Relatório aponta que Brasil fere neutralidade da rede

Neutralidade da rede é um assunto atual que vem sendo bastante discutido.

Por | @oficinadanet Internet

Neutralidade da rede é um assunto que vem sendo discutido com mais vigor há algum tempo. O Facebook, vale mencionar, recentemente, foi acusado de tentar violar a neutralidade da rede. No Brasil, o Marco Civil prevê que é necessário neutralidade de rede, porém, não é exatamente o que mostra um relatório que foi divulgado na segunda-feira (25). Por aqui, ao que tudo indica, a medida não anda sendo muito bem aplicada.

O relatório em questão foi divulgado pelo Intervozes, do Brasil, e Derechos Digitales, do Chile.

“A ameaça mais recorrente à neutralidade é aplicação de tarefa zero (zero rating)”, diz o relatório.

Assim sendo, o documento aponta que a maior ameaça a neutralidade da rede no país são as ofertas feitas pelas operadoras que eximem certas aplicações da internet do consumo das franquias contratadas. Exemplo disso é a oferta de WhatsApp ilimitado sem desconto da franquia. De acordo com o relatório, nos casos do Brasil, Chile, Colômbia e México.

Relatório aponta que Brasil fere neutralidade da rede.Relatório aponta que Brasil fere neutralidade da rede.

“Na maioria dos casos, os instrumentos normativos são contraditórios e confusos: estabelecem formalmente a garantia da neutralidade de rede, mas na prática adotam exceções que jogam por terra o princípio”.

O Brasil, segundo o levantamento, é o único país analisado que proíbe formalmente a prática de tarifa zero, ou melhor, parece proibir. O Marco Civil da Internet (Lei 12.965/14), segundo as entidades, destaca que pela sai regulamentação (Decreto 8.771/16) diz que os planos de tarifa zero estão proibidos no país pela vedação a condutas ou acordos que:

“Comprometem o caráter público e irrestrito do acesso à internet, priorizem pacotes de dados em razão de arranjos comerciais ou privilegiem aplicações ofertadas pelo próprio responsável pela transmissão, comutação ou roteamento.”

DEIXE SEU COMENTÁRIOComente aqui
RecomendadoEnquete
Você assina Netflix?
Sim, sou titular(50,00%)
Sim, sou reserva =) (14,14%)
Não, mas pretendo(22,22%)
Não, nem quero(13,64%)
Assine a nossa newsletter

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Comentários
@oficinadanetoficial