QCY HT03, review de um in-ear TWS com bom custo-benefício

Confira aqui o review do fone de ouvido in-ear TWS CQY HT03. Será que ele é um bom custo-benefício no mercado de intra-auriculares TWS?

Fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri
Fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri

Fundada em 2019, a QCY é uma fabricante especializada no desenvolvimento de fones de ouvido que ficou famosa por seus in-ears Bluetooth TWS. Os fones de ouvido da marca são facilmente encontrados tanto em território nacional quanto em sites chineses como o Aliexpress, facilitando a compra. Há um tempo recebemos o fone in-ear Bluetooth QCY HT03 para análise (review) e agora irei lhes falar o que achei deste intra-auricular sem fio.

Embora eu não tenha tido a oportunidade de analisar outros modelos da QCY, pude comparar diretamente com alguns fones da Tronsmart como, por exemplo, o Apollo Air+ e o Onyx Apex. Ambos possuem o mesmo formato do HT03 da QCY, onde há uma haste, um design que claramente tenta copiar os AirPods Pro.

Construção

De todos os aspectos que analisei do QCY HT03, certamente a construção foi o ponto mais forte deste fone de ouvido True Wireless. Sua case, assim como o corpo do fone, possui um acabamento agradável ao toque, há uma sensação de solidez pelo peso e a abertura de sua tampa é macia, algo que não encontrei nos TWS da Tronsmart, onde a abertura me passou a sensação de que algo estava solto (não havia um “movimento macio”).

Case do fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri
Case do fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri

Outro ponto positivo é a forma como o TWS se encaixa na case, onde o fone de ouvido fica “em pé” na case, com as hastes viradas para baixo. Essa forma de encaixe se mostrou mais eficiente comparado à posição horizontal, onde o fone fica deitado, encontrada em modelos da Tronsmart. A vantagem disso é que não há a necessidade de o usuário ficar tentando posicionar o fone adequadamente na case para os contatos responsáveis pelo carregamento ficarem no devido lugar (geralmente fones TWS mais baratos não possuem imãs para forçar um “autoajuste” na case).

Fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri
Fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri

Infelizmente não é mencionado se o fone de ouvido possui alguma certificação contra respingos de água ou suor como, por exemplo, a IPX4 ou IPX5, ficando difícil determinar se o HT03 pode ser utilizado em exercícios. Felizmente, devido ao microfone ficar na ponta da haste (mais próximo da boca), o áudio durante ligações e videoconferências é de boa qualidade.

Conforto e isolamento

Em termos de conforto, não há nada sério que cause desconforto. Entretanto, não obtive um bom encaixe colocando o fone normalmente, foi necessário girá-lo para frente e para trás e empurrá-lo para dentro do canal auditivo. Recomendo a leitura deste tutorial, onde dou dicas para um melhor posicionamento de fones de ouvido in-ear no ouvido.

Fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri
Fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri

Após encaixar o TWS da QCY devidamente no ouvido, senti um isolamento satisfatório e, no meu caso, o fit ficou muito bom, evitando que o som vazasse e perdesse qualidade. Para entender melhor a influência de um bom encaixe e a escolha de uma boa ear tip (“borrachinha”, “ponteira”), recomendo ler este artigo, onde é explicado a influência desta parte dos fones de ouvido no som produzido.

Fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri
Fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri

Conectividade

Infelizmente no HT03 da QCY temos somente os codecs de áudio Bluetooth SBC e AAC, deixando a desejar em termos de qualidade de transmissão. Além disso, não temos aqui o Bluetooth 5.2 e sim o Bluetooth 5.1, que não oferece funções interessantes que estão presentes na versão mais recente.

É importante salientar que ainda há poucos smartphones, tablets e notebooks que possuem suporte ao Bluetooth 5.2 e como é necessário que tanto o fone quanto o dispositivo possuam um chip com a tecnologia, infelizmente nem todos poderão usufruir das vantagens da nova versão padrão do Bluetooth. Atualmente somente os telefones topo de linha possuem tal capacidade, confira aqui a lista de celulares com Bluetooth 5.2 e qual a previsão para o lançamento de mais modelos compatíveis.

Bateria

Em termos de bateria, há uma boa chance de o usuário ficar sem carga ao longo do dia com o HT03, pois ele entrega somente 6 horas de reprodução contínua com o ANC desligado, caindo 1h ao ligar o cancelamento de ruído ativo, totalizando apenas 5h. Seu tempo de carregamento é relativamente rápido, levando 2h para recarregar a case.

Qualidade de som

Analisando a qualidade de som do HT03, temos aqui a típica assinatura sonora em V, onde os graves e agudos são proeminentes (além do considerado natural) e os médios são recuados. O médio grave do TWS da QCY tem uma grande presença, deixando o som mais cheio, mas ao mesmo tempo escuro e não natural. Devido a atividade excessiva nas baixas frequências, os agudos, mesmo que mais levantados, acabam sofrendo influência e perdem o brilho em várias passagens nas músicas.

O palco sonoro é aceitável para a faixa de preço do HT03, nada que impressione. O posicionamento dos instrumentos não é dos melhores, entregando uma apresentação bem compacta. Entretanto, isso não é um demérito, a meu ver, considerando o valor cobrado.

Case do fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri
Case do fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03. Fonte: Vitor Valeri

Os médios são agradáveis e compõem bem com o restante, embora sejam levemente recuados. O grande problema fica mesmo na grande atividade dos graves, podendo fatigar com o tempo, dependendo do gênero que se está ouvindo. Ao mesmo tempo, continuo sentindo diversas vezes falta de brilho e extensão nos agudos, como já foi dito acima.

Não posso deixar de falar do ruído que ocorre em um dos lados do fone. Ele incomoda, principalmente em músicas mais calmas. Ao pausar a reprodução da faixa, é possível ouvi-lo nitidamente e isso ocorre mesmo com o ANC (cancelamento de ruido ativo ou active noise cancelling) desligado.

Algo que notei ao ouvir o HT03 foi que ao ligar o ANC, a qualidade geral cai consideravelmente e o som fica embolado, sem muita definição. Os graves chegam a invadir ainda mais os médios e agudos com o cancelamento de ruído ativo. Seu melhor desempenho é mostrado somente quando o ANC é desativado.

Conclusão

Considerando que o fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS QCY HT03 custa na faixa de 30-40 dólares e temos uma boa construção e conforto, além de um som satisfatório, dependendo do gosto musical da pessoa, poderá ser uma boa escolha. A QCY criou um cupom exclusivo (QCY20210) de US$ 5 para os leitores do Oficina da Net ganharem um desconto na compra deste modelo no Aliexpress (link aqui), sendo oferecido por US$ 32,24. É importante salientar que este desconto é válido até o dia 16 de outubro de 2021.

5 Fones Bluetooth, qual comprar?

Conteúdo relacionado

Sennheiser CX True Wireless, review do fone TWS substituto do CX 400BT
Fones de Ouvido

Sennheiser CX True Wireless, review do fone TWS substituto do CX 400BT

Confira aqui o review do fone de ouvido in-ear Sennheiser CX True Wireless. Considerado um dos melhores custo-benefício em intra-auriulares TWS do mercado!

Os melhores fones de ouvido baratos para corrida e academia de 2021
Fones de Ouvido

Os melhores fones de ouvido baratos para corrida e academia de 2021

Confira aqui os melhores fones de ouvido baratos ideais para corridas e academia no ano de 2020. Saiba o que é necessário para que o fone atenda a todas suas necessidades durante a prática de exercícios.

Os melhores fones sem fio TWS de 2021
Fones de Ouvido

Os melhores fones sem fio TWS de 2021

Atualmente há uma grande variedade de modelos de fones True Wireless. Para guiá-lo na escolha do melhor fone TWS, foi criada uma lista, dividida por categorias mais relevantes, de acordo com as atividades do usuário.