresas como o The New York Times despejaram até 50 milhões de dólares, cada, em contratos.

Tudo ia muito bem até que o conselho da empresa resolveu fazer - contra a vontade de Musk - uma fusão de 300 milhões de com a CitySearch, sua principal concorrente. Por motivos nebulosos, 1 mês depois, a fusão foi desfeita, a imprensa começou a massacrar a Zip2, a empresa passou a perder dinheiro e a equipe ficou totalmente desmotivada frente os diversos concorrentes que apareciam a cada dia para copiar suas ideias e lançar suas versões de Zip2.

A salvação para que o primeiro empreendimento dos irmãos Musk não fosse à falência de forma abrupta foi uma proposta salvadora de 307 milhões de dólares ofertada pela Compaq e prontamente aceita pelos investidores. Com o negócio fechado Musk e Kimbal receberam 22 milhões e 15 milhões de dólares, respectivamente.

A história de Elon Musk [vídeo]

Musk nunca cogitou ficar na Compaq, como geralmente acontece com os altos funcionários de uma empresa após sua compra. Ele queria ir logo para o seu segundo empreendimento de sucesso.

O chefão do Paypal

Aos 27 anos Elon Musk era um cara multimilionário. Suas primeiras medidas foram comprar um apartamento enorme, um superesportivo e até um avião a hélice que aprenderia a pilotar. Musk tinha virado uma celebridade da noite para o dia como comprova a sua participação em um especial de tv do canal americano CNN sobre milionários. No vídeo abaixo Elon Musk acorda cedinho para receber seu novo e exclusivo carro. Como ele deixa bem claro, só havia 62 exemplares no mundo iguais àquele.

Quem conhece Musk das entrevistas e notícias sabe que, hoje, ele é um cara confiante, que sonha as coisas mais absurdas e sabe que vai realizar. Essa chave pode ter virado justamente com a veda da Zip2. Agora ele era um milionário bem-sucedido do Vale do Silício. E se alguns veriam essa como a oportunidade de descansar um pouco, Elon viu como a chance ideal em ir para cima.

Mas a vida não era seria só pujança, não. Com dinheiro em caixa Elon começou a pensar no que poderia investir para multiplicar seu capital. A ideia escolhida já estava em sua mente desde os tempos em que trabalhara no banco e tivera a chance de comprovar como os “banqueiros são ricos e tolos". Musk iria criar um banco virtual.

Na verdade, a movimentação em volta desse banco sediado na internet começara antes mesmo da venda da Zip2 ou até mesmo de sua fundação. Elon já falava para os colegas da Pinnacle, um de seus estágios de verão, sobre como os bancos iriam fazer da internet o seu local de operação dali alguns poucos anos. A resposta de todos era um consenso: Décadas e mais décadas se passariam até que a internet fosse segura para que as pessoas confiassem suas operações bancárias a ela. Fazia sentido, afinal, naquela época as pessoas sentiam receios em comprar livros na recém-inaugurada Amazon, quem dirá fazer transferências e expor sua conta bancária naquele mundo totalmente novo. 

Mas Elon não se importou muito com isso; para ele as pessoas estavam cegas pelo comodismo. Assim ele continuou a espalhar a ideia entre os melhores engenheiros da Zip2 para ver quem iria embarcar nessa com ele. Logo a Zip2 seria vendida para a Compaq, em fevereiro de 1999, e em março ele já teria formalizado o seu novo negócio, a X.com.

Diferentemente do início complicado da Zip2, sem dinheiro e com profissionais não tão qualificados, a nova empresa recebera um aporte milionário do próprio Musk (12 milhões) e a ordem de contratar somente os melhores engenheiros do Vale. Assim, menos de 10 meses depois, no final de novembro, a empresa começa a operar as primeiras movimentações. Em menos de 2 meses de atividade, mais de 200 mil pessoas já usava o serviço como opção financeira.

Sediados em um prédio maior, logo a X.com alugou uma pequena sala para 2 rapazes que estavam criando sua primeira empresa, assim como os irmãos Musk pouco tempo atrás. A empresa chamava-se Confinity e seu produto era fornecer trocas monetárias com segurança para usuários de Palms através do infravermelho das máquinas. Os 2 rapazes, Max Levchin e Peter Thiel (a Confinity ainda possuía 2 outros sócios-fundadores: Luke Nosek e Ken Howery), conviviam sem problema com Musk até o dia em que os novatos resolveram mudar-se para o outro lado da rua e começar a atuar no mesmo seguimento da X.com, focando nos pagamentos por e-mail e internet. O novo negócio dos dois seria batizado de PayPal.

A partir de então foi uma “queima de dinheiro” onde cada um dos lados tentava atrair o maior número de associados através de bônus e presentes por assinatura. Por meses eles se digladiaram em uma luta sem fim até que resolveram fazer a coisa certa e unirem forças para dominar juntos o setor dos bancos online antes que alguém o fizesse. Cada um deu o seu melhor: o PayPal tinha o melhor serviço e a X.com o melhor software e uma quantia praticamente ilimitada de dinheiro a ser investido. Juntos e com uma carteira de mais de 1 milhão de clientes, Elon – que se tornara o maior acionista – e os outros 2 sócios começaram a se desentender por conta de questões técnicas como Linux ou Microsoft para seu sistema. Tais desentendimentos levaram Peter Thiel a renunciar ao cargo de CEO da empresa e Musk a assumir a bronca de improviso. Agora Musk estava a frente de uma empresa dividida.

A história de Elon Musk [vídeo]
Peter Thiel e Elon Musk

Para “piorar” a X.com crescia a uma taxa que não era possível de ser acompanhada por sua infraestrutura e, ao menos 1 vez por semana, o sistema caia. Com poucos profissionais trabalhando na empreitada, constantemente eles eram realocados para levantar o servidor o mais depressa possível e assim outra área acabava ficando deficitária e apresentando problemas. Junte a isso diversas startups que surgem para aproveitar o nicho que havia dado certo; a falta de um plano de negócios preparado para a (inesperada) demanda cada vez maior; o resultado será um Elon Musk questionado pelos investidores se ele seria, de fato, o melhor líder para a companhia.

E assim aconteceu uma das traições mais homéricas de todo a história de traições sórdidas do Vale do Silício e da história da tecnologia: Elon foi substituído de uma forma inacreditável. Confira o rolo:

A coisa toda aconteceu enquanto ele estava voando à Austrália para ter sua Lua de Mel com Justine. Foi exatamente nesse momento em que ele estava incomunicável dentro de um avião que o conselho resolveu afastá-lo imediatamente do comando da X.com e em seu lugar recolocar Peter Thiel!!!!! Diferentemente do que se pode imaginar, Musk não reagiu com o ódio ou acessos de fúria que lhe eram característicos em situações bem menos tensas, mas sim com uma calma constrangedora. Viu a empresa mudar de nome oficialmente para PayPal, aceitou ser seu conselheiro e foi comendo pelas beiradas. Entre uma rodada de investimentos e outra ele foi investindo grana até se tornar o acionista majoritário.

Em alguns meses o Ebay ofereceria 1.5 bilhão de dólares pelo PayPal – em 2018 ele vale mais de 110 bilhões – e o negócio foi vendido. Com a oferta aceita, Musk levou 250 milhões (ou 180 milhões após impostos), porém, agora nem tudo eram flores. Se da primeira vez em que teve uma empresa sua vendida ele havia se tornado um dos queridinhos do Vale do Silício – com direito a câmeras filmando seu dia a dia de novo milionário para um documentário –, agora ele passara a ser um dos vilões, tanto por causa de sua personalidade egomaníaca e teimosa, cuja fama começava a se espalhar, como pelas decisões erradas no comando da X.com, agora PayPal.

Tantos ataques públicos à sua imagem conduzidos em sua maioria por um blog de fofocas especializado em celebridades e novos milionários do Vale do Silício, levaram as pessoas até mesmo a duvidar se teria sido Musk um dos fundadores do PayPal ou apenas um aproveitador endinheirado.

A história de Elon Musk [vídeo]

Incomodado com as críticas, casado, agora com mais de 30 anos e mais milionário do que nunca, 2001 foi um ano de suma importância para Elon: foi quando ele deu início às suas maiores ambições. Curioso sobre o espaço e com dinheiro suficiente para custear suas extravagâncias, o homem que na infância queria ter sido autor de ficção cientifica quando crescesse, começou a frequentar círculos de amizade – bastante – específicos, entre eles a Mars Society.

Quanto ao PayPal, além de ser a primeira empresa a abrir seu capital com sucesso após o fatídico 11 de setembro, até hoje ela é vista como um dos cases de maior sucesso quando o assunto é atrair talentos para uma única empresa. Dentre os engenheiros originais estão os fundadores do YouTube, Palantir Technologies e Yelp, para citar apenas algumas. O grupo ficou conhecido como Máfia do PayPal e é, mais ou menos, como a elite do Vale do Silício de hoje em dia. A história dessa galera é tão interessante que ganhou um post exclusivo que você merece ler. É só clicar aqui.

Os próximos passos de Musk

Se você está aqui neste post é porque conhece e se interessa pela história de Elon, então provavelmente sabe que o cara está revolucionando também dois dos campos mais promissores do futuro: A exploração espacial, com a SpaceX; e os carros elétricos, com a Tesla. 

Além disso há os outros "projetinhos", como Hyperloop, SolarCIty, OpenAI, The Boring Company, etc. 

Mas não podemos ser displicentes ao ponto de colocar uma versão resumida aqui nesse post. Cada uma delas merece seu post exclusivo e completaço. Por isso, vem comigo clicando nos links abaixo:

Elon Musk está descontrolado?

No momento em que atualizo este post Musk está tendo uma vida um tanto quanto "atribulada" como pessoa pública e CEO de suas companhias. 

O caso da Tailândia

Recentemente houve o caso dos garotos que ficaram presos em uma caverna na Tailândia e Musk disse que poderia ajudar com suas tecnologias e conhecimento adquiridos sobre a perfuração de túneis com a The Boring Company. A intenção de Elon foram as melhores possíveis, é claro, mas o desfecho acabou saindo do controle. 

Eis o que aconteceu: Vern Unsworth, de 63 anos, que desempenhou um papel fundamental no resgate, criticou Musk em uma entrevista à CNN por sua tentativa de envolvimento na missão. A crítica veio porque Musk disse que suas empresas, a SpaceX e a The Boring Company, poderiam ajudar a resgatar os garotos ao criar um “túnel de ar embaixo d'água”. Além disso Musk também havia colocado engenheiros da SpaceX e da Tesla construindo e testando um mini submarino para os meninos escaparem, que não chegou a ser usado.

O problema começou quando Unsworth disse que o submarino de Musk era "apenas um golpe publicitário" e "não tinha absolutamente nenhuma chance" de funcionar. Nas palavras de Unsworth Musk "podia enfiar seu submarino onde quisesse".

Musk não reagiu muito bem à colocação do britânico e publicou uma série de tweets sobre o assunto. Em um deles Elon foi um pouco longe demais e disse para ele não se "incomodar", que ele tomaria conta da situação e o chamou de "pedo" - diminutivo de pedophile ou pedófilo em português.

Após problemas de imagem pública ele apagou os tuítes e se desculpou com Unsworth.

Tesla se torna privada novamente

Talvez essa treta devesse ir parar no post da Tesla, mas como foi algo feito por Musk em um momento de descontrole, cabe neste texto.

Tudo começou quando as coisas em relação ao caso acima ainda nem tinham esfriado. Por ser uma empresa pública, com acionistas que têm o direito de saber o que se passa na gerência da companhia, a Tesla publica em seu site e no Twitter todas as decisões que estão sendo tomadas. 

Foi em um desses textos, assinado por Elon, que ele informa o plano de fazer a empresa tornar-se privada novamente, ou seja, comprar as ações vendidas ao público e assim ter total controle do seu futuro, tomar decisões sem a necessidade de abrir para votos de acionistas e não precisar mais tornar os relatórios financeiros públicos, por exemplo.

A notícia foi publicada no dia 07 de agosto de 2018, quando as ações da Tesla valiam 340 dólares cada. Na nota Elon falou que pagaria 420 dólares por ação que fosse recomprada. A boa notícia fez com que as ações disparassem, logicamente, alcançando 380 dólares já no dia seguinte. Parece pouco, mas Elon Musk - que é o acionista majoritário - viu sua fortuna aumentar mais de 1 BILHÃO de dólares.

Assim, uma dúvida surgiu: Será que Elon não tinha publicado esta nota apenas para aumentar o valor da Tesla? Afinal, a empresa ficou bilhões mais valiosas com essa notícia. Como essa especulação fraudulenta para induzir o mercado é crime, Elon Musk passou a ser oficialmente investigado pela Comissão de Segurança de Câmbio dos Estados Unidos da América (SEC - na sigla original); e se ele for condenado a coisa pode ficar feia.

Na sequência de alguns dias, Musk voltou atrás e disse que a Tesla não iria mais se tornar uma empresa privada novamente. Como resultado desse vai e vem, as ações caíram cerca de 20%. 

E essa treta nos leva à próxima da lista, agora no campo pessoal.

Elon, Azealia e Grimes

Dez dias depois do escândalo das ações da Tesla, mais uma treta para Elon lidar, mas dessa vez o que aconteceu chega a ser surreal. Duvida? Então imagine uma trama que envolve um gênio bilionário, uma estrela do rap e uma estrela indie pop.

Primeiramente saiba que Elon e Grimes eram namorados na época deste acontecimento. Pois bem, certo dia Grimes convidou Azealia para ir até a mansão de Elon, na Califórnia, onde elas se encontrariam para gravar uma música juntas. E aí começou o rolo.

Tudo começou com alguns stories de Azealia no Instagram onde ela dizia que estava há DIAS esperando para se encontrar com Grimes. Não se sabe se Grimes sumiu, desistiu da colaboração ou o que; mas a rapper tinha a sua sugestão do que poderia estar acontecendo. E aí começa a ficar estranho. Nas palavras dela: 

"Eu esperei por todo o final de semana enquanto Grimes precisava ficar fazendo carinho no namorado por que ele é burro demais para saber que não se deve usar ácido e Twitter juntos". Ou seja, segundo ela Elon estava arrependido e passando por maus momentos após tuítar sobre tornar a Tesla privada novamente e tal, como vimos acima. 

Alguns fãs de Grimes chegaram, inclusive, a acusar Elon de mantê-la em cárcere privadoAlguns fãs de Grimes chegaram, inclusive, a acusar Elon de mantê-la em cárcere privado

Ela ainda disse que viu Musk pela casa "com o rabo entre as pernas e com medo dos acionistas". Musk disse que nunca viu Azealia Banks e que não sabe do que ela está falando e Grimes não comentou nada. Assim, fica uma versão contra a outra. Em quem você acredita?

Maconha ao vivo

E a última de Elon (tudo isso em um espaço de menos de 60 dias) foi chocar a internet - mas nem tanto - ao fumar maconha ao vivaço em uma entrevista para o canal de Joe Rogan no YouTube. Detalhe: A famigerada maconha foi fumada no estado da Califórnia onde é permitido o seu uso recreacional sem qualquer problema com a lei. 

Nenhum problema, certo? Pois é, mas alguns executivos da Tesla não acharam isso legal e concluíram que não queriam ter sua imagem associada a um perigoso maconheiro bilionário gênio que só comanda as empresas mais promissoras do universo. Maconheiros são perigosíssimos e Elon Musk é a prova disso. Assim, tais executivos se demitiram

Ah sim, as ações da Tesla caíram um pouquinho mais por conta disso, mas já estão se recuperando. 

Musk deixa a presidência da Tesla

Pois é, mas parece que o pessoal não gostou muito das merdas brincadeiras de Elon e isso acabou tendo sérias consequências.

Como dissemos há pouco, a SEC passou a investigar o bilionário após os tuítes polêmicos acerca de tornar a empresa privada novamente e o inesperado e súbito aumento do valor das ações que isso causou. Segundo o órgão, a atitude de Elon foi considerada fraudulenta.

Assim, para evitar um processo ainda maior, Musk assinou um acordo. A cláusula primordial faz com que ele se afaste da presidência da companhia por 3 anos, período pelo qual o cargo será ocupado por alguém "independente". Além disso, a Tesla nomeará dois conselheiros independentes para seu conselho de administração e criará um “novo comitê de conselheiros independentes", que irá supervisionar as comunicações de Musk. Ahh, também teve uma multa de 20 milhões de dólares, mas isso é, aproximadamente, 0.1% de sua fortuna, então ninguém liga.

Agora restá esperar 3 anos para que Musk volte e torcer para que até lá a produção de veículos esteja dando conta de todas as unidades vendidas. 


Este é Elon Musk, o homem que Robert Downey JR. Se inspirou para montar o personagem Tony Stark (é sério!!! Inclusive se você olhar atentamente aos carros que Tony Stark possui em sua garagem nos filmes, vai ver um Tesla, pedido especial do ator) e que está tornando o(s) mundo(s) um lugar melhor.

Assim, como diria Carl Sagan, é uma honra dividir este planeta com Elon Musk. Para fechar, confira a entrevista que ele deu em 2013 ao TedX (legendada em português) e acompanhe seus pensamentos sobre exploração espacial, carros elétricos e mais:

MAIS SOBRE: #tesla  #spacex  #historiasdigitais  #ciência
Comentários
Carregar comentários
  • PARTICIPE DA NEWSLETTER

    As novidades de tech no seu
    e-mail, inscreva-se grátis ;)