Snapchat não é para pobres, teria dito CEO do app

Nada contente com a demissão, ex-funcionário do Snap, Anthony Pompliano, acusa CEO da empresa, Evan Spiegel, de ser preconceituoso.

Por | @RafaelaPozzebon Aplicativos

A Snap vem sendo processado por um ex-funcionário, Anthony Pompliano, sob alegação de que a dona do Snapchat tem sujado o seu nome, o que estaria prejudicando em sua recolocação no mercado. Nos autos no processo consta ainda uma informação um tanto quanto curiosa sobre o CEO da empresa, Evan Spiegel. Ele teria preconceito contra pobres.

Pompliano, no processo, teria comentado sobre a perda de oportunidades na Espanha e na Índia, dois países com um forte mercado de smartphones, porém, com baixos resultados em relação ao Snapchat. Neste momento, Spiegel teria comentado: “Este aplicativo é somente para pessoas ricas. Não estou interessado em expandir dentro de países pobres como Índia e Espanha.”

Este aplicativo é somente para pessoas ricas. Não estou interessado em expandir dentro de países pobres como Índia e EspanhaA reunião em questão teria ocorrido com a intenção de demonstrar que a chefia da empresa não sabia realmente o desempenho do Snapchat, sendo assim, passava informações incorretas ao mercado.

O emprego teria durado apenas três semanas, no entanto, as revelações teriam feito com que o CEO relatasse a outros dois executivos que “Pompliano representava em risco para a IPO do Snapchat”. Ele acabou sendo demitido no dia seguinte a reunião. O ex-funcionário alega que não consegue arrumar outro emprego porque a empresa fala mal dele para outras companhias.

Evan SpiegelEvan Spiegel

A Variety foi a responsável pela obtenção do processo. De acordo com a publicação, a Snap estava tentando manter o caso em sigilo, já que havia detalhes de mercado na ação. De acordo com os advogados da empresa, Pompliano era um “funcionário descontente que foi demitido devido a um desempenho ruim”.

"O fato simples é que ele sabe exatamente nada sobre as métricas atuais da Snap", diz ainda a companhia. "Ele e seus advogados estão, para ser completamente honesto, simplesmente inventando coisas."

Mais sobre: snapchat, apps, processos
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários