Oficina da Net Logo

Brasileiros ainda gastam pouco com aplicativos, diz estudo

O levantamento traz dados interessantes tanto para desenvolvedores quanto para usuários.

Por | @oficinadanet Aplicativos

O brasileiro costuma ser bastante cauteloso em gastos com aplicativo e jogos mobile, isso é fato. Agora, para saber realmente a situação que nos encontramos foi realizado um estudo entre a AppsFlyer em parceria com o Facebook.

O levantamento traz dados interessantes tanto para desenvolvedores quanto para usuários. A análise leva em conta o LTV ('lifetime value', ou valor de vida útil) de um aplicativo, isso quer dizer o valor que cada usuário que baixar o aplicativo pode gerar de receita para determinada aplicação.

O Brasil, conforme já esperávamos, é um dos mercados que menos tem a oferecer financeiramente aos desenvolvedores. A média ficou estipulada em US$ 4,04 para cada 90 dias nos aplicativos m-commerce. Para comparação, os ingleses, por exemplo, ficaram com média de US$ 9,50, já os russos tiveram média de US$ 6,37. Atrás do Brasil Indonésia (US$ 3,33) e Índia (US$ 2,77).

O Brasil, conforme já esperávamos, é um dos mercados que menos tem a oferecer financeiramente aos desenvolvedores. O Brasil, conforme já esperávamos, é um dos mercados que menos tem a oferecer financeiramente aos desenvolvedores.

Leia também:

As médias em questão consideram somente os usuários conquistados de modo não-orgânico, ou seja, que instalaram a aplicação após ver uma publicidade. Levando em conta os usuários que baixam aplicativos de maneira orgânica e não-orgânica, a média fica em US$ 13,88 nos mesmos 90 dias, com vantagem para o iOS, da Apple, com US$ 19,64, contra US$ 11,49 entre usuários Android.

Para completar, o levantamento ainda identificou que somente 9,7% dos usuários gastam em compras dentro do aplicativo. Isso levando em consideração os usuários que chegam ao app de modo orgânico ou mesmo não-orgânico.

O relatório levou em consideração 250 milhões de instalação não-orgânicas de 3.800 aplicativo durante a primeira metade do mês de janeiro. Por fim, foram avaliados aplicativos de três categorias: compras, viagens e jogos.

COMPARTILHE
Comentários
Carregar comentários