Review Huawei P30 Pro: é só de câmera que um celular vive?

Review Huawei P30 Pro: é só de câmera que um celular vive?

Testamos o P30 Pro da Huawei. Um smartphone inovador, com foco em câmeras que chega ao Brasil como marco da volta da Huawei em território nacional. Confira em vídeo a nossa análise.

Por Reviews de smartphones Pular para comentários

O atual mais potente smartphone da Huawei desembarcou aqui na redação do Oficina da Net para ser analisado. Com lançamento no dia 30 de abril, ainda sem saber os preços, vamos seguir o review baseado no que pode produzir o smartphone, pois sabemos que ele não será um telefone barato e vem lutar diretamente com S10+.

O P30 Pro - especificações aqui - é um telefone que tem seu ponto forte as câmeras, o primeiro a lançar uma câmera com zoom óptico de 5x e 3 sensores traseiros mais um auxiliar para melhorar recortes e profundidade de campo.  Outros aspectos que tornam ele um bom aparelho é a tela OLED, brilhante, cores fidedignas, que comporta abaixo dela não só o sensor de impressões digitais, mas também o alto falante de chamadas, que falamos mais a frente nesse vídeo, além do potente hardware que toca esse avião.

Sejam bem vindos ao review do Huawei P30 PRO, nele vamos abordar o design em suas características, o hardware e performance, o conjunto de câmeras, o software, e também a experiência que você vai ter ao utilizar esse aparelho. No final, o nosso veredicto. Lembrando que esse aparelho tem como marco a volta da fabricante ao Brasil. Se você é novo aqui no canal, inscreva-se, produzimos vídeos semanalmente sobre smartphones, hardware e periféricos entre outros produtos de tecnologia.

Assista o review em vídeo

Design

A começar pelo design do aparelho que grande, mas por não ser tão largo e contar com os cantos da tela arredondados, igual a linha S da Samsung, torna a pegada tão confortável quanto um smartphone menor.

Tela do Huawei P30 ProTela do Huawei P30 Pro

Na frente do aparelho como mencionamos antes, temos praticamente só tela, exceto pelo sensor da câmera frontal, que a Huawei poderia ter dado um jeito de esconder, afinal esconderam até o alto falante de chamadas. A maior borda fica localizada na parte de baixo da área frontal que ainda nenhum fabricante encontrou forma de esconder.

Nas laterais temos botões apenas no lado direto. Já na parte de baixo encontramos o slot de cartões microSD, a porta USB-C, e o alto falante de mídia. Na parte de cima dele temos um sensor infravermelho e um microfone de ruídos.

Como você pode ter visto, não encontramos a entrada P3 para fones de ouvido, um ponto negativo. Ah, no kit não há um dongle para ligar qualquer fone que você tenha em caso, a solução de fones encontrada pela Huawei foi enviar um fone com conexão USB-C. Seria essa uma alternativa para não perder o dongle, e ficaria ele apto a funcionar em notebooks que contam com a porta? Pra mim, essa solução pode beneficiar a qualidade do fone, e prejudicar quem compra um fone high-end para utilizar no celular.

Protuberância traseiraProtuberância traseira

A parte de trás do telefone é revestida em vidro, assim como a tela, e para comportar esses três principais sensores da câmera, a Huawei fez um conjunto com uma protuberância tão grande que o telefone fica muito bandoleiro, mesmo com a capa de silicone que acompanha o kit ele ainda assim não tem equilíbrio e balança ao digitar enquanto o smartphone está deitado sob à mesa. Sei lá, pode ser birra minha, mas se colocar protuberância, poderiam posicionar ela em algum lugar que mantivesse o telefone equilibrado.

De resto podemos afirmar que a construção externa dele é muito bem feita, o telefone é bonito, principalmente na cor azul que conta com um degradê bem interessante.

Hardware

Esse Kirin 980 é um processador lançado em meados de 2018, já utilizado na linha Mate 20, exclusivo da Huawei, primeiro a ser lançado com litografia de 7 nanômetros. Foi lançado para competir de frente com o Snapdragon 845. Nos testes de benchmark o P30 Pro ficou levemente abaixo dos números do S10+, mesmo a versão com Exynos, mas nem por isso você terá um experiência ruim de uso, muito pelo contrário, ele fez em nossos testes 311 mil pontos no AnTuTu benchmark. Ele é um telefone bem potente, que não vai te deixar na mão com engasgos.

A versão que recebemos para testes, conta com 256GB de armazenamento, mas tem versões de 128GB e 256GB. Ele vem com 8GB de memória RAM, também conta com versão de 6GB com 128GB. Com esses 8GB de RAM você não precisa ficar fechando aplicativos.

Geekbench
11.332

Veja o nosso teste de jogos RODA LISO no P30 Pro

Tela

A tela dele é OLED, com resolução apenas FULLHD+, eu digo apenas, pois nos concorrentes próximos encontramos QUADHD. Ela tem 6,47 polegadas, é grande, espichada, podia muito bem vir com resolução um pouco maior, assim FULLHD+ temos densidade de pixels de apenas 398dpi. Ela conta com cores fiéis, homologadas pelo certificado DCI-P3, que é utilizado na indústria do cinema nos Estados Unidos. Têm suporte a HDR para assistir filmes e vídeos no Netflix ou Youtube e dar aquele boost nas cores. Ela brilha, chega a 605 nits, esse valor é desconfortável para seus olhos. Porém, em locais ensolarados ele se mostrou bem legível. Como dito, o ponto fraco na tela foi a resolução, que poderia ser maior e tornar a tela mais nítida.

Bateria e energia

Com 4200 mAh, bateria grande que pode ser um dos motivos para o smartphone ter ficado grande e não espesso. Ela atende às necessidades. Para usuários comuns, certamente poderão utilizar o telefone por dois dias sem precisar espetar o carregador. Agora usuários mais high-end terão pelo menos um dia de carga garantidos. Existem modos de economia de energia no sistema que auxiliam na economia. Mas durante nossos testes utilizamos apenas o modo desempenho.

Em teste de vídeo foi possível ficar cerca de 19:30 horas assistindo vídeos intermitentes no Youtube através de rede WiFi, com tela em 50% do brilho.

  • Em vídeo
    19:30h
  • Capacidade
    4200 mAh
  • Em carga
    01:00h
  • Tempo de tela
    07:05h

O P30 Pro conta com recurso de carregamento wireless. Então se você possuir um carregador wireless, poderá utilizar ele. Sabe o que é mais legal, o P30 Pro tem carregamento wireless reverso, você pode enviar energia para outro smartphone ou dispositivo que tenha carregamento sem fio. Já tinha visto esse carregamento reverso por cabo em alguns aparelhos, mas não tinha visto ainda o reverso sem fio. Mas esse recurso não fica sempre disponível, você precisa ir nas configurações de bateria para ativar.

Carregador do P30 ProCarregador do P30 Pro

O carregador do P30 Pro chega a ser ridículo. Você pode acompanhar o carregamento do telefone. Em 30 minutos ele carrega 70% do telefone, em 45 minutos ele completa 90% e leva 60 minutos para uma carga completa. Ele tem capacidades de carga em até 40W (10V/4A), mas também conta com 10W (5V/2A), 18W (9V/2A). É bastante rápida a carga para uma bateria de 4200 mAh. Esse carregado de fato não aquece tanto o smartphone, o que é meu medo. Carregamento rápido, geralmente eleva a temperatura da bateria, o que pode danificar a mesma, creio que nesse aparelho não vá acontecer, mas isso, só uso cotidiano durante cerca de 1 ano para garantir.

Som

O som do P30 Pro é mono, apesar de ter dois alto falantes. Como o de chamadas é abaixo da tela, ele não funciona para tocar mídia, que é algo esperado, afinal ele emite ondas eletromagnéticas para a tela, essas ondas vibram e projetam o som para seu ouvido. Em testes de chamada, essa tecnologia se mostrou eficaz e funciona realmente bem.

Como o som é mono, ele propaga apenas pela saída de baixo, que emite volume suficiente para irritar colegas de trabalho. Porém, não é um ponto forte. Ele é regular. Graves não soam fortes o suficiente. É um ponto que a Huawei pode melhorar.

Sensores de impressão digital e detecção facial

Sensor de impressões digitais na telaSensor de impressões digitais na tela

O P30 Pro traz sensor de impressões digitais sob a tela, em um local que você precisa acertar, se quiser que o recurso funcione corretamente. Qualquer deslize para o lado e o sensor não funcionará corretamente. Mas ao passar a mão em cima do telefone, ele já liga a tela para demonstrar o local ideal para você posicionar o dedo. No começo, posso garantir que não foi a melhor experiência, mas com o tempo comecei a acertar e você se adapta ao uso. O sensor é em formato de luz, que emite um feixe contra o seu dedo para identificar a impressão digital. Segundo a Huawei o sensor ficou 30% mais rápido, comparado com a versão do Mate 20. Ele certamente ainda será melhorado para as próximas gerações, mas posso afirmar que funciona muito bem, depois de você se adaptar ao uso.

Além de impressão, ele conta com detecção facial, que não funciona a noite, pois não há outro sensor, senão o da câmera. Em alguns smartphones encontramos um infravermelho, como no iPhone X e mesmo no Pocophone. Mas como o sensor de impressão digital fica posicionado na frente, você facilmente desbloqueia o telefone a noite, com seu dedo.

IP68

IP68IP68

Ele conta com proteção IP68, diria que um recurso indispensável para um smartphone que quer brigar pelo mercado topo de linha. Para quem não sabe ainda, IP68 permite o telefone ficar mergulhado durante 30 minutos até 1,5m de profundidade.

Câmeras

Legal, vamos para as câmeras, então senta aí que vem um textão. Vamos começar apresentando as crianças. São 3 câmeras traseiras, aliado a um sensor TOF que explico logo mais.

As câmeras do P30 ProAs câmeras do P30 Pro

A primeira lente é uma de 20MP, grande angular para fazer fotos ultrawide, a abertura é f/2.2. A segunda, de 40MP, com abertura f/1.6 é a câmera principal, com estabilização óptica. A terceira lente é de 8MP, a câmera Zoom de 5x, abertura f/3.4.

Legal, agora que você já conhece as lentes, vamos ver o software nos reserva, para então analisar as imagens capturadas. Lembrando que todas as fotos foram tiradas com o software original.

Software da câmeraSoftware da câmera

Primeiro problema que eu encontrei, foi ao tirar algumas fotos, e via que estavam apenas com 10MP, sim, pois estava assim configurado como padrão. Estranho pois, o sensor principal conta com 40MP, então ao eu trocar, as opções de Zoom, somem da câmera. Isso é natural, afinal a lente zoom tem apenas 8MP, certo? Ok, mas é chato. Você quer tirar o melhor proveito da câmera, a diferença entre 40MP para 10MP é muito grande, e sim, esse gap todo faz diferença.

Portanto, coloque sempre na maior resolução de foto que conseguir, isso é uma dica. E sim, você, toda vez que precisa acionar o zoom, vai ser obrigado a reduzir primeiro a resolução de foto para habilitar os botões. Achei zuado isso, pois, imagina você querendo capturar um avião passando, ou algo em velocidade como um carro, até o tempo de reduzir a resolução, voltar para a câmera já se foi o objeto e você perdeu o momento. Huawei, os botões precisam sempre estar ativos, e você troca isso automático, então arruma aí.

Segundo nem tão problema. Na apresentação do P30 Pro, a Huawei mostra que o ISO sobe até 403 mil, certo? Bem, isso não é mentira, mas ao configurar esse valor todo, no modo PRO, você é incapacitado de modificar os outros itens. E de novo, você está apto a modificar os parâmetros até 6400 de ISO, e se quiser subir esse valor, precisa colocar a foto em 10MP. Eu acho esse recurso legal, pois ele, diferente do tempo de exposição, faz uma foto quase que completamente escura, aparecer. Mas, ainda, se você tem opção de estabilizar por completo o celular, o tempo de abertura, que vai até 30 segundos, é a melhor opção. Por dois motivos, a chance de pixelizar a foto é menor, e abre os 40MP. O tempo de exposição, me chamou atenção também pelo processamento da imagem, que foi instantâneo. Não interessa se era uma foto de 5 segundos ou 30, ao terminar o tempo, a foto já estava pronta, coisa que mesmo em DSLRs, isso leva um tempo para ficar pronta.  A opção de ISO altão, tá aí, basta a sua criatividade para usá-lo. Sinceramente, é um recurso útil, principalmente se você não quer que tenha movimento no momento da captura, coisa que o tempo de exposição não vai conseguir suprir.

Foto Noturna: Aqui a bruxaria é feita: Estabilizado ou não, você pode utilizar esse recurso que, você só precisa saber que funciona. Ele faz fotos escuras, simplesmente clarearem. E sim, leva um tempinho para a câmera conseguir capturar mais luz e mixar as diversas imagens que ela fez, numa foto só.

Foto da Lua: Esse é um modo de inteligência artificial, que alia o zoom óptico ao digital. O P30 Pro escurece tudo que não é a Lua, e deixa apenas ela lá, deslumbrante na sua plenitude. Não fica 100% nítida como as outras fotos que o aparelho consegue fazer, mas sair de 5x de zoom óptico para 50x e manter essa qualidade, é algo de aplaudir.

Inteligência artificial: O modo de inteligência artificial, quando ativado, ele tenta reconhecer o cenário e escolhe as melhores cores e configurações da câmera para capturar. Algumas vezes fica melhor, mas nem sempre.

Vídeos: O P30 Pro faz vídeos em 4K a 30fps, fullhd em 60fps. E sim, ele grava em formato 21:9 fullhd+. A estabilização óptica faz um trabalho muito bom nas câmeras traseiras. Você pode fazer vídeos em wide, normal, 5x ou 10x(zoom híbrido, que é a mistura de óptico com digital). Além disso, você pode alternar os modos em tempo real, sem precisar desligar o vídeo.

Outras características:

A opção Super Macro é um ponto que gostei também, ela permite fotos muito próximas.

Detecção facial no escuro: Mencionei que o P30 Pro não faz detecção facial frontal no escuro para desabilitar o telefone, mas na traseira ele conta com o sensor infravermelho, que detecta faces no escuro. Esse recurso é legal para fotos em modo noite, pois ele sabe onde focar e qual ponto que precisa melhor luz;

Detecção facial no escuroDetecção facial no escuro

A câmera 5x é montada em L. Com espelho, uma boa solução para criar o zoom, a Huawei fez sim em um celular de 8.4mm de espessura ter lente com zoom.

Sensor TOF: é ele o cara responsável por auxiliar na detecção de rostos no escuro, de mensurar as distâncias entre os planos, primeiro, segundo, terceiro plano para dar a foto um ar de profundidade e obviamente auxiliar no recorte em fotos no modo retrato.

Você pode ver uma grande galeria de fotos completa do aparelho com as imagens originais, e seus Exif:

P30 Pro - traseira

 

Câmera frontal

A câmera frontal, de 32MP abertura f/2.0, sem estabilização, conta com menos modos, como por exemplo: retrato, foto normal, e vídeo. Modo Pro, modo noturno ficam desabilitados na câmera frontal, uma pena. Ela não tem flash frontal. A qualidade das imagens é boa, mesmo no escuro. Os 32MP fazem boas imagens, eu realmente gostaria de ver o modo noturno na frontal, pena não ter. Entendo, que a falta de estabilização ótica, deve ter sido o motivo para não empregarem.

Software

O software não é perfeito, mas qual é? Ele tem as telas muito parecidas com a interface da Samsung, e cada vez mais elas estão modificando menos, principalmente nas telas padrão de menus e configurações. O que podemos dizer do software é que ele traz algumas coisas junto com ele. São ferramentas, como Controle remoto inteligente que utiliza do sensor infravermelho na parte de cima dele, para configurar um controle para sua tv, ar condicionado, e diversos outros produtos que comportem. Mas isso não é novidade, e já vimos em diversos outros smartphones.

EMUIEMUI

A Huawei traz um player de vídeo e músicas próprio, além de navegador próprio. Aliás, por que criarem navegadores? Não vejo muito sentido, mas enfim. Ela também tem um App Gallery com aplicativos indicados pela Huawei.

O Huawei P30 Pro, roda Android Pie na versão 9, com software EMUI na versão 9.1.0. O que mais me preocupa é se a Huawei manterá os updates tanto da interface, quanto do Android.

Experiência de uso

Olha, nesse período que ficamos em testes, pude ver que o telefone vai entregar uma experiência de uso voltada a fotografia e performance. Os modos de foto e recursos que a câmera comporta, são melhores do que a maioria dos smartphones que você já usou, e certamente vão surpreender na qualidade de fotos e vídeo que eles produzem. A performance, diária de uso é impecável, com 8GB de RAM e o processador octa core da Huawei não vão deixar na mão, e você pode ver os principais jogos de celular em nosso teste RODA LISO, que já publicamos aqui no canal e no site.

O início do sistema de impressões digitais na tela, também foi um pequeno problema para mim. Ainda não instalei a GCam nele, para saber se ela consegue tirar ainda melhor proveito dessas lentes, também não sei se pode ou não instalar. Meu primeiro momento com o telefone foi para testar tudo que ele oferece.

Ah, o carregador dele é fantástico. Não pude experienciar também a troca de energia com outro dispositivo wireless, que deve ser legal demais.

Veredicto

O Huawei P30 Pro chega ao Brasil para lutar pelo mercado High-end apesar de não ser o topo de linha da Huawei, que deve lançar ainda esse ano a linha Mate 30. Mas ele veio para competir com diretamente com o S10+, e posso afirmar que a briga vai ser legal demais para o mercado, quanto mais competidores, melhor.

O telefone em si é voltado para o público que deseja um produto premium, que está disposto a pagar para ter excelentes câmeras, com vários recursos e alternativas, fotos muito nítidas, que mostra objetos escondidos no escuro com seu modo noturno. Sem mencionar a performance que é impecável.

Os pontos que me desagradaram nele foi a protuberância mal posicionada e exacerbada, mas que se justifica pelo conjunto de câmeras, inclusive uma com zoom óptico de 5x, até então nenhum outro havia. Outro ponto foi a resolução baixa em um smartphone desse nível e por fim a falta de saída P2.

NOTA

9.7

Huawei P30 Pro

Prós
  • Câmeras
  • Performance
  • Design
Contras
  • Protuberância traseira
  • Melhoria no software da câmera
  • Resolução da tela

Recomendo a compra? Seria até louco em dizer que não. Não posso dizer ainda se ele é melhor que o S10+, pois a Samsung está demorando em enviar para nós um exemplar. Mas certamente qualquer um dos dois aparelhos será uma boa aquisição.

Compartilhe com seus amigos:
Nicolas Muller
Nicolas Muller Fundador do Oficina da Net, trabalha com internet desde 2004. Entusiasta de tecnologia, hoje coordena a redação do site, responsável pela análises de smartphones. Foi programador por 10 anos e agora jornalista por profissão.
FACEBOOK // INSTAGRAM: @nmuller99 // TWITTER: @nmuller99
Quer conversar com o(a) Nicolas, comente:
Minha foto
  • Minha foto
    Olivio Roberto    •    3 meses

    No geral o texto está bom, mas dê uma uma revisada nele, pois há vírgulas demais e pontos finais de menos.
    Outro problema é quando trata da câmera traseira, pois deu para notar que não fez "a lição de casa". Se pesquisar sobre essa câmera, verá que as fotos não estão na resolução de 10MP à toa; esse módulo usa sensores da Sony, sendo o módulo principal de 40MP, no formato RYYB (Quad-Bayer), não RGB padrão. Segundo a empresa, seria capaz de capturar mais luz... Mas enfim, o que importa é que essa câmera consegue produzir fotos em HDR em tempo real, diferente de outras câmeras que tiram duas fotos em sequência com níveis diferentes de exposição e depois juntam numa só. Cada pixel está dobrado no sensor. Difícil explicar em palavras, mas o importante é que por estar em dobro, metade dos pixels capturam foto com uma exposição, e a outra metade com outra exposição, mas sem atraso nas fotos, tudo ao mesmo tempo. Então quando você tirou fotos com 40 MP, você "matou" a função principal desse sensor. Procure na internet e encontrará explicações detalhadas sobre esse sensor. Além disso resolução não quer dizer nada. Meu antigo celular Nokia 808 tinha um sensor de 41MP, mas eu tirava fotos com 5MP, tanto pela praticidade (tamanho menor), quanto pelo aumento da qualidade (pois combinava a luz de 7 pixels ao mesmo tempo para gerar cada um dos pixels, gerando fotos limpas, sem ruídos).

  • Minha foto
    Rafael Azambuja    •    3 meses

    Muito bom

  • Minha foto
    Nícolas Müller    •    3 meses

    Valeu Jow