Engenheiro da Uber comete suicídio; família culpa empresa

Funcionário da Uber procurou ajuda de dois psiquiatras antes de cometer suicídio.

Por | @RafaelaPozzebon Aplicativos

Em agosto do ano passado, um funcionário da Uber cometeu suicídio. A família, por acreditar na culpa da empresa, abriu processo contra. Este é o caso mais grave que envolve um possível ambiente de trabalho desfavorável aos colaboradores.

Joseph Thomas era engenheiro da Uber e completaria 34 anos na semana seguinte ao suicídio. A esposa do homem foi quem o encontrou, dentro do seu carro na garagem de casa. Ao entrar no carro ela percebeu o sangue do marido, somente nesta hora ela constatou que ele havia tentado acabar com a sua vida. Joseph acabou falecendo após permanecer dois dias internado em um hospital.

Engenheiro da Uber comete suicídio; família culpa empresaZecole, esposa do homem, em entrevista ao San Francisco Chronicle, disse que o marido vinha reclamando há meses do estresse causado no ambiente do Uber, fato que foi confirmado pelo pai de Thomas e um amigo próximo chamado Neil Mirchandani.

“As palavras de um homem não podem descrever direito. Não estou morto, mas eu não me descreveria como Ok”, escreveu Joseph a Mirchandani. “A parte triste é que esse lugar (a Uber) me quebrou a ponto em que eu não tenho forças para procurar outro emprego”.

Joseph, nas semanas antes do suicídio, procurou dois psiquiatras diferentes, e os médicos confirmaram que ele enfrentava problemas relacionados ao trabalho como ansiedade aguda, ataques de pânico, insônia e dificuldade de concentração.

Para completar, Joseph solicitou que a empresa cobrisse as suas despesas médicas, porém, a Uber se recusou. Vale notar que a lei na Califórnia, não obriga as empresas fazerem compensações psiquiátricas antes que o funcionário complete seis meses de trabalho, e Joseph tinha pouco menos de cinco meses quando cometeu o suicídio.

No entanto, o advogado disse que a companhia deveria ter atendido o funcionário porque a lei diz que há uma exceção: “Se o dano psiquiátrico é causado por uma condição trabalhista repentina e extraordinária”.

Caso a Uber perca o caso na justiça, terá que pagar uma indenização que chega a US$ 722 mil e ainda cheques semanais de US$ 1.100 até que os dois filhos completem 18 anos; atualmente eles têm 7 e 9 anos.

Mais sobre: Uber, processo, lei
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários