Kaze and the Wild Masks - Game da Semana - Nintendo

Começando nossas dicas da semana, nós trazemos hoje uma indicação para os jogadores de Nintendo Switch! Kaze and the Wild Masks é um excelente jogo brasileiro que deve ser conferido!

Uma obra de arte brazuca.
Uma obra de arte brazuca.

Começaremos as dicas dessa semana com um jogo para os jogadores de Nintendo Switch! Na semana passada, trouxemos Hades que é um excelente jogo indie e teve destaque nas premiações de 2020. Hoje, trazemos outro título indie que tem tudo para aparecer com força na temporada de prêmios. Após trazermos exclusivos interessantes, hoje nossa dica novamente é um multiplataforma!

O mais interessante é que nossa indicação de hoje é brasileira, mais precisamente de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Muito carismático e extremamente divertido, o nosso jogo de hoje é Kaze and the Wild Masks.

O jogo, desenvolvido pela PixelHive e publicado pela Soedesco, esbanja qualidade e entrega muita diversão aos jogadores, relembrando grandes clássicos de plataforma, principalmente Donkey Kong Country. Com características e elementos já conhecidos neste gênero, e encontradas na inspiração já citada, Kaze and the Wild Masks relembra os bons tempos do passado e entrega uma jornada memorável.

Extremamente divertido

As fases ambientadas nas ilhas de Carrotland, o mundo em que se passa o jogo, são variadas e desafiadoras, com grande diversidade de inimigos e boas mecânicas aparecendo no caminho da carismática personagem principal, Kaze.

Após uma maldição transformar verduras em seres com vida, a coelhinha antropomórfica deve enfrentar inimigos como cenouras raivosas e outros oponentes não menos curiosos e interessantes. A cada nova fase, Kaze se vê diante de novos desafios, conforme novos inimigos surgem encaixando-se com a temática de cada mapa.

A jogabilidade é excelente e oferece um bom desafio!
A jogabilidade é excelente e oferece um bom desafio!

Além disso, a variação como momentos em que a coelha deve nadar, fugir de um tornado ou realizar pulos em sequência, acaba deixando o gameplay fluido e nada repetitivo. Kaze não é um jogo longo e suas excelentes fases o tornam extremamente divertido, com o jogador ficando distante de qualquer sensação de tédio ou repetição de situações.

Algo importante é observar bem o seu caminho, pois gravar os movimentos necessários para avançar será crucial nas etapas mais difíceis que o jogo impõe de forma natural em grande parte da jornada.

Carismático e bonito

Tudo em Kaze and the Wild Masks pode ser considerado bonito. Suas cenas, seu visual, o design de seus personagens... é evidente que cada elemento do jogo foi criado com grande cuidado e carinho pelos desenvolvedores.

A trilha sonora também é dona de grande beleza, assim como os estranhos inimigos contam com visuais variados e interessantes, como uma boa pitada de humor e carisma apesar de suas expressões raivosas.

Os cenários são variados e bonitos.
Os cenários são variados e bonitos.

Os cenários do jogo também o tornam único, conforme mapas variados são descobertos pelos jogadores. Em sua jornada para salvar o amigo chamado Hogo, Kaze passa por campos esverdeados, terras geladas repletas de neve e locais áridos. Com inimigos e outros elementos parecendo se encaixar perfeitamente na temática e estilo de cada cenário, avançar para uma nova mapa é sempre acompanhado pela certeza de que um belo lugar será descoberto pela coelhinha.

Um jogo praticamente perfeito

Não é exagero afirmar que Kaze and the Wild Masks é praticamente perfeito. Apesar de alguns problemas, o título é com toda certeza um dos melhores lançamentos do ano até agora.

Criado por um estúdio brasileiro, este jogo deve ser valorizado em nosso país. Entregando uma jornada desafiadora e extremamente divertida, Kaze and the Wild Masks merece ser conferido pelos donos do console da Big N!

Onde comprar?

Confira a nossa análise completa do jogo no artigo abaixo!

🔥O POCO F4 É MUITO BOM 👇

Comentários
Minha foto
Insira um comentário