Chefes de espionagem dos EUA usaram informações confidenciais para alertar os executivos de tecnologia sobre como fazer negócios com a China

Estão sendo feitos apresentações com alertas sobre os perigos que existem em negociar com empresas chinesas. São citados informações sobre possíveis ataques cibernéticos e roubo de propriedade intelectual.

Por Tecnologia Pular para comentários
Chefes de espionagem dos EUA usaram informações confidenciais para alertar os executivos de tecnologia sobre como fazer negócios com a China

Desde outubro do ano passado o governos dos EUA vem tentando manipular a visão de empresas no Vale do Silício e outras regiões relacionadas a tecnologia com relação a fazer negócios, acordos com a China.

Estão sendo feitos apresentações com alertas sobre os perigos que existem em negociar com empresas chinesas. São citados informações sobre possíveis ataques cibernéticos e roubo de propriedade intelectual. Estas palestras foram realizadas para empresas de tecnologia, universidades e investidores de risco.

O senador republicano Marco Rubio chegou a soltar um comunicado dizendo que realmente o governo dos EUA está cada vez mais com ações destrutivas com relação à China e diz que o governo chinês é uma ameaça à segurança econômica e nacional do país no futuro.

Ações inviabilizam cada vez mais empresas chinesas de tecnologia no paísAções inviabilizam cada vez mais empresas chinesas de tecnologia no país

Os palestrantes dos eventos acerca do tema são figuras de alto nível do grupo de inteligência dos EUA como, por exemplo, Dan Coats que é diretor de inteligência nacional. Há rumores que nestas reuniões são disponibilizadas até informações classificadas como confidenciais.

A intervenção mais significativa que ocorreu até agora foi o caso que ocorreu na semana passada onde o presidente Trump fez declaração de emergência nacional para a retirada das empresas chinesas de telecomunicação do país, mais especificamente a Huawei.

Segundo a equipe de administração de Trump, essa proibição das empresas chinesas é algo necessário para acabar com a ameaça da vigilância e espionagem realizada por equipamentos fabricados na China. Essa proibição muito provavelmente terá um impacto mundial para todos os consumidores de produtos chineses e até mesmo para as indústrias que se utilizam de peças produzidas na China. Principalmente agora com o corte de peças de empresas como, por exemplo, Google, Intel e Qualcomm que estão cortando negócios com a Huawei e outras empresas chinesas que estavam nos EUA.

Compartilhe com seus amigos:
Comentários:
Minha foto