Os fones in-ear custom (CIEM ou custom in-ear monitor), chamados de fones in-ear personalizados no Brasil, são ainda pouco conhecidos mesmo havendo empresas que os desenvolvem em território nacional. Eles são um item essencial para aqueles que trabalham com música, especialmente em grandes palcos, onde há muito barulho e não se consegue ouvir o retorno do som vindo das caixas.

Devido a falta de conhecimento da maioria das pessoas, até mesmo daqueles que pensam em investir em um, vi a necessidade deste texto, que pretende esclarecer a maior parte das dúvidas que rondam sobre este tipo de fone de ouvido.

O que são os fones in-ear custom (CIEM)/ personalizados?

Antes de falarmos de fato sobre este tipo de fones de ouvido, temos que saber separar o que é um fone in-ear comum (também chamado de universal) de um fone custom (personalizado). A principal diferença esta na eartip (ponteira ou borrachinha), que o in-ear universal possui e o CIEM não.

Em um fone universal, temos diversos tamanhos, materiais e formatos. Temos essa grande variedade devido ao fato de que o canal auditivo possui curvas, havendo a necessidade de algo que consiga proporcionar um bom selamento (vedação) e que fique firme ao mesmo tempo no ouvido. Além disto, ainda temos outro fator que dificulta a obtenção de um encaixe adequado: os canais auditivos são diferentes entre pessoas e até mesmo entre os ouvidos esquerdo e direito!

Fone in-ear custom JH Audio Layla AION. Fonte: letsgo.com.hk
Fone in-ear universal JH Audio Layla AION. Fonte: letsgo.com.hk

Caso tenha dificuldades de encaixe com o seu fone universal, acesse este tutorial, onde dou algumas dicas para resolver o problema.

Já em um fone in-ear custom, o corpo do fone (house ou shell) é o que será utilizado para o encaixe no ouvido da pessoa. Isso é possível porque a estrutura do fone é feita de acordo com o formato da orelha do usuário, proporcionando assim um encaixe perfeito.

Fone in-ear custom JH Audio JH5 PRO. Fonte: Vitor Valeri
Fone in-ear custom JH Audio JH5 PRO. Fonte: Vitor Valeri

Como são feitos os fones in-ear custom (CIEM)/ personalizados?

Para se fazer um fone customizado (personalizado), não é um processo rápido, ele exige um certo tempo devido aos processos de fabricação e também porque exige o molde do ouvido da pessoa ou uma versão digitalizada do mesmo (explicarei sobre mais adiante). O primeiro passo é tirar o molde do seu ouvido, e normalmente ele é feito em clínicas de aparelhos auditivos (você não precisa ir até a empresa responsável pela fabricação do fone).

O método mais utilizado atualmente para tirar o molde do ouvido de uma pessoa, é através da utilização de uma combinação de massas, que possuem compostos que ao entrar em contato um com o outro, começam a endurecer lentamente (semelhante ao durepoxi). Para confeccionar o molde desta forma, são seguidas as seguintes etapas:

  1. Antes de inserir esta massa no ouvido, um profissional fonoaudiólogo irá colocar, utilizando uma pinça, um algodão preso a um cordão dentro do seu canal auditivo.
  2. Em seguida, ele irá pegar uma seringa, misturar as massas citadas acima e inserir dentro da orelha. Mas antes disso, você deverá utilizar um apoio para manter a mandíbula aberta (se não tiver um mordedor, utilizado por dentistas, ou um isopor em forma de quadrado, use dois dedos)
  3. Depois de inserir a massa no canal auditivo, você irá esperar alguns minutos, até que a massa endureça (a sensação de sua audição vai ficar estranha, mas não se preocupe, é normal).
  4. Com a massa endurecida, o fonoaudiólogo irá tirar cuidadosamente a massa do seu ouvido. Pronto, está feito o molde! Agora é só o enviar para a fabricante de fones de ouvido in-ear custom (personalizado).

Confira abaixo um vídeo para ilustrar o processo melhor:

Há um método para tirar as impressões do formato do ouvido que se utiliza de um aparelho com lasers. O processo consiste em um profissional fonoaudiólogo colocar uma estrutura em sua cabeça que parece uma régua, só que circular, para ter uma base para iniciar o processo. Em seguida, ele irá ativar o disparo dos lasers que irão scanear todo o seu ouvido, criando uma versão 3D dele, que depois será processada por um software e enviada para a empresa responsável pela fabricação do fone.

A única empresa que conheço responsável por utilizar a tecnologia de scaner citada acima, é a Ultimate Ears. Confira abaixo um vídeo demonstrativo do processo para ilustrar melhor:

Em quais atividades os fones in-ear custom (CIEM)/ personalizados são recomendados?

Os fones in-ear custom podem ser utilizados para mais de um propósito, mas o principal é o retorno de palco, onde a caixa de som que é utilizada para o músico ouvir a banda é substituída por um CIEM que irá trabalhar em conjunto com um transmissor sem fio, que geralmente fica preso a roupa. Um fone in-ear personalizado também pode ser utilizado para auxiliar operadores de mesa de som, engenheiros de masterização, engenheiros de mixagem.

Artista Robert Trujillo no palco com o fone in-ear custom JH Audio JH11. Fonte: jhaudio (Twitter)
Artista Robert Trujillo no palco com o fone in-ear custom JH Audio JH11. Fonte: jhaudio (Twitter)

É importante salientar que, ao falar que o CIEM irá auxiliar na tarefa, eu quero dizer que ele vai ajudar apenas, e não substituir a utilização de monitores de áudio (caixas de som).

Os CIEMs podem auxiliar também em ocasiões, que não as de palco de shows, onde há muito barulho e a pessoa necessita de uma audição crítica no momento. É o caso de maestros de escolas de samba durante o Carnaval, de jogadores profissionais em competições de e-sports (jogos de computador, de celular ou de consoles). Há também pessoas que utilizam os fones in-ear custom somente para obter uma maior qualidade de som, os famosos hobbystas, entusiastas, audiófilos.

Benefícios que os fones in-ear custom (CIEM)/ personalizados trazem

O principal benefício do fone in-ear custom é o isolamento dos ruídos externos, que chega, em média, a -25dB, sem estar em funcionamento. Ao ouvir uma música ou escutar o retorno do palco, a atenuação do barulho fica consideravelmente melhor e consequentemente proporciona uma audição mais limpa do som. Isso é proporcionado pelo próprio formato fone personalizado, que proporciona um excelente nível de fit (selamento) além de "jogar" o som de maneira mais profunda no canal auditivo. Somando estes atributos ao conforto proporcionado pelo CIEM, o fone de ouvido se torna ideal para quem quer ficar utilizando-o por várias horas, sem incomodo algum.

Bateirista com fone in-ear custom Empire Ears (modelo exato não mencionado). Fonte: empireears (Twitter)
Bateirista com fone in-ear custom Empire Ears (modelo exato não mencionado). Fonte: empireears (Twitter)

É importante lembrar que para obter todos os benefícios citados acima como conforto, isolamento, audição limpa, é necessário seguir atentamente aos procedimentos para se tirar o molde dos ouvidos e escolher um bom profissional fonoaudiólogo.

Outro ponto interessante dos CIEMs é o cabo ser removível, ou seja, é possível trocá-lo por um novo caso o atual venha a apresentar problemas de mal contato. Em in-ears custom, temos a utilização de dois tipos de conectores que se encaixam nos fones, o 2-pin, o mais utilizado atualmente, e o MMCX.

Cabo premium 2-pin Effect Audio Vogue Series  conectado ao CIEM JH Audio JH5 PRO. Fonte: Vitor Valeri
Cabo premium 2-pin Effect Audio Vogue Series conectado ao CIEM JH Audio JH5 PRO. Fonte: Vitor Valeri

A maioria dos cabos stock (que vem com o fone) dos CIEMs, que tem soldado o conector 2-pin, possuem os pinos com uma espessura entre 0,73mm e 0,80mm. Pesquisas da fabricante de cabos premium Effect Audio mostraram que a espessura de 0,78mm é a mais adequada, pois garantem uma durabilidade maior (não quebram) e também oferecem uma melhor conectividade. Cabos com conectores 2-pin com espessura menor que 0,78mm tendem a ser menos duráveis, enquanto os com espessura maior que 0,78mm tem tendência a danificar os in-ears custom.

Conectores 2-pin dos cabos premium da Effect Audio. Fonte: Vitor Valeri
Conectores 2-pin dos cabos premium da Effect Audio. Fonte: Vitor Valeri

Tecnologias empregadas nos fones in-ear custom (CIEM)/ personalizados

Apesar da principal (mais comum) tecnologia utilizada em fones de ouvido in-ear custom ser a de drivers de armadura balanceada (BAs ou Balanced Armature), há projetos híbridos que se utilizam de drivers dinâmicos (DD ou dynamic drivers) em conjunto com as BAs. Para realizar projetos utilizando somente BAs ou DDs em conjunto com BAs, é necessário a utilização e desenvolvimento de crossovers (placas de circuito), que irão definir qual parte do som gerado um determinado driver irá trabalhar.

Saiba quais são os tipos de tecnologias existentes nos fones de ouvido neste artigo. Nele, eu explico sobre cada tipo de driver e seu funcionamento.

Drivers de armadura balanceada e drivers eletrostáticos. Fonte: lxear.ro (Instagram)
Drivers de armadura balanceada e drivers eletrostáticos. Fonte: lxear.ro (Instagram)

É um processo complexo produzir um CIEM com um bom som, não basta só colocar 3, 4, 6, 12, 18 armaduras balanceadas dentro do fone de ouvido. Isso não irá dar ao in-ear custom qualidade de som. O resultado final, do som produzido, depende de uma série de fatores como: a forma como é desenvolvido o crossover, os drivers utilizados (seja BA ou DD); o comprimento, a espessura e o material dos tubos que guiam o som dos drivers até o bocal; os filtros utilizados nos tubos; o ajuste fino dos drivers (existem customizações de BAs), entre outros.

Saiba mais sobre a questão da quantidade de drivers neste artigo.

Um ponto importante de se lembrar, é que não é fácil criar um fone personalizado híbrido, pois as características dos comportamentos dos tipos de drivers utilizados são completamente diferentes. Isto torna o processo de desenvolvimento do CIEM muito mais complexo, caso o desenvolvedor queira fazer algo de qualidade.

Onde posso comprar fones in-ear custom (CIEM)/ personalizados?

Atualmente, existe uma boa quantidade de opções de empresas desenvolvedoras de CIEMs, tanto em território nacional quanto internacional. Entretanto, obviamente, fora do país as opções aumentam consideravelmente, tanto em termos de modelos quanto de preço quanto de tecnologias empregadas. Algumas empresas no exterior, por exemplo, começaram a utilizar drivers eletrostáticos para produzir sons agudos mais definidos e com mais extensão.

No Brasil, as principais empresas responsáveis pela comercialização de fones in-ear personalizados são:

  • Audio Dream
  • Audiocare (responsável por vender CIEMs da Westone)
  • Ear Sound
  • Kuba (Audio Dream é responsável pela produção da linha Kuba Pro, que são CIEMs com ajustes finos de acordo com a proposta da empresa)
  • Xtreme Ears

No exterior, as principais empresas que desenvolvem e produzem fones in-ear custom são:

  • 64 Audio
  • Advanced Acousticwerkes (AAW)
  • Avara Custom
  • Earsonics
  • Empire Ears
  • Fit Ear
  • JH Audio
  • Jomo Audio
  • Noble Audio
  • Oriolus
  • QDC Custom IEM
  • Ultimate Ears
  • Unique Melody (fabricante chinesa de fones custom com representação no Brasil)
  • Vision Ears
  • Westone

Alguns vídeos interessantes mostrando o processo de fabricação de um fone in-ear custom (CIEM)/ personalizados

Confira abaixo alguns vídeos interessantes onde são mostradas algumas etapas da confecção de fones in-ear custom.

Esse artigo é feito em parceria com o Grupo Fones de Ouvido High-End: