Review dos fones de ouvido in-ear Final Audio E5000 e B3

Aqui eu faço a análise (review) dos fones de ouvido in-ear Final Audio E5000 e B3. Em meio a este conteúdo, ainda há uma entrevista com a Final Audio com diversas curiosidades sobre a empresa. Espero que gostem!

in-ear Final Audio E5000 e B3
in-ear Final Audio E5000 e B3

Alguns de vocês já devem saber que eu estava analisando os fones in-ear Final Audio E5000 e B3. Peço desculpas pela grande demora entre o momento que os recebi para análise e a publicação, mas foi por um bom motivo e creio que muitos apreciarão o conteúdo deste texto.

Tudo começou quando conheci o modelo intra-auricular de entrada da Final Audio, o E1000. Seu som e encaixe me agradaram tanto que resolvi, após algum tempo, entrar em contato com a fabricante japonesa. Tenho muito a agradecer pelo atendimento exemplar que tive desta empresa e sempre, mesmo com uma certa demora para as respostas, fui tratado muito bem e com uma simpatia sem igual (tanto que eu nem me importava mais, depois de um certo tempo, que houvesse um "atraso" para o feedback de meus e-mails). Devido a esta experiência, resolvi ir além, e após realizar a análise dos fones, pedi para que a equipe da Final Audio respondesse a uma entrevista sobre a companhia e seus produtos.

A entrevista com a Final Audio

Como eu disse acima, para que o texto ficasse ainda mais rico, resolvi realizar algumas perguntas para a Final Audio devido ao atendimento que tive. Espero que gostem!

1 - Quando a Final Audio foi fundada, qual foi o desejo que deu início a tudo?

Para trazer o melhor som para pessoas que apreciam música. Há 50 anos, a Final foi criada e nosso primeiro produto foi um cartucho de capsula fonocaptora (phono cartridge ou turntable cartridge). Com curiosidade e nosso profundo interesse por áudio, ampliamos nosso campo lentamente em amplificadores e caixas de som.

Depois de entrar no mundo do HiFi, passamos a conhecer cada vez mais pessoas apaixonadas por música (era um mercado bastante pequeno naquela época), fazendo amigos, ouvindo seus desejos, e percebemos que, com nosso conhecimento, aceitamos o desafio de começar a fazer um sistema HiFi personalizado. A equipe visitava a casa do cliente, analisava seu sistema atual, procurando entender que tipo de som ele estavam procurando, e começavam a trabalhar dando sugestões, modificando, criando novas peças e testando-as bem na frente do cliente até o ponto onde o cliente ficasse satisfeito e feliz.

O processo consome muito tempo e às vezes é frustrante, mas é muito agradável porque sempre que um projeto é concluído, melhoramos a nossa técnica e também ficamos muito felizes em poder trazer o "som definitivo" (ultimate sound no original) que o usuário deseja trazer para a realidade.

2 - O que a Final Audio busca ao escolher os materiais (ou peças) que serão utilizados em seus produtos?

Existem muitos aspectos a serem considerados quando chegamos ao material. Por exemplo, os materiais usados para o diafragma do driver devem ter boas características sônicas, enquanto o material para a caixa (house ou corpo do fone/caixa de som) deve ser durável. Obviamente, os materiais também contribuem para a aparência do produto.

Para o diafragma do driver, a velocidade do som, a leveza e a massa são nossas primeiras considerações. A velocidade do som e a leveza são consideradas características naturais do próprio material. No entanto, nem todo material é adequado para ser utilizado no diafragma. Existem 2 fatores principais, alguns materiais podem ter características ruins que estão fora do desempenho sônico pretendido. Se você tem um material com características sônicas perfeitas, mas quando sujeito a vibração, ele se rompe, então este não é adequado para ser utilizado no diafragma. A segunda limitação é a tecnologia de fabricação. Devido à rigidez e elasticidade do próprio material, alguns materiais podem ficar muito finos, mas outros não. Se um material leve não pode ser processado na espessura pretendida, como resultado, o material pode ficar mais pesado do que se fosse utilizado um composto mais denso que poderia ser processado na espessura adequada para o projeto.

Fone in-ear Final Audio A8000. Fonte: Final Audio
Fone in-ear Final Audio A8000. Fonte: Final Audio

Mas o interessante é que muitos materiais podem ser melhorados adicionando-se outras substâncias. Ao fazer isso, alguns materiais que não eram bons podem se tornar excelentes após a modificação. No entanto, esse processo normalmente leva muito tempo.

Observação do redator (Vitor): Quando citaram a questão da adição de outras substâncias aos materiais, temos grandes exemplos desta aplicação atualmente como, por exemplo, a adição de titânio ou berílio ao material do diafragma.

3 - Na hora de projetar produtos, quais são as maiores preocupações do Final Audio?

Qualidade de som porque é por isso pelo qual somos apaixonados e é isso o que somos. É muito comum percorrermos um caminho difícil para alcançar a característica sonora que procuramos.

Para alcançar a melhor sonoridade com o que temos, desafiamos processos de fabricação que outras marcas nunca considerariam. Às vezes, para alcançar o objetivo que desejamos, embora saibamos que um projeto específico causaria muitas falhas durante a produção em massa, estamos dispostos a correr o risco, porque seria muito decepcionante se não pudéssemos alcançar o desempenho que desejamos.

Headphone Final Audio D8000 Pro Edition. Fonte: Final Audio
Headphone Final Audio D8000 Pro Edition. Fonte: Final Audio

Somos um grupo de pessoas que ama um bom som. Ficamos satisfeitos quando nosso produto atinge um nível que muitos não conseguiam. Claro, nem todos concordam com o som que criamos, porque cada um tem sua preferência. Mas sempre damos o nosso melhor para fazer o que acreditamos ser o melhor com base na ciência e na matemática, ao invés de seguir a tendência do mercado para ganhar mais dinheiro.

A música é o nosso hobby, criar som também é o nosso hobby. Seria muito enfadonho se fizéssemos as coisas de uma maneira que não é de fato divertida e interessante para nós.

4 - Quando um cliente compra um produto Final Audio, como é o serviço de pós-venda? Isso se aplica apenas ao Japão ou ao resto do mundo?

A maioria dos nossos produtos vem com 2 anos de garantia e apenas a linha mais barata vem com 1 ano. Como somos uma empresa sediada no Japão, oferecemos nosso serviço direto ao cliente que mora no Japão.

No entanto, quando vamos para o serviço fora do Japão, é claro que o cliente pode entrar em contato conosco através do nosso e-mail, que pode ser encontrado em nossa página inicial e estamos muito felizes em oferecer nosso serviço, mas quando se trata de reparo de produto, o envio internacional pode ser muito difícil, pois consome muito tempo e custos.

Felizmente, temos nossos distribuidores autorizados nos Estados Unidos, no Reino Unido, em alguns países da União Europeia e na maior parte da região da Ásia. Eles são sempre muito úteis para nos ajudar a fornecer serviços aos clientes que estão próximos a eles.

5 - O Final Audio A8000 intra-auricular é conhecido por usar um driver dinâmico feito de berílio, uma tecnologia recente no mundo dos fones de ouvido. Quais são os planos da empresa para 2021: Implementar novas tecnologias ou melhorar os modelos existentes?

Como uma empresa séria de áudio, é claro, nos engajarmos na criação de coisas novas que ainda não estão disponíveis no mundo e é isso pelo o qual somos apaixonados, e essa também é a razão pela qual permanecemos neste campo por quase 50 anos.

Em 2021, desafiaremos novos campos, como True Wireless, sistema de caixas de som, voltando ao cartucho de capsula fonocaptora (phono cartridge ou turntable cartridge), e ainda há muitas coisas que queremos experimentar. No entanto, como nossos recursos são bastante limitados, e também nossa natureza que anseia pela perfeição, embora muitos dos projetos tenham começado há bastante tempo, nossos engenheiros estão trabalhando muito duro para atingir o potencial máximo com o que eles têm agora. Porém, não é uma tarefa fácil.

Fones in-ear TWS Final Audio edição Evangelion. Fonte: Final Audio
Fones in-ear TWS Final Audio edição Evangelion. Fonte: Final Audio

Na Final Audio, temos um plano de com qual meta queremos atingir e quando, mas em 99% das vezes estes planos nunca se completaram a tempo, pois comprometer a qualidade para cumprir o cronograma não é o nosso caminho.

Vamos criar coisas novas? Sim, mas não podemos prometer quando elas serão apresentadas à comunidade.

Vamos melhorar os modelos existentes? Sim, mas não gostamos da ideia de uma versão 2 de um produto, preferimos aprender a minimizar as fragilidades dos produtos atuais, e utilizar este novo conhecimento para criar algo ainda melhor com um design completamente novo.

O review dos fones de ouvido intra-auriculares Final Audio E5000 e B3

Fundada há quase 50 anos no Japão, a Final Audio é uma fabricante especializada em equipamentos de áudio HiFi. A empresa vem ganhando cada vez mais espaço no mercado de fones de ouvido mundial devido ao material e acabamento premium de seus fones de ouvido, além de um som único em alguns modelos. Venho através deste artigo apresentar a desenvolvedora de fones de ouvido, por meio de uma entrevista, e também descrever dois intra-auriculares da marca que estão fazendo muito sucesso nos últimos anos, o Final Audio E5000 e o Final Audio B3.

Construção

Aqui explanarei sobre a durabilidade e qualidade dos materiais utilizados nos fones de ouvido, além do conforto durante o uso por um longo período. Para ser justo, testei os fones por dois meses em que pode observar cada detalhe com calma, aprendendo sobre a estrutura dos dois modelos que recebi da Final Audio.

Final Audio E5000

O in-ear Final Audio E5000 possui um corpo de aço inox com formato cilíndrico, que embora pareça ser simples, consegue apresentar as vantagens do projeto de forma eficiente. Externamente você percebe que houve um grande cuidado para que a finalização fosse impecável, mostrando um design espelhado de uma peça única em metal, evitando assim vibrações indesejadas (causadas por seu alto-falante) ou descolamento de peças. A peça onde é conectado o cabo do fone, que é removível, é a única parte da house (corpo do fone) que é feita em plástico (com boa qualidade) onde há um conector MMCX.

Fone in-ear Final Audio E5000. Fonte: Vitor Valeri
Fone in-ear Final Audio E5000. Fonte: Vitor Valeri

Por possuir um formato cilíndrico reto e não ter um corpo muito grosso, o E5000 é um fone que se encaixa facilmente no canal auditivo do ouvido com facilidade. Devido ao fato deste formato simples, é possível se encaixar o fone tanto com o cabo virado para baixo (mais tradicional) quanto com o fio saindo por cima, passando por trás da orelha. Este aspecto fez com que este modelo da Final Audio se tornasse um dos IEMs (in-ear monitors) mais confortáveis que já pude utilizar, perdendo somente para os CIEMs (custom in-ears monitors), que possuem o formato do canal auditivo do usuário.

Fone in-ear Final Audio E5000. Fonte: Vitor Valeri
Fone in-ear Final Audio E5000. Fonte: Vitor Valeri

Mas nem tudo são flores, o cabo que vem tanto com o Final Audio E5000 quanto com o B3 não me agradou. Embora os fios do cabo sejam muito finos, apresentam certa rigidez, podendo causar microfonia e atrapalhando no momento de colocar os fones. O problema da rigidez se mostra mais evidente quando o cabo passa por cima da orelha, onde não há uma fixação ou algo para guiar o fio rente ao ouvindo, acompanhando a curva da orelha.

A Final Audio chegou a fornecer Ear hooks (gancho que abraçam o cabo) para tentar evitar a microfonia, mas estas peças não possuem o mesmo conforto do fino cabo que foi desenvolvido. O ideal seria revestir a região onde o cabo apoia no ouvido com um plástico mais rígido, com uma leve inclinação para o lado da cabeça. Entretanto, esta ideia pode se tornar um problema, caso a pessoa prefira utilizar o E5000 com o cabo virado para baixo, embora eu não ache essa forma a mais confortável de se utilizar o fone de ouvido.

Outro ponto que tenho a falar sobre o cabo é com relação ao divisor em Y (Y-splitter), que por ser um pouco mais pesado do que o ideal, trouxe um certo desconforto comparado com outros cabos que possuo.

Final Audio B3

A "B séries" é uma linha da Final Audio que, através de pesquisas, a empresa procurou a cada modelo lançar uma sonoridade que agradasse mais as pessoas. Ou seja, cada modelo desta série possui uma sonoridade diferente e não necessariamente o B3 será melhor que o B1. Um funcionário da Final Audio explicou dizendo:


"A nomenclatura de B1, B2 e B3 não é baseada na revisão. O B1 foi chamado de B1 porque foi o primeiro que veio à mente de nossos engenheiros quando pensaram na série B. Porém, com o design do B1, ele pode não ser capaz de atender a necessidade de todos, portanto, os engenheiros tentaram usar outros drivers, combinação e design interno para trazer mais irmãos para a série B com o objetivo de cobrir mais a preferência dos usuários."

O Final Audio B3 pertence a terceira geração desta série e possui um corpo feito de aço inox com uma finalização prata fosca (as gerações anteriores possuem finalizações diferentes, porém todo são feitos de aço inox).

Fone in-ear Final Audio B3. Fonte: Vitor Valeri
Fone in-ear Final Audio B3. Fonte: Vitor Valeri

O formato do B3 foi pensado para preencher e acompanhar o formato da concha das orelhas e encaixar de forma mais anatômica no canal auditivo. No início, devido às partes pontiagudas do fone, algumas áreas do meu ouvido ficaram doloridas e confesso que demorei um certo tempo até achar uma posição confortável para utiliza-lo. Não sei se houve alguma adaptação em termos de sensibilidade da pele do ouvido, mas após 1 mês de uso, senti que as pontas da house (corpo do fone) do B3 não me incomodavam mais como antes.

Fone in-ear Final Audio B3. Fonte: Vitor Valeri
Fone in-ear Final Audio B3. Fonte: Vitor Valeri

O cabo do Final Audio B3 também possui um conector MMCX, porém utiliza uma peça em plástico bem discreta, envolvendo somente o bocal do encaixe onde o cabo é inserido. O cabo deste intra-auricular passa somente por cima da orelha, distribuindo parte de seu peso na orelha e ao mesmo tempo amenizando a microfonia. Porém, o mesmo problema do cabo citado acima, durante a descrição da estrutura do Final Audio E5000, aparece também no B3, fazendo com que o cabo saia da orelha (não se apoiando na orelha), ficando pendurado pelo conector MMCX.

O som

Neste tópico, irei descrever as percepções que tive sobre o som ao ouvir os fones de ouvido com diversos estilos musicais (mais MPB, Jazz, rock sem ser pesado, instrumentais, pop, música clássica). Para analisar as nuances da sonoridade de cada modelo, testei os fones por dois meses, percebendo as mudanças de comportamento de acordo com o tipo de música que se ouvia.

Equipamentos utilizados na análise:

  • DAP FiiO X7 Mark II
  • OnePlus 5T
  • Xiaomi Redmi Note 5

Final Audio E5000

O final Audio E5000 possui um driver dinâmico de 6,4mm que em conjunto com o projeto de sua câmara acústica (filtro acústico, entrada para um espaço dedicado a otimizar a pressão gerada pelo diafragma e caminhos para as reverberações causadas pela movimentação do driver se atenuarem de forma a não causar distorções). É impressionante o resultado que a Final Audio conseguiu através de seu projeto, driver, materiais utilizados na house do fone (corpo do fone), além do formato interno para gerar a acústica necessária. Não parece, mas mesmo com o pequeno corpo que tem, o E5000 consegue gerar uma sensação de espacialidade impressionante!

Utilizando o E5000 em diferentes situações, pude perceber que se trata de um fone difícil de empurrar para mostrar todas as suas qualidades. Apesar de possuir uma impedância baixa (14 Ohms), este in-ear tem uma sensibilidade muito baixa (93dB), pedindo assim mais potência para que seu driver dinâmico responda de acordo com o que o engenheiro de som pretendia para se chegar ao desempenho desejado. Utilizando smartphones, pude perceber que os graves eram muito gordos, com muita massa e faltava um pouco de definição (se espalhavam em certos momentos de forma não natural).

A medida que o tempo foi passando, percebi que quanto melhor a amplificação, mais definição, força e profundidade os graves ganhavam e ao mesmo tempo, este aspecto fez com que o fone se torna-se mais equilibrado tonalmente, comparado aos médios e agudos, embora a assinatura sonora do E5000 seja em L (mais graves com médios e agudos neutros). Ao utilizar o cabo balanceado Effect Audio Origin na saída balanceada do FiiO X7 II, que possui uma potência maior que a saída SE (single-ended), obtive um aumento de desempenho considerável nos graves, deixando o intra-auricular da Final Audio mais musical do que já é. Porém, no momento em que coloquei o FiiO X7 com ganho alto (utilizando a saída balanceada), o Final Audio E5000 se transformou, ganhou uma dinâmica e força impressionantes, com graves impactantes, definidos e com grande extensão quando a música pedia.

Quando consegui o desempenho esperado pelos engenheiros em termos de amplificação, a musicalidade, a eufonia que este fone proporcionou foram indescritíveis. Os médios do E5000 possuem um calor impressionante, que juntamente com os agudos macios e os graves com desenvoltura fora da média, entregam uma apresentação espetacular. Os melhores resultados que tive foram com músicas mais antigas, que eram "anêmicas" nos graves, com álbuns de trilhas sonoras (ou original soundtracks) e com músicas eletrônicas (e outros estilos semelhantes).

Final Audio B3

Se o Final Audio E5000 é sinônimo de musicalidade, apresentando uma assinatura sonora muito quente, o Final Audio B3 mostra o veio para mostrar: transparência e doçura. O B3 possui 2 drivers de armadura balanceada (BA ou balanced armature) que são capazes de trazer uma transparência e leveza para a música impressionantes. O som deste intra-auricular não cansa e ao mesmo tempo possui uma pitada de eufonia, não deixando que o fone se torne aquele IEM analítico e frio.

Quando eu digo que o B3 possui uma pitada de eufonia, eu me referia aos seus médios. Que médios deliciosos, onde você sente a voz do cantor ou o dedilhar dos instrumentos de cordas "encostar" nos seus ouvidos. O som gerado nesta faixa de frequência possui um detalhamento, um ataque, uma leveza, que eu nunca havia visto antes, proporcionando uma grande empolgação durante músicas que possuem instrumentos de cordas e vozes.

Mesmo que o Final Audio B3 possua somente drivers de BAs, seus graves não deixam a dever em termos de extensão e rapidez, embora não possua a mesma força, punch, que um driver dinâmico tem, como, por exemplo, o Final Audio E5000. Devido a esta grande velocidade e definição proporcionada pelas armaduras balanceadas, aqui encontramos um fone com grande clareza, focando mais nos médios e agudos, deixando a apresentação dos instrumentos mais transparente.

Talvez, depois desta descrição você pense que os agudos do Final Audio B3 irão ser estridentes. Porém, não é isso que encontrei aqui. A Final Audio conseguiu tunar os drivers e projetar a estrutura do fone de uma maneira que os agudos não ficassem estridentes e incomodassem durante a música, ou seja, mesmo após horas escutando músicas com grande destaque nos agudos, não houve fadiga alguma.

Ao contrário do Final Audio E5000, o Final Audio B3 possui uma sensibilidade mais alta (102dB) com uma impedância de 19 Ohms (baixa), permitindo que qualquer smartphone o empurre bem, ou seja, este in-ear não precisa de uma amplificação forte.

Em termos de espacialidade, o Final Audio B3 também se destaca, conseguindo um excelente nível de palco sonoro e uma boa separação de instrumentos. Neste quesito, o B3 não deixou nada a dever para o meu in-ear custom JH Audio JH5 PRO (fone de ouvido vendido na faixa de 400-500 dólares).

Especificações e preço

Confira abaixo as especificações dos modelos analisados, assim como o preço aproximado de venda (em dólares).

Final Audio E5000

  • Material da house (corpo do fone): Aço inox espelhado
  • Driver: 1 driver dinâmico (DD ou dynamic driver) de 6,4mm
  • Conector do fone (cabo removível): MMCX
  • Cabo: cobre banhado com prata
  • Sensibilidade: 93dB
  • Impedância: 14 Ohms
  • Peso: 24g
  • Tamanho do cabo: 1,2m
  • Preço: US$288

Final Audio B3

  • Material da house (corpo do fone): Aço inox com finalização em prata fosca)
  • Driver: 2 armaduras balanceadas (2 BAs ou balanced armatures)
  • Conector do fone (cabo removivel): MMCX
  • Cabo: cobre banhado com prata
  • Sensibilidade: 102dB
  • Impedância: 19 Ohms
  • Peso: 36g
  • Tamanho do cabo: 1,2m
  • Preço: US$480

Conclusão

Ambos os fones são excelentes em sua faixa de preço em minha opinião. Tanto o Final Audio E5000 quanto o Final Audio B3 possuem uma construção excelente, materiais de qualidade e um som que provavelmente irá agradar a uma grande maioria. O único ponto fraco, a meu ver, é o cabo (facilmente solucionável, já que ambos os modelos possuem a possibilidade de troca de cabos).

Esse review é feito em parceria com o Grupo Fones de Ouvido High-End:

Especial: Série de artigos sobre Fones de Ouvido

Confira a série especial de artigos, em parceria com a Fones High End (Facebook, Instagram, Twitter), onde é mostrada uma nova perspectiva descomplicando tudo sobre fones de ouvido!

Como funciona?

O Som

Tecnologias

Como escolher?

Dicas

Tutoriais

Artigos

Reviews

A História

Entrevistas

Conteúdo relacionado

Review do DAC/amp com entrada para microfone Schiit Audio Hel
Fones de Ouvido

Review do DAC/amp com entrada para microfone Schiit Audio Hel

Confira o review do DAC/amp Schiit Audio Hel, o dispositivo de áudio de alta fidelidade voltado para o mercado gamer, que está cada vez mais presente em diversas áreas.

[Review] Headphone Sennheiser HD6XX
Fones de Ouvido

[Review] Headphone Sennheiser HD6XX

Confira a análise de um dos melhores custo-beneficio do mercado considerando som, conforto e durabilidade! - Sennheiser HD6XX.

[Review] Headphone Kuba Disco - um fone de ouvido nacional
Fones de Ouvido

[Review] Headphone Kuba Disco - um fone de ouvido nacional

Conheça o fone de de ouvido de fabricação e desenvolvimento nacional, o headphone Kuba Disco! Um produto de excelente custo-benefício. Entenda o porque!