Hoje em dia, talvez as pessoas achem que a melhor maneira de se ouvir música é através de um smartphone, afinal, ele é uma solução tudo em um. Entretanto, para quem quer mais qualidade de som ou até mesmo mais conveniência, há diversas opções que podem tornar as audições mais prazerosas. As soluções vão desde utilizar acessórios em conjunto com os celulares até dispositivos dedicados somente a função de reprodução de áudio.

DAPs (Digital Audio Players)

Talvez você os conheça com o nome de MP3 Player, mas atualmente estes dispositivos de áudio fazem muito mais do que isso! Hoje, estes reprodutores de música são capazes de suportar diversos formatos de arquivo de áudio como FLAC, DSD, ALAC, WAV, entre outros, além de possuírem funções extras como DAC USB, receptor e transmissor Bluetooth, suporte a serviços de streaming de música etc.

Digital Audio Players (DAPs). Fonte: Le Blog Son-video.com
Digital Audio Players (DAPs). Fonte: Le Blog Son-video.com

Embora os DAPs tenham diversas funções, não é somente isto que eles têm a oferecer. Estes players digitais possuem, na maioria das vezes, botões dedicados ao controle da música como play/pause, próxima faixa/faixa anterior e aumentar/diminuir volume, além de uma tela touch para visualizar os álbuns, as informações das músicas e outras informações como a ativação ou desativação de funções, equalização, entre outras.

Indo para o hardware, dependendo do modelo de player, há uma qualidade superior tanto no chip do DAC quanto na seção de amplificação (mais forte). Além disto, existem fabricantes que se preocupam com projeto da placa integrada, havendo uma melhor separação dos componentes, que são de qualidade, onde cada detalhe é pensado para haver um melhor desempenho no áudio.

Quando paramos para analisar a duração de bateria dos DAPs, vemos que dependendo do poder de amplificação dos dispositivos, as células de íons lítio forneceram energia por mais horas ou menos horas. Os players com amplificadores mais fortes, costumam ter uma duração de aproximadamente 10h, já os aparelhos mais fracos neste quesito, podem durar, por exemplo, 50 horas ou até mais.

Exemplos de DAPs:

  • Cayin N3
  • Cayin N5 II
  • Cayin N6 II
  • Cayin N8
  • Cowon Plenue D2
  • Cowon Plenue L
  • Cowon Plenue R2
  • FiiO M11
  • FiiO M15
  • FiiO M5
  • FiiO M6
  • FiiO M9
  • Hiby R3
  • Hiby R5
  • Hiby R6
  • iBasso DX160
  • iBasso DX220
  • Sony Walkman NW-A105
  • Sony Walkman NW-WM1A
  • Sony Walkman NW-WM1Z
  • Sony Walkman NW-ZX500

Receptores Bluetooth

Os receptores Bluetooth, embora ainda sejam pouco conhecidos, são uma excelente alternativa para quem quer transformar o fone de ouvido com fio em sem fio. Basicamente eles possuem internamente um chip Bluetooth (para receber e decodificar o sinal), um DAC, um amplificador, uma saída para fones SE (single-ended) de 3,5mm, uma saída para fones balanceada (alguns modelos possuem) de 2,5mm, um microfone (para atender a chamadas telefônicas ou transformar seu headphone em headset), uma tela (alguns tem) e botões físicos (para controle da música).

Receptor Bluetooth FiiO BTR5 e fone in-ear Andromeda S. Fonte: Reddit (por Jayden92)
Receptor Bluetooth FiiO BTR5 e fone in-ear Campfire Audio Andromeda S. Fonte: Reddit (por Jayden92)

Estes dispositivos Bluetooth, são do tamanho de um isqueiro ou até menores dependendo do modelo. Além disto, são capazes de melhorar a qualidade de som comparada ao DAC/amp integrado na placa dos smartphones dependendo do modelo. Pensando nestas vantagens somadas a capacidade de poder se mover com liberdade (é possível prende-los na roupa) devido a tecnologia sem fio, são um acessório imbatível frente às soluções unificadas dos heasets gamer.

Exemplos de receptores Bluetooth:

  • Earstudio ES100
  • FiiO BTR1K
  • FiiO BTR3
  • FiiO BTR5
  • FiiO uBTR
  • Hiby W3
  • Hiby W5

DAC/amp USB

Um DAC/amp USB pode ser mobile ou de mesa. Quando o seu projeto é pensado para o uso mobile, é interessante ver o desempenho oferecido em termos de qualidade de som percebida (dependendo do fone de ouvido, pode ser mais ou menos perceptível devido a necessidade maior ou menor de amplificação) ao conectar a um celular, principalmente quando percebemos que o smartphone não tem potência o suficiente para fazer o headphone tocar bem. Lembrando que o dispositivo mobile também pode ser utilizado em notebooks, computadores ou tablets.

DAC/amp USB iBasso DC01 e fone in-ear Campfire Audio IO. Fonte: gagadget.com
DAC/amp USB iBasso DC01 e fone in-ear Campfire Audio IO. Fonte: gagadget.com

Exemplos de DAC/amp USB mobile:

  • Hidizs S3
  • Hidizs Sonata HD II
  • iBasso DC01

Existem modelos de DAC/amp de mesa, que conseguem ser alimentados somente por uma porta USB, porém não são considerados ideais para se carregar, devido ao seu formato e/ou tamanho. Entretanto, existem aqueles que possuem uma saída USB com a função de apenas receber dados, do desktop ou notebook, além de uma fonte a parte para ligar na tomada. Ou seja, neste caso, o dispositivo é realmente fixo.

DAC/amp Chord Mojo. Fonte: Flickr (Por katsumoto katsumoto)
DAC/amp Chord Mojo. Fonte: Flickr (Por katsumoto katsumoto)

Normalmente, os DAC/amps possuem uma saída para fones (ou duas se houver uma balanceada), um controle de ganho (baixo, médio e alto, que deverá ser escolhido de acordo com a necessidade de amplificação do fone) e um knob (cilindro) para controlar o volume.

Exemplos de DAC/amp USB de mesa:

  • Apogee Groove
  • Chord Hugo
  • Chord Mojo
  • Earstudio HUD100
  • FiiO K5 Pro
  • iFi Micro Black label
  • iFi Nano Black Label
  • JDS Labs Atom
  • Schiit Audio Fulla 3
  • Schiit Audio Jotunheim

Transmissor Bluetooth multifuncional

Basicamente é um DAC/amp USB, tendo geralmente mais opções de entrada como coaxial, óptica e RCA, adicionando uma antena de transmissão/recepção Bluetooth. Desta forma, é possível ligá-lo a um desktop, um notebook ou até mesmo uma TV para enviar áudio através do smartphone ou receber áudio para ouvir utilizando um fone de ouvido ou uma caixa de som Bluetooth.

FiiO BTA30. Fonte: Head-fi (Por Kean FiiO)
FiiO BTA30. Fonte: Head-fi (Por Kean FiiO)

É uma solução muito versátil para se conectar qualquer dispositivo Bluetooth com facilidade e driblar

Exemplo:

FiiO BTA30

Raspberry Pi 4

Pelo fato do Raspberry Pi 4 ser muito pequeno e silencioso (não possui a necessidade de utilização de cooler/ventoinha), é possível utilizar através das saídas USB um HD externo (ou SSD) para armazenar músicas. Além disso, como ele possui uma porta ethernet gigabit e uma antena Wi-fi, é possível ligá-lo na internet ou em sua rede interna de computadores para reproduzir suas músicas via streaming através da instalação de programas como, por exemplo, Spotify, Tidal, Deezer etc.

Raspberry Pi 4 + Placa de audio Allos DigiOne em uma case de acrílico. Fonte: darko.audio
Raspberry Pi 4 + Placa de audio Allo’s DigiOne em uma case de acrílico. Fonte: darko.audio

Para controlar o Raspberry sem a necessidade de um teclado ou um mouse, é possível instalar programas como o Volumio, o OSMC e o Plex, para dar comandos através de seu smartphone ou tablet.

Exemplo de placas de áudio utilizadas com o Raspberry Pi 4:

  • Allo DigiOne
  • Hifiberry

Esse artigo é feito em parceria com o Grupo Fones de Ouvido High-End: