Em fevereiro de 2020 o Banco Central anunciou um novo meio de pagamento para os bancos, o Pix. A nova modalidade de pagamento, ao invés de demorar vários minutos e ter horário para realizar pagamentos, como o TED e o DOC, permitirá que o usuário realize transferências e pagamentos para qualquer banco em até 10 segundos! Além disto, o Pix pode ser feito em qualquer dia, mesmo que seja feriado ou final de semana, o que torna as transferências muito mais eficientes que os outros meios de pagamento.

Entenda como o Pix irá funcionar, como fazer para ter esta funcionalidade e quando você terá acesso a ela.

Afinal de contas, o que é o Pix?

O Pix é um novo meio de pagamento criado pelo Banco Central para facilitar a transferências de dinheiro entre pessoas, o pagamento de contas, impostos, serviços, entre outras cobranças. O grande diferencial desta modalidade de pagamento/transferência é a liberdade e rapidez para realizar o processo.

Hoje o TED e o DOC possuem dias e horários específicos para conseguir realizar alguma transferência ou pagamento, porém com o Pix será possível fazer isto a qualquer hora em qualquer dia, não importando se é feriado, sábado ou domingo. Além disto, o processo de transferência do dinheiro ocorrerá em apenas 10 segundos!

Vale salientar que o Pix poderá ser utilizado tanto por pessoas físicas quanto jurídicas (empresas).

O que faz o Pix ser tão rápido? Como funciona?

O Pix funcionará através de um sistema chamado SPI (Sistema de Pagamentos Instantâneos). Trata-se de uma tecnologia que irá possibilitar transferências em tempo real entre as instituições bancárias que participação do Pix. Este sistema será gerido pelo Banco Central através do Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos (Deban).

O SPI, citado acima, estará conectado às contas PI dos bancos, fintechs e cooperativas de crédito. A Conta PI é uma conta que o participante direto do SPI deverá manter no Banco Central para ser possível realizar as transferências em tempo real. O participante direto é a instituição financeira a qual o cliente está atrelado (banco, fintechs e cooperativas de crédito), ou seja, você não precisará se preocupar com isto para utilizar o Pix.

Para ter acesso ao Pix, não será preciso abrir alguma conta, pois ele é um meio de pagamento que você poderá acessar no aplicativo do seu banco. Porém, para dar a agilidade necessária ao Pix, a sua conta será transformada em uma conta PI. Esta conta servirá para o Banco Central manter um registro de todas as transferências feitas e realizar o registro das informações para que o processo de transferência aconteça.

O que é preciso para ter o Pix?

Para vincular sua conta que foi transformada em PI ao Pix, será necessário o registro de chaves. Estas chaves servirão para identificar a conta do usuário, informando o endereço da sua conta bancária no Pix. Você poderá registrar quatro tipos de chaves para o Pix:

  • CPF ou CNPJ;
  • E-mail;
  • Número de telefone celular;
  • Chave aleatória;

Será permitido registrar mais de um e-mail e mais de um telefone como chave para o Pix. Porém, haverá limites de chaves, onde pessoas físicas terão o direito de registrar até cinco enquanto as pessoas jurídicas poderão escolher 20 chaves. Estas chaves poderão ser registradas em uma única conta ou em contas diferentes, entretanto não será possível registrar uma mesma chave em mais de uma conta.

As chaves serão um dado que será necessário para realizar um Pix (meio de pagamento) para alguma pessoa ou empresa. Ou seja, normalmente se utiliza o nome completo, banco, CPF, número da agência e conta, correto? Com o Pix será informar somente uma das chaves do recebedor.

Embora se tenha muita facilidade na transferência via Pix utilizando as chaves, não será necessária uma chave para poder realizar um Pix. Também será possível realizar uma Pix através dos dados da conta bancária da pessoa.

O Pix irá substituir o DOC, TED e boleto?

Não, o Pix será só mais uma alternativa de pagamento para os clientes dos bancos realizarem suas transferências.

Quando o Pix estará disponível?

A partir do dia 5 de outubro, o Nubank (e outras instituições financeiras) permitirá o cadastro das chaves no Pix. Após esta etapa, no dia 16 de novembro será liberado o meio de pagamento para que qualquer pessoa utilize o Pix para realizar transferências e pagamentos.