Acessibilidade x Web: avanços existem, mas obstáculos são maiores

Muitos não conseguem imaginar a cena de uma pessoa com deficiência visual total, por exemplo, utilizando sozinho a ferramenta social Twitter ou se comunicando com os amigos através de e-mail, MSN, Facebook e outros.

Por | @larissaroliim Softwares

Muitos não conseguem imaginar a cena de uma pessoa com deficiência visual total, por exemplo, utilizando sozinho a ferramenta social Twitter ou se comunicando com os amigos através de e-mail, MSN, Facebook e outros. O mais fascinante é que isso acontece muito graças à evolução da acessibilidade na Web.

Existem vários vídeos na Internet com exemplos de superação na vida através da tecnologia - depoimentos como os de Leda Lúcia, Marco Antônio de Queiroz e Alexandre Araújo são inspiradores e servem de base para novos avanços.

Veja mais sobre acessibilidade e usabilidade :

A acessibilidade na Web não se restringe à deficiência visual, seja ela total ou parcial. Pessoas com deficiência motora ou qualquer outra que a impossibilite de utilizar um computador de modo tradicional (mouse) precisa ser amparada por uma navegação que seja acessível.

Acessibilidade x Web: avanços existem, mas obstáculos são maioresLeitores de texto - A ideia parece simples. É preciso um computador, um teclado e um programa que lê todas as ações e os textos na máquina - a chamada tecnologia assistiva. O mais citado é o Jaws for Windows, pois suporta leitura, inclusive, de páginas em Flash, mas existem outros leitores, como Window-eyes, Real-Speak e NVDA. No entanto, são muitos os obstáculos ainda encontrados por quem utiliza os programas de leitura de texto.

De acordo com Leda Lúcia, em vídeo na Internet, o leitor de textos lê uma coisa de cada vez, da esquerda para a direita e de cima para baixo. Logo, se a notícia principal - ou se a notícia que ela quiser ler - estiver no centro da página, ela terá que passar por todos os links do site (através das setas direcionais do teclado ou através da tecla TAB) até chegar até a notícia que ela deseja. Outro problema são os sites de bancos que, por medida de segurança, pedem para digitar a senha em um teclado virtual, com acesso restrito ao mouse.

Tem mais. Sabe aqueles sites em que você precisa digitar um código, geralmente um mix de letras e números distorcidos e que até quem possui visão saudável mal consegue acertar? Esses códigos são um martírio para quem tem deficiência visual, pois os leitores não conseguem ler os códigos. Neste caso, é preciso contar com ajuda de outra pessoa, acabando com sua autonomia.

No entanto, alguns sites que se preocupam com a questão da acessibilidade dispõem do ícone “reproduzir em áudio”, solução simples e de grande impacto na vida de pessoas com esse tipo de deficiência. Outra solução tão simples quanto - e que ajudaria, inclusive, pessoas sem deficiência seria substituir aqueles códigos terríveis por perguntas simples, como “uma semana possui quantos dias?” ou “qual o primeiro mês do ano?” e assim por diante.

 

Informática para deficientes

A metodologia para o deficiente que vai começar a estudar informática é básica. O primeiro passo é dominar o teclado e a técnica é a mesma utilizada na antiga datilografia. As letras F e H, por convenção, possuem na base um alto relevo que ajuda a pessoa a se localizar no teclado. A tecla número 5 também possui alto relevo em sua base.

Quando o aluno se sente seguro em relação ao teclado, ele passa a conhecer o programa que lê os textos no computador e é introduzido a todos os programas como Word, Excel, Outlook, Internet, etc. É a partir daí que a limitação nas ruas se torna ilimitada no computador - a pessoa com deficiência é mais uma pessoa comum, que bate-papo, lê notícias, acessa redes sociais, realiza transações bancárias, participa de fóruns de discussão de sua área de interesse, aprimora seu trabalho, dentre milhares de outras ações. 

 

Acessibilidade

Os webdesigners precisam atentar-se ainda mais à temática, pois até mesmo as pequenas mudanças têm proporções imensuráveis a quem possui limitações. Legendas para fotos e textos explicativos para vídeos ajudam deficientes auditivos. Um site com boa navegabilidade via teclado e com barras de rolagens mais grossas ajuda pessoas com deficiência visual e motora. A página possuir descritor por trás de cada imagem ou link possibilita o leitor de texto a transmitir informações ao seu usuário (são textos descritivos que só aparecem quando as imagens não são exibidas, logo, não atrapalha no visual da página e ainda a torna mais acessível). Opções como aumentar ou diminuir a fonte dos textos também parece detalhe, mas é acessibilidade.

Existem diretrizes internacionais de acessibilidade que visam orientar os criadores de site. 

 

Exemplo de acessibilidade

O site Sentidos: a inclusão social da pessoa com deficiência é exemplo de acessibilidade. A página dispõe de legenda explicativa para cada link, recursos de acessibilidade como um software que traduz o texto em libras, software que faz a leitura do texto em voz, software acessível para pessoas com deficiência visual, ferramenta para aumentar e diminuir a fonte dos textos e ferramenta para alterar o contraste das cores.

Parecem detalhes, mas são a base que torna possível a interação autônoma do deficiente com o resto do mundo.

Recomendo – www.bengalalegal.com / www.acessibilidadelegal.com / sentidos.uol.com.br

Mais sobre: acessibilidade usabilidade internet
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo

Siga nossas contas no Twitter