Hoje em dia muitos jogadores, streamers e youtubers querem um headset de qualidade. Porém, por conta do marketing das empresas de periféricos gamer, estas pessoas acabam comprando headsets gamer USB ou Bluetooth com 5.1 ou 7.1 canais. Isto, infelizmente não trará um benefício condizente com o custo, o famoso custo-benefício, e pensando nisso, falarei os motivos pelos quais não se deve investir headphones deste tipo.

Porque você não deve comprar um headset gamer

Na grande maioria das vezes, raras as exceções, os headsets gamer possuem um microfone de baixa qualidade. Por este motivo, o ideal, se possível, é comprar um headphone e um microfone separadamente, para se obter uma alta qualidade tanto no áudio que se ouve quanto no áudio que se emite.

Observação: Quando me refiro a microfones com qualidade baixa, são aqueles que não entregam uma nitidez satisfatória no áudio, chegando a deixar a voz "apagada" e prejudicando a comunicação com o ouvinte.

É importante salientar que somente este fator já encarece o valor do produto consideravelmente. Prova disso são os headsets da Sennheiser Game One e Game Zero, que possuem o mesmo driver de headphones como o Sennheiser HD598 (ou HD599), ou o headset da Audio Technica ATH-PDG1a que é o mesmo que o ATH-AD700X. Ou seja, comprar o headphone e microfone separadamente sai mais barato e entrega mais qualidade.

As melhores opções de microfones, são aqueles que se colocam na mesa e os acopláveis/removíveis.

Não deixe de conferir o artigo "Os melhores headphones para jogos" para fazer conjunto com um bom microfone.

Exemplos de microfones de mesa:

  • Blue Yeti
  • Audio Technica AT2020
  • Shure MV5
Microfone condensador Shure MV5. Fonte: showmetech
Microfone condensador Shure MV5. Fonte: showmetech

Exemplos de microfones acopláveis/removíveis:

  • V-MODA BoomPro
  • Antlion Modmic
  • Antlion ModMic Wireless
Headphone Sennheiser HD6XX com microfone Antlion ModMic Wireless. Fonte: EposVox (YouTube)
Headphone Sennheiser HD6XX com microfone Antlion ModMic Wireless. Fonte: EposVox (YouTube)

Porque você não deve comprar um headset gamer USB

Um headset gamer com cabo USB é limitado ao que o fabricante projetou, impossibilitando possíveis melhorias significativas em seu desempenho. Isso ocorre devido ao fato de que ao utilizar um cabo digital, há a necessidade de implementação de um conversor de sinais, o DAC (Digital to Analog Converter). Por tabela, além da adição de um DAC, é necessário ainda um amp (amplificador), pois o sinal necessariamente precisa ser amplificado para que o diafragma do headphone se mova.

Ao adicionar um DAC e amp no cabo USB ou no corpo do fone, nada garante que os componentes e o projeto sejam de má qualidade, afinal, isto encarece o custo final do headset. Por este motivo, é preferível adquirir um headphone com conector analógico de 3,5mm ou 6,35mm, que permite a conexão a um amplificador de qualidade ou uma solução integrada de DAC/amp mais bem projetada. Isto possibilitará extrair o máximo que o headset tem a oferecer.

Exemplos de DAC/amp com entrada para microfone:

  • Schiit Audio Fulla 3
  • Schiit Audio Hel
DAC/amp com entrada para microfone Schiit Audio Hel. Fonte: mmorpg
DAC/amp com entrada para microfone Schiit Audio Hel. Fonte: mmorpg

Porque você não deve comprar um headset gamer Bluetooth

Infelizmente, a tecnologia Bluetooth ainda é limitada em termos de transferência de dados de áudio, na transmissão do som do headphone e do microfone. Isso acontece devido a falta de banda para a emissão (microfone) e recepção (headphone) dos sinais de áudio. Para tentar manter a qualidade geral, os fabricantes, na maioria das vezes, acabam sacrificando a largura de banda do microfone e deixar a maior parte para o áudio do headphone.

Headset Wireless Logitech G935. Fonte: tomsguide
Headset Wireless Logitech G935. Fonte: tomsguide

Por conta disto, há duas escolhas que podem ser feitas para manter uma qualidade de áudio mínima:

- Utilizar um headset Bluetooth com um microfone comprado a parte;

- Utilizar um headset com cabo;

Porque você não deve comprar um headset gamer com 5.1 ou 7.1 canais

Antes de falar o motivo pelo qual não compensa comprar headsets gamer com 5.1 ou 7.1 canais, é necessário explicar o que é o áudio multicanal, também conhecido como som surround.

Som Surround ou Áudio Multicanal

O som surround, também conhecido como áudio multicanal, é um tipo de som que foi criado com o objetivo de fazer com que o som pareça "cercar o ouvinte" em 360 graus. A intenção deste tipo de tecnologia, é que a pessoa tenha a impressão de que os sons gerados estão vindo de todas as direções possíveis.

O áudio multicanal foi criado na tentativa de reproduzir uma experiência que seja mais realista e envolvente para o ouvinte. Tirando os aspectos técnicos, esse tipo de audio funciona através de vários canais de áudio que são reproduzidos através de alto-falantes posicionados em locais estratégicos da sala. Isso é criado a partir da fonte (arquivo de áudio) que depois são decodificados por diferentes tecnologias como, por exemplo, o Dolby.

Sistema multicanal de caixas Klipsch com Dolby Atmos. Fonte: bestofhighend
Sistema multicanal de caixas Klipsch com Dolby Atmos. Fonte: bestofhighend

O som surround pode ser criado se houver pelo menos quatro canais de áudio, podendo ir, por exemplo, até sete canais. Geralmente ele é descrito através dois digitos separados por um ponto decimal (4.1,5.1,6.1,7.1, etc) para saber quantos alto-falantes compõem o sistema.

O que você precisa para ter o som surround ou audio multicanal

Para ser possível a reprodução de um som surround, é necessário um circuito que tenha suporte para um sistema de no mínimo quatro canais, um processador para audio (DAC) com amplificador multicanal (AV preamp/processor) e drivers (alto falantes).

Sistema de caixas com 7.1 canais
Sistema de caixas com 7.1 canais

O número e o tipo de alto falantes, assim como seu posicionamento e distância, é apenas uma parte da equação. Para que seja possível obter esse tipo de som, você precisará também ter o conteúdo de áudio compativel com o que o circuito suporta para ser possível o processamento e reprodução.

Surround virtual ou multicanal virtual

Para que seja possível decodificar e processar o áudio surround, mencionado acima, por soundbars ou par de caixas ou headphones, é preciso ser desenvolvido algo diferente.

O áudio multicanal virtual infelizmente não é realmente de fato um som surround, mas a utilização de diversas tecnologias que empregam mudança de fase, atraso de som, reflexão (reverb) de som entre outras técnicas, para enganar os ouvidos, fazendo com que a pessoa pense que realmente está ouvindo um som sorround.

O surround virtual pode ser reproduzido de duas formas: receber um sinal estéreo e fornecer um processamento parecido com um áudio multicanal ou receber um sinal de áudio multicanal (5.1 ou 7.1, por exemplo) e "mixá-lo" em dois canais (som estéreo) tentando simular um som surround com apenas um par de alto-falantes.

Som Surround ou áudio multicanal real em fones de ouvido

Já faz alguns anos que empresas fabricantes de peças de computador resolveram desenvolver ou pagar empresas terceirizadas para criar fones de ouvido voltados para jogos no PC ou consoles. Para convencer os jogadores de que estes fones "dedicados à jogos" valiam a pena, os fabricantes precisavam de algo para convencê-los e através de pesquisas, chegaram à conclusão de que o que esse público mais queria era uma imersão maior no jogo e ao mesmo tempo um headphone que conseguisse uma capacidade melhor de posicionamento/direcionamento dos sons.

Aproveitando que o áudio multicanal reproduzido através de home theaters estava cada vez mais comum nos lares das pessoas e que ele prometia exatamente o que o "público gamer" queria, a indústria criou uma das maiores jogadas de marketing já criadas da história (junto com os fones de ouvido Beats), os headphones "voltados para jogos" ("headphones gamer") com multicanal.

A ideia de tentar recriar o áudio multicanal reproduzido por caixas de som em um fone de ouvido parece genial para uma pessoa leiga. É exatamente esse o ponto da sacada dos fabricantes que agora cobram um valor altíssimo pelo fato dos seus headphones possuírem tal tecnologia, porém o que realmente ocorreu é que infelizmente o benefício prometido não era o que realmente se entregava.

Headset Razer tiamat 7.1 v2. Fonte: Razer
Headset Razer tiamat 7.1 v2. Fonte: Razer

Se você, leitor, leu com atenção tudo o que foi dito e mostrado acima neste artigo, irá perceber que a reprodução real de um áudio surround em um fone de ouvido é fisicamente impossível por questões de espaço, angulação e posicionamento entre os alto-falantes. E consequentemente, por conta disso, o resultado que se tem com a tecnologia implementada pelos fabricantes no desenvolvimento dos "fones de ouvido gamer" é um headphone caro e com um desempenho sonoro inferior.

Se comparado aos headphones estéreo, os "headphones gamer" acabam possuindo, na maioria das vezes, quando possuem "áudio multicanal", um desempenho inferior comparando na mesma faixa de preço. Os fones de ouvido com dois canais conseguem proporcionar uma qualidade de áudio superior e suprir ao mesmo tempo o que o público gamer tanto almeja em jogos que é espacialidade, posicionamento dos sons e definição melhor.

Algumas indicações de headsets

Pensando em dar um norte para as pessoas que apesar das dicas acima de comprar um headphone e microfone separados, ainda querem um headset, fiz uma pequena seleção de bons headsets. Confira a lista (estou aberto a sugestões):

  • Cooler Master MH-751
  • Cougar Phontum S
  • Havit HV2002D
  • Hyperx Orbit
  • Sennheiser GSP300
  • Sennheiser PC37X
  • Steelseries artics 5
  • Xanova Juturna

Conclusão

Infelizmente, a grande maioria dos headsets gamers não valem o que é cobrado por eles. Entretanto, vejo que isto está começando a mudar com a vinda de modelos feitos por fabricantes como, por exemplo, a Audeze (Mobius, LCD-GX), a Kingston HyperX (Cloud Orbit) e a Audio Technica (ATH-PDG1a, ATH-G1). Espero que surjam cada vez mais modelos que sejam feitos pensando na qualidade e não em itens de "perfumaria" para fazer marketing do produto.

Headset com driver planar magnético Audeze Mobius. Fonte: audioxpress
Headset com driver planar magnético Audeze Mobius. Fonte: audioxpress

Esse artigo é feito em parceria com o Grupo Fones de Ouvido High-End: