Diretor da Uber é agredido no Senado

Fábio Sabba prestou queixa na delegacia do Senado para registrar ocorrência e também passou pelo Instituto Médico Legal para exames de corpo de delito.

Por | @fsbeling Aplicativos

Na terça-feira (31) o diretor de comunicação da Uber, Fábio Sabba, foi agredido em Brasília enquanto estava na ligação entre os anexos e o prédio principal do Senado, momentos antes da votação do projeto de lei complementar PLC 28/2017 cujo objetivo era regulamentar os aplicativos de transportes no Brasil.

Fábio Sabba é agredido por taxista em Brasília Fábio Sabba é agredido por taxista em Brasília 

Leia também:

O agressor seria um suposto taxista, ele teria dado um soco no rosto de Sabba enquanto ele concedia entrevista ao jornal El País. O diretor da Uber prestou queixa na delegacia do Senado para registrar ocorrência e também passou pelo Instituto Médico Legal para exames de corpo de delito. A agressão foi confirmada pelo repórter que o entrevistava no momento em que ocorreu o fato, o agressor teria saído correndo do local.

Na votação de ontem houve muita confusão entre os grupos de motoristas de aplicativos e os taxistas que estiveram presentes na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Foi necessária a intervenção da polícia com sprays de pimenta e a formação de um cordão humano para dividir os grupos a fim de evitar ainda mais conflitos, sendo que um taxista foi preso por desacato.

Quanto ao caso de agressão ao diretor de comunicação, a Uber emitiu uma nota dizendo “É inaceitável o uso de violência, todos têm liberdade e autonomia para protestar, todo e qualquer conflito deve ser administrado pelo debate de ideias de ambas as partes".

O projeto de lei PLC 28/2017 foi aprovado pelo Senado, porém com algumas ressalvas nas emendas, o que faz com que ele retorne para análise na Câmara dos Deputados.

Mais sobre: Uber Brasil senado
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Destaquesver tudo