Oficina da Net Logo

Vivo admite que usuários de serviços de streaming terão que pagar mais pela internet

Declaração foi dada pelo Chief Revenue Officer da empresa, Christian Gebara, que também afirmou que o modelo de franquias limitadas na internet fixa é uma tendência mundial.

Por | @oficinadanet Internet 4 comentários

A mudança no modelo de cobrança da internet do tipo ADSL, a mais comum no Brasil, que passará a ser regulada por volume de dados e não mais por velocidade, tem deixado os internautas brasileiros insatisfeitos e preocupados. Isto porque com um limite no uso de dados na banda larga fixa muita gente teme ter de ficar off-line, antes mesmo do mês acabar. O que não é muito difícil, conforme mostra este experimento, que você pode conferir clicando aqui.

Se por um lado os usuários discordam da medida adotada pelas operadoras Vivo, Oi e Net, inclusive criando um abaixo-assinado para demonstrar o seu descontentamento, as empresas afirmam que o modelo de cobrança visa melhorar a experiência de navegação, garantindo o correto direcionamento da rede banda larga para todos os usuários. Recentemente a Vivo reforçou seu posicionamento favorável a medida, em entrevista ao Tecnoblog.

O Chief Revenue Officer da Vivo, Christian Gebara, afirmou que esta é uma tendência mundial e que grandes operadoras do mundo estão acabando com o tráfego ilimitado e adotando franquias. A declaração mais polêmica do Executivo, mas que não é nenhuma novidade, foi dada ao afirmar que aqueles que fazem uso de streaming de vídeos, naturalmente terão que pagar mais se quiserem manter o alto uso da internet.

Ainda segundo Gebara a medida atingirá uma porcentagem muito baixa de usuários da operadora e beneficiará quem faz uso leve, como e-mails e navegação. No entanto, alguns testes mostraram que com o limite, mesmo quem faz apenas o uso básico pode chegar a consumir mais de 150 GB mensais. O Executivo afirmou que dados como este são exagerados e que a própria empresa fez uma análise de consumo em sua rede, com resultados diferentes.

Leia em destaque: Os 10 maiores canais do YouTube.

Ele explicou que a ideia de uma franquia limitada para internet fixa é que o consumo seja como uma conta de luz, onde o cliente pagará apenas o que ele precisar usar. Conforme o executivo este é um caminho sem volta, por ser uma tendência mundial. Gebara ainda confirmou que é possível que ocorra o corte da conexão e não apenas a redução da velocidade, quando o cliente atingir o topo da franquia contratada.

Os contratos assinados com a Vivo a partir de fevereiro de 2016 já estão dentro das novas regras, no entanto a redução ou corte da internet passará a valer somente a partir do próximo ano. A Oi e a Net já possuem o limite da franquia  há mais tempo, no entanto, a Net diz que são poucos os usuários que atingem o limite, sendo que a velocidade da conexão é reduzida até o primeiro dia do mês vigente. A Oi diz que em seus contratos está prevista a redução da velocidade, mas não confirmou se efetua a diminuição ou não.

Leia também:

Limite da franquia de dados já foi assunto no ONCast. Ouça abaixo:

Vivo admite que usuários de serviços de streaming terão que pagar mais pela internet Vivo admite que usuários de serviços de streaming terão que pagar mais pela internet

MAIS SOBRE: #bandalargabrasil  #franquia  #limite  #internet
Comentários
Carregar comentários