Aplicativo é usado por funcionários da Amazon para comentar sobre a empresa

Chamado de Blind, o aplicativo funciona como o Glassdoor, no qual os empregados de uma empresa podem colocar suas opiniões sobre o local de trabalho.

Por | @RafaelaPozzebon Aplicativos

Recentemente, um funcionário da Amazon tentou se suicidar na própria sede da empresa. O caso, mesmo que não tenha terminado de forma trágica, deixou muitos funcionários chocados. A partir de então, eles começaram a usar um aplicativo em que podem criticar a empresa de forma anônima.

Chamado de Blind, o aplicativo funciona como o Glassdoor, no qual os empregados de uma empresa podem colocar suas opiniões sobre o local de trabalho sem ter a identidade revelada. Desde a tentativa de suicídio, mais de 200 passaram a falar sobre a Amazon.

Aplicativo é usado por funcionários da Amazon para comentar sobre a empresa

Leia também:

Entre os assuntos mais comentados, a forma em que a companhia lidou com o incidente. Muitos deles se sentiram incomodados pelo fato da empresa não ter enviado alguma nota para eles.

"Eu culpo a liderança da Amazon por tentar varrer isso para debaixo do tapete e fingir que nada aconteceu. Independentemente de quem foi a culpa, um empregado, um colega de trabalho nosso tentou se suicidar dentro da empresa! Até mesmo o e-mail mais superficial reconhecendo o incidente faria uma enorme diferença”, disse um usuário do aplicativo.

"Eu não vi as pessoas falando sobre isso, eu não vi nenhum e-mail de Jeff Bezos ou dos meus superiores. A vida parecia normal e mundana”, comentou outro usuário.

Além disso, muitos funcionários criticaram um sistema da empresa denominado “Plano de Melhoria de Desempenho”, em que funcionários que estejam abaixo da média ou das expectativas são forçados a melhorar; alguns casos, no então, acabam sendo demitidos.

O presidente Jeff Bezos também não escapou das críticas, ele foi acusado de criar essa cultura competitiva. Em 2014, vale lembrar, que o executivo foi eleito o pior chefe do mundo pelo CSI (Congresso Internacional de Sindicatos). Ele foi acusado de tratar os funcionários como robôs e ainda incentivar o assédio moral dentro da companhia.

DESTAQUESRecomendadoMais compartilhados
O QUE LER EM SEGUIDA
Comentários
  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER

    As melhores publicações no
    seu e-mail

  • Preencha para confirmar