Oficina da Net Logo

10 fatos incríveis sobre Marte

Você já sabe que em alguns anos estaremos morando em Marte, certo? Então está na hora de você começar a se inteirar sobre sua próxima casa.

Por | @Evilmaax Ciência Pular para comentários

A cada dia que passa estamos mais próximos de levar nossa civilização a Marte; e quem não acredita que dê um clique aqui e leia como funciona o plano infalível de Elon Musk para nos tornar uma espécie multiplanetária.

Embora possamos considerar Marte um "terreno baldio" do sistema solar, suas propriedades o tornam mais comparável à Terra do que pensamos. Na verdade, dá para ser ainda mais audacioso e dizer que, de maneira geral, os dois planetas têm muito em comum. Por exemplo: Eles têm terreno semelhante - embora Marte não tenha a quantidade considerável de água, oxigênio e pressão atmosférica necessários para suportar a vida como a conhecemos.

Enfim, mas o que importa é uma coisa só: Se vamos para o Planeta Vermelho precisamos saber algumas coisinhas. Sabe quando você compra um pacote de viagem pra algum lugar desconhecido e começa a procurar todos as curiosidades, detalhes e os to do's e dont do's? 

É isso que começaremos a fazer agora. Leia em destaque: Smoot, a piada que virou uma medida do Google.

Marte tem 4 estações

Pra começar, um ponto em comum que pode te deixar surpreso: Assim como a Terra, Marte tem quatro estações; porém, sempre tem um detalhezinho: Ao contrário da Terra, onde cada estação dura três meses, a duração das estações de Marte depende do hemisfério em que você estiver.

Para entendermos essa maluquice algumas informações importantes: um ano marciano tem 668,59 "sols" (é assim que se chamam os dias solares marcianos), o que equivale a cerca de 687 dias terrestres e, como você deve ter percebido, é quase o dobro do ano terrestre. Assim, como as estações variam de acordo com a posição do planeta em relação ao sol, as estações marcianas não funcionam como funcionam por aqui.

Se você estiver no hemisfério norte do Planeta Vermelho, a primavera terá duração de sete meses terrestres, já o verão seis meses terrestres, a primavera 5 meses terrestres e o inverno um pouco mais de quatro meses terrestres.

Outra coisa que você levar em conta quando resolver se mudar para Marte é que o verão marciano no hemisfério norte é extremamente frio; sendo que, na maioria das vezes, a temperatura não passará de -20°. Agora, se você estiver no hemisfério sul as coisas esquentam um pouco, até 30° mais quentes do que a mesma estação do outro lado do planeta. O forte contraste entre essas temperaturas é o motivo pelo qual Marte às vezes é coberto por enormes tempestades de poeira.

E já que estamos falando em temperatura, outro ponto importante: devido à sua atmosfera 100 vezes mais fina do que a Terra (e pela falta de oceanos que ajuda a regular a temperatura) é normal que seus pés estejam sentindo uma temperatura e seu rosto esteja sentindo outra

Estações do ano e posição de Marte em relação ao solEstações do ano e posição de Marte em relação ao sol

Marte é o único planeta habitável além da Terra

Segundo os astrônomos nosso sistema solar possui dois teipos de planeta: planetas terrestres ou gigantes gasosos.

  • Gigantes gasosos são preenchidos com gases venenosos e não podemos pousar neles porque, afinal, eles não têm uma superfície sólida. Gigantes gasosos incluem Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.
  • Planetas terrestres têm uma superfície rochosa. Nós poderíamos pousar neles. Eles incluem Mercúrio, Vênus, Terra e Marte.

Assim, já eliminamos metade dos planetas da nossa listinha de possíveis locais para colonizar. Dos quatro que sobram, somente a Terra suporta a vida até onde sabemos, porém, Marte vem logo ali, em segundo lugar. Vênus e Mercúrio, esqueça; eles só querem nos matar.

Mercúrio tem temperaturas extremamente elevadas, aproximadamente 430º, devido à sua proximidade com o sol. Apesar disso, Vênus é ainda mais quente já que sua atmosfera densa de monóxido de carbono retém calor, aproximadamente 460º. Além disso, sua atmosfera também é espessa e vai esmagar qualquer coisa que se atreva a entrar ali. Até os meteoros são esmagados antes que possam tocar o chão.

Tá certo que, embora Marte possa sustentar formas de vida como a nossa, o ambiente não é totalmente hospitaleiro, assim por natureza. Vamos precisar de equipamentos e instalações especiais para sobreviver. Cientistas já propuseram até a criação de um campo magnético artificial, colocando um gerador magnético entre Marte e o Sol. Assim o planeta estaria protegido das tempestades solares (leia mais sobre isso alguns tópicos à frente, quando falarmos sobre auroras).

Sem as tempestades solares, a pressão atmosférica no Planeta Vermelho aumentará. Por sua vez, isso fará com que a temperatura aumente e o gelo nas regiões polares se derreta. O CO2 será liberado, iniciando um efeito estufa que fará com que a água flua.

Embora o plano pareça perfeito, nós não temos (por enquanto) a tecnologia para criar o campo magnético.

l

Um dia em Marte é um pouco mais do que um dia aqui 

Como você deve lembrar lá da terceira série, um dia é o período determinado pelo tempo que um planeta leva para girar em torno de seu eixo. Planetas que demoram mais para completar uma volta completa têm dias mais longos do que aqueles com ciclos mais rápidos. E claro, a duração de um dia varia muito de um planeta para outro.

Na Terra, um dia dura 24 horas; já em Júpiter, são 9 horas, 55 minutos e 29,69 segundos; em Vênus, 116 dias terrestres e 18 horas; em Plutão, 6 dias terrestres e 4 horas e em Marte, 24 horas e 40 minutos. Dada a disparidade entre a duração da Terra e dos outros planetas, e as diferenças entre nossa estrutura e a de Marte, como a Terra e Marte tem dias com duração tão semelhante?

Pura coincidência.

Os planetas são criados quando as nuvens de poeira liberadas durante a formação das estrelas perdem velocidade e começam a se aglutinar, porém, sem parar de girar. Tal giro irá aumentar ou diminuir sua velocidade à medida em que o planeta for atingido por outros objetos que estavam ali por perto - e eles atingem muitas coisas, portanto a taxa do giro muda muito.

E esse esquema de bate aqui, colide com algo ali continua até que o novo planeta limpe a sua vizinhança e possa girar sem interferência de ninguém. Assim, quando ele não tiver mais nada para colidir e alterar sua velocidade, será aquele giro que ele irá manter e que irá definir quanto dura o seu dia.

f

Plantas podem ser cultivadas em Marte, porém depende

Segundo a NASA (e o livro/filme Perdido em Marte) nós podemos ter agricultura em Marte. Em um experimento realizado em parceria com o International Potato Center no Peru, a NASA conseguiu plantar batatas em um ambiente que reproduzia o clima rigoroso de Marte.

Mas verdade seja dita: alguns consideram o experimento como inconclusivo devido ao solo utilizado. Na ocasião foi escolhido a terra do deserto de Pampas de la Joya, no Peru, que precisou ser esterilizado para matar todas as formas de vida, e assim simular um terreno marciano de verdade. Porém, há quem tema que, mesmo após a esterilização, alguns micróbios ainda tenham restado e estes tenham ajudado no crescimento das plantas.

Outro ponto dos céticos: as batatas utilizadas foram cultivadas a partir de cortes de outras batatas ao invés de sementes. Na prática este será um problema, já que é impossível transportar cortes de batata a Marte sem danificar as células, o que tornaria o plantio impossível.

Em um experimento similar na Universidade de Villanova, alguns alunos cultivaram alface, couve, alho e lúpulo - mas não batatas. Os tubérculos morreram porque o solo era muito espesso. Semelhante ao experimento da NASA, os estudantes usaram o solo de basaltos vulcânicos no lugar do solo marciano rico em ferro (regolito). Enquanto que o basalto foi processado para imitar o regolito, ele não replicou a coisa direitinho.

E outra: O regolito não é seguro para o plantio porque contém perclorato, que pode causar a morte em humanos; porém, não se assuste. A substância tóxica pode ser removida lavando o regolito em água ou expondo-o a algumas bactérias que comem perclorato. Usar bactérias é a melhor opção porque ainda produz oxigênio durante o processo.

O Sol é outro fator que deve ser considerado antes que possamos plantar em Marte. O Planeta Vermelho recebe apenas metade da quantidade de luz solar que atinge a Terra. Boa parte dessa luz solar já está bloqueada pela atmosfera marciana cheia de poeira. E, mesmo que os cientistas resolvam isso, eles ainda precisarão descobrir como lidar com a perigosa radiação ultravioleta que atinge Marte vinda diretamente do Sol.

fCena do filme Perdido em Marte

Marte pode conter vida

Embora não tenhamos encontrado vida em Marte (ainda), os cientistas suspeitam que o Planeta Vermelho possua ou já tenha possuído algum ser vivo. O Curiosity, um dos robôs que estão explorando a superfície de Marte neste momento, revelou a existência de moléculas orgânicas em algumas rochas da Cratera Gale, que era um lago há 3,5 bilhões de anos.

Cada ser vivo contém quatro moléculas orgânicas: proteínas, ácidos nucléicos, gorduras e carboidratos. Sem eles, um organismo não pode existir (pelo menos não um organismo como conhecemos).

Embora a existência dessas moléculas pudesse apontar a vida em Marte, sabemos que algumas coisas não-vivas também produzem essas moléculas, tornando a descoberta inconclusiva. No entanto, os cientistas descobriram algo mais que faz a balança pesar pro lado das provas de vida em Marte: Metano.

Coisas vivas produzem metano. A maior parte do metano na Terra, por exemplo, é produzida por seres vivos. E o mais interessante é o seguinte: Metano dura apenas algumas centenas de anos na atmosfera, ou seja, algo está liberando (ou liberou há muito pouco tempo) metano na atmosfera de Marte.

Os cientistas teorizam que o metano é liberado por reações químicas. Curiosamente eles notaram que a produção de metano de Marte aumenta no verão e diminui no inverno, o que não é observado entre os seres vivos na Terra.

d

Marte tem sua própria aurora boreal

Sabe aquelas luzes maravilhosas que podem ser vistas nos polos da Terra conhecidas como Aurora Boreal e Aurora Austral? Pois é, as luzes coloridas da aurora não são exclusivas do nosso planeta. Isso porque uma aurora pode aparecer em qualquer planeta, desde que as condições sejam atendidas; e Marte as atende.

Só tem um detalhe: Embora vejamos luzes coloridas quando isso acontece aqui na Terra, um morador de Marte não verá o mesmo espetáculo que nós, pois a aurora marciana emite luz ultravioleta, que é invisível ao olho humano. Os pesquisadores puderam observar essa luz com um dispositivo especial acoplado à espaçonave Mars Atmosphere e Volatile Evolution misson (MAVEN).

Aqui na Terra, as auroras são causadas por partículas elétricas carregadas colidindo com a atmosfera (clique aqui para uma descrição aprofundada); já em Marte, elas são causadas pelo vento solar contendo prótons colidindo com a nuvem de hidrogênio ao redor de Marte.

Para (não) ver uma aurora boreal como a de Marte, só indo até lá mesmo, pois daqui da Terra não será possível. Nosso campo magnético desvia o vento solar do nosso planeta para um grau maior do que o que acontece no Planeta Vermelho.

Outros casos semelhantes são Vênus e Titã (uma das luas de Saturno) que não possuem seus próprios campos magnéticos, assim como Marte.

A explicação abaixo, em inglês (mas com muitas animações), mostra como ocorre as auroras em Marte.

Marte tem água

Em 2008, a Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) da NASA descobriu a água escorrendo em algumas encostas de Marte. A água só flui no verão, o que significa que durante o inverno ela está congelada.

Como dito antes, o verão marciano é muito mais frio que o verão da Terra. No entanto, foram encontradas estrias em Marte onde os rastros de água chegam a marcar -23°. Só eu ou mais alguém também acha que uma água nesta temperatura deveria estar congelada? Por que isso acontece? Por que a água flui?

Para variar, os cientistas não têm certeza, mas eles tem hipóteses. A melhor delas seria o alto teor de sal na água marciana. A água salgada tem um ponto de congelamento mais baixo do que a água doce e por isso derreteria a determinadas temperaturas nas quais a água potável permaneceria congelada. Uma teoria alternativa é que a água seja criada depois que o sal entra em contato com o gelo, afinal, o sal derrete o gelo.

Melhores explicações poderão ser dadas depois que os cientistas conseguirem identificar a fonte de água. Por enquanto, eles estão supondo que a água seja oriunda do derretimento do gelo, de água subterrânea ou do vapor de água condensado da atmosfera.

j

Marte tem calotas polares e geleiras

Como na Terra, os polos norte e sul de Marte estão cobertos de calotas polares. No entanto, nos hemisférios norte e sul, Marte também tem cinturões de geleiras em latitudes centrais; e nós só não as havíamos visto ainda porque estavam escondidas sob a famigerada camada de poeira.

Essa mesma poeira pode ser a razão pela qual as geleiras não evaporaram. Marte tem uma pressão atmosférica muito baixa, o que faz com que qualquer água superficial ou gelo evapore imediatamente. O gelo deveria sublimar ao estado gasoso sem se passar pelo estado líquido.

Os cientistas determinaram que Marte contém mais de 150 bilhões de metros cúbicos de gelo, o que é suficiente para cobrir toda a superfície do planeta a uma espessura de 1 metro. Se esse gelo é formado de água congelada, lama ou dióxido de carbono daí já é outro problema.

Mesmo que seja água, a água é igual à encontrada na Terra? Os cientistas ainda estão estudando isso.

Os pontos azuis representam as geleiras dispostas no Planeta VermelhoOs pontos azuis representam as geleiras dispostas no Planeta Vermelho

Marte tem suas cachoeiras

Analisando imagens tiradas pelo Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) da NASA, percebeu-se a existência de uma maravilha geológica semelhante a uma cachoeira aqui na Terra. Só tem uma diferença, na cachoeira de Marte não corre água, mas sim rocha derretida, também conhecida como lava!!

A lava jorra de quatro pontos diferentes ao longo de uma cratera de 30 quilômetros de diâmetro na província vulcânica de Tharsis como se fosse uma cachoeira. Isso acontece porque a lava se comporta como a água, porém, flui a uma taxa muito mais lenta já que é mais espessa do que a água e mais suscetível a mudanças de temperatura.

f

As formas marcianas podem ter surgido nossas ilhas 

Embora seja raro, não é incomum que novas ilhas subam repentinamente do oceano. Em 150 anos, vimos três ilhas dessas se formarem após erupções vulcânicas submarinas. A mais recente e mais interessante é o Hunga Tonga-Hunga Ha'apai, que de repente se formou na costa de Tonga, no Oceano Pacífico Sul.

A ilha chamou a atenção da NASA, que observou seu desenvolvimento esperando que ela submergisse logo depois de ter sido formada sob as águas, mas isso não aconteceu. Agora a agência espacial acredita que a ilha ficará submersa vários anos antes de finalmente colocar a cara pra fora.

Este estranho interesse em uma ilha terrestre se explica pelo seguinte motivo: o surgimento da ilha pode dar ideia de como a água da superfície marciana (Marte tinha oceanos há milhões de anos atrás) poderia ter alterado as formas do planeta Marte. Por exemplo, a ilha era inicialmente instável e continuava perdendo partes para o oceano. Ela só se tornou estável quando sua fundação se solidificou quando a água salgada reagiu com a poeira vulcânica. Será que em Marte aconteceu isso?

Os cientistas dizem que foi assim que as formas terrestres de Marte foram criadas. Eles começaram bastante líquidas e instáveis, mas foram se solidificando lentamente.

Ilhas terrestres podem ajudar a entender MarteIlhas terrestres podem ajudar a entender Marte

Espero que agora você esteja se sentindo mais preparado para a mudança até Marte.

Você tem Telegram? Então inscreva-se grátis aqui no canal do Oficina da Net e recebe todas as notícias pelo mensageiro.

MAIS SOBRE: #ciencia  #nasa
Comentários
Carregar comentários