10 Dicas para comprar o melhor fone de ouvido para você

Saiba o que fazer para comprar o melhor fone de ouvido para as suas necessidades de acordo com as atividades praticadas no dia a dia.

Dicas para você comprar os melhores fones de ouvido para você. Na foto o headphone Sennheiser HD600 e o in-ear Final Audio E5000. Fonte: Vitor Valeri
Dicas para você comprar os melhores fones de ouvido para você. Na foto o headphone Sennheiser HD600 e o in-ear Final Audio E5000. Fonte: Vitor Valeri

Ainda hoje, no Brasil, muitos acham que adquirir um bom fone de ouvido pode custar caro. Entretanto, o mercado mundial e nacional mudou muito nos últimos anos, principalmente devido à grande oferta de, por exemplo, de headphones, in-ears, earbuds e fones TWS. Pensando nisso, serão dadas dicas para que você chegue a uma boa escolha de compra que atenda às suas necessidades atuais, seja para música, retorno de palco, jogos, filmes ou mesmo trabalho, utilizando o fone de ouvido em chamadas de vídeo e/ou áudio (videoconferência).

Há muitos mitos que tem se espalhado na mídia devido ignorância no assunto por parte de sites de tecnologia, que produzem desde notícias até análises (reviews) com péssima qualidade, pois não há um estudo e muito menos experiência para entregar algo realmente bom. O objetivo aqui é esclarecer o que realmente faz sentido e o que não faz. Confira abaixo!

1 - Defina suas necessidades para comprar algo que realmente lhe atenda

Antes de analisar o preço ou beleza de um fone de ouvido, o ideal é que primeiro se especifique para o que você irá utilizá-lo. Dependendo das atividades, determinado tipo de fone de ouvido trará mais benefícios para o usuário. Por exemplo, se você estiver em um local com muito barulho, é recomendado que se utilize uma solução que traga o isolamento de ruídos, seja passivo (natural, através da própria estrutura) como é o caso dos in-ears ou ativo (saiba como funciona o ANC/cancelamento de ruído ativo aqui), geralmente presente em fones Bluetooth TWS, over-ears (headphones) e on-ears (supra-aurais).

Há casos em que não há a necessidade de uma atenuação agressiva do barulho (ruído) nos ambientes em que o usuário costuma frequentar. Com isso, é possível avaliar outros aspectos com mais liberdade como, por exemplo, conforto maior por horas através de um encaixe menos invasivo (earbuds) ou toque macio (headphones).

Dependendo da temperatura ambiente, a escolha poderá ser diferente. Por exemplo, um headphone com ear pads (almofadas) de couro ou material sintético que imita couro tende a esquentar mais as orelhas, sendo mais interessante optar por modelos que tem a opção de uso de pads feitas em tecido (liso esportivo ou veludo).

Nota: As ear pads de tecido não descascam como as de material sintético que imitam couro e podem ser lavadas, retirando assim a poeira e o suor.

A própria estrutura do fone de ouvido pode incomodar também, podendo ser devido à maneira como ocorre a fixação ou por conta da temperatura. Há pessoas que não suportam algo inserido no canal auditivo, por isso acabam por rejeitar os in-ears, mas há uma alternativa para elas, os fones de ouvido do tipo earbud [1]. Temos casos em que headphones podem incomodar devido a elevação da temperatura em algumas épocas do ano, então utilizar um in-ear ou earbud pode ser mais adequado para se usar por um longo período de tempo.

O encaixe seguro pode ser um fator importante para o usuário que pratica esportes, exercícios ou mesmo retorno de palco, onde neste último ainda requer um bom nível de isolamento do ruído ambiente. Nesse cenário, normalmente se utiliza in-ears com ear fins (também chamados de ear hooks), que são uma espécie de ganchos de silicone que se prende a house (corpo) dos fones e acompanham os sulcos do ouvido para fixar melhor a estrutura do fone no ouvido. Para retorno de palco, a solução vai um pouco mais além, sendo indicado ir em CIEMs (custom in-ear monitors) [2], onde o fone de ouvido possui o formato do canal auditivo da pessoa, pois é moldado exatamente para o ouvido do usuário.

[1] Artigo "Earbuds, alternativas para quem não se adaptou aos in-ears (intra-auriculares)"

[2] Artigo "O que são os fones in-ear custom (CIEM)/ personalizados? Para que eles servem?"

2 - O custo-benefício está nos fones de ouvido cabeados, mas há opções boas no sem fio (Bluetooth)

Um fone de ouvido sem fio (Bluetooth) TWS ou headphone (over-ear ou on-ear) tem um custo de produção maior comparado às soluções cabeadas. O motivo disso é que além do alto-falante (driver) [3], presente em fones de ouvido cabeados, temos internamente um receptor/transmissor Bluetooth, um DAC, responsável pela conversão do sinal digital (Bluetooth) em analógico, um amplificador, para amplificar o sinal convertido pelo DAC, um par de baterias, microfones, um chip de processamento, entre outros componentes.

Levando em conta somente o número de componentes, é impossível um fone de ouvido sem fio (Bluetooth) acompanhar a qualidade oferecida por um fone de ouvido cabeado em termos de construção e qualidade de som. O motivo disso é que quando comparamos ambos em uma mesma faixa de preço, todo custo do fone de ouvido cabeado foi investido em sua qualidade de som e construção, enquanto o Bluetooth teve de dividir com diversos componentes.

Embora haja essa disparidade de qualidade ao comparar modelos de fones de ouvido com e sem fio de mesmo valor, temos de levar em conta que dependendo das necessidades do usuário, o Bluetooth pode ser mais vantajoso para a rotina da pessoa. Entretanto, para se obter algo com boa qualidade em fones de ouvido sem fio, é necessário gastar um certo valor a mais. Para dar um pontapé inicial à ideia, aqui indicamos os melhores modelos TWS (True Wireless Stereo) de 2022.

[3] Artigo "Quais os tipos de tecnologias existentes em fones de ouvido"

3 - Não desista de comprar uma opção cabeada porque seu celular ou notebook não tem uma saída para fones de ouvido

Muitas pessoas acabam desistindo de comprar um fone de ouvido cabeado, mesmo sabendo que terá maior qualidade comparado a um Bluetooth, por conta de não haver a presença de uma saída para fones de ouvido no celular, tablet ou notebook (geralmente é um ultrabook). Uma excelente solução para isso é a utilização de um DAC/amp USB portátil "ultracompacto", mais conhecido como "adaptador USB para fones de ouvido". Geralmente chamam esse tipo de dispositivo de dongle, termo utilizado para dispositivos que se conectam à porta de um aparelho para fornecer uma funcionalidade adicional ou permitir a "passagem" para a conexão de outro dispositivo.

Há dois tipos de DAC/amp portáteis, os que são ligados através de um cabo (normalmente USB-C ou lightning) e os que têm o recurso Bluetooth. Este último permite que você conecte o fone de ouvido a ele e sincronize com o dispositivo responsável pela reprodução das músicas (exemplo: celular, notebook, tablet) através do Bluetooth. Confira abaixo a nossa lista de indicações dos melhores "adaptadores USB para fones de ouvido" (DAC/amps USB) de 2022.

4 - Há alternativas para quem não se adaptou aos in-ears (intra-auriculares)

Como foi dito na primeira dica deste artigo, para aqueles que não se adaptaram aos fones de ouvido in-ear (intra-auriculares ou IEMs) e querem uma alternativa portátil, há alternativas. As melhores formas de se contornar este problema é utilizar fones de ouvido do tipo earbud ou on-ear (supra-aural).

5 - Escolha aqueles que possuem peças removíveis

Sempre procure por fones de ouvido que possuem peças removíveis. Ao contar com essa possibilidade, principalmente para os cabos e ear pads ("almofadas"), você aumentará a chance de ter seu fone de ouvido por muitos anos, pois geralmente são somente alguns componentes que falham de maneira natural devido ao uso. Além disso, procure saber se a compra de peças é fácil, pois há empresas que oferecem cabos e pads sobressalentes em sua loja virtual (e-commerce).

6 - Evite headphones com ear pads (almofadas) de couro sintético

No primeiro item abordamos o assunto, mas reforçando, sempre evite comprar headphones com ear pads ("almofadas") de couro sintético. Além de esquentarem mais a orelha (comparado às de tecido), costumam descascar com o tempo por conta do suor e o próprio uso, por mais que se tente ter um grande cuidado com isso.

7 - Não compre um headphone com 5.1 ou 7.1 canais

Muitos acreditam que para conseguir uma espacialidade e separação de sons melhor em jogos competitivos ou em filmes, é interessante que o headphone (over-ear) ou headset tenha um som surround multicanal de 5.1/7.1 canais. Entretanto, para ser capaz de "enxergar" com precisão os sons no ambiente do jogo, não é necessário utilizar tecnologias surround multicanal.

Em um bom headphone estéreo (2.0), quanto maior for sua espacialidade, mais fácil será para ter a noção de distância entre você e os inimigos no game, pois será possível delimitar até onde o som está propagando. Tendo isso, você provavelmente irá obter uma separação de dos sons (na música chamado de separação de instrumentos) melhor, facilitando a percepção da direção que determinado som está vindo. Quanto melhor for este quesito, maior vai ser a percepção do posicionamento e consequentemente haverá uma precisão melhor.

Artigos recomendados para leitura:

8 - Compre fones com plugues analógicos (P2, P10) ao invés de USB

Um fone de ouvido precisa que o sinal seja analógico para que ele toque, consequentemente é necessário que em algum momento o arquivo de música digital transmitido pelo seu celular, notebook ou outro dispositivo de reprodução de arquivos digitais tenha um DAC, chip responsável pela conversão do sinal digital para analógico, além de um amplificador, para amplificar o sinal e conseguir fazer com que o alto-falante (driver) gere som. Em um fone de ouvido com cabo USB-C ou lightning, há um DAC e um amplificador dentro do conector que irão permitir que o fone de ouvido possa tocar. Quando se utiliza uma solução como esta, você estará limitando as possibilidades de obter uma qualidade de som maior, pois não há como utilizar um DAC/amp USB mais bem elaborado para conseguir uma sonoridade mais refinada.

9 - Não compre um fone de ouvido in-ear Bluetooth TWS com ANC

Infelizmente não há como se ter o mesmo desempenho de um headphone Bluetooth com ANC em um fone in-ear True Wireless (TWS) com a função de cancelamento de ruído ativo. O motivo é simplesmente físico, pois não há como ter o mesmo número de microfones que um fone over-ear (ou circunaural) nem o mesmo nível de processamento de som que depende também de um bom fornecimento de energia. Em um fone de ouvido TWS temos um espaço limitado para microfones, tendo uma média de 3 microfones por lado, enquanto um headphone pode ter cinco ou mais.

Além dos pontos ditos acima, o espaço para a bateria é consideravelmente menor em um TWS, sendo necessário controlar com muita eficiência o gasto energético, o que não é benéfico para um bom sistema de cancelamento de ruído através do processamento do áudio de múltiplos microfones com uma grande velocidade.

10 - Não compre fones de até 20 dólares (R$ 100) com cabo removível

Considerando que o sistema de cabo removível tem um impacto maior no custo total do fone de ouvido e que você quer comprar modelos mais baratos, na maioria das vezes é mais vantajoso escolher fones com cabo fixo. O motivo disso é simples, como se gasta menos com a conexão entre o cabo e o driver (alto-falante) do fone, é possível utilizar um cabo de melhor qualidade nos fones de ouvido com cabo fixo.

Esse artigo é feito em parceria com o Grupo Fones de Ouvido High-End:

Especial: Série de artigos sobre Fones de Ouvido

Confira a série especial de artigos, em parceria com a Fones High End (Facebook, Instagram, Twitter), onde é mostrada uma nova perspectiva descomplicando tudo sobre fones de ouvido!

Como funciona?

O Som

Tecnologias

Como escolher?

Dicas

Tutoriais

Artigos

Reviews

A História

Entrevistas

Samsung Galaxy M53 5G: dá uma olhada nesse celular!

Comentários
Minha foto
Insira um comentário