Conheça as novidades do Android 10 (Q) reveladas pela versão beta

O Android Q é a mais recente atualização de software para o sistema operacional móvel do Google, e mesmo que o Android Pie tenha acabado de ser lançado, o Android Q não deve demorar para chegar.

Por | @oficinadanet Android Pular para comentários

O Google lançou o primeiro beta para desenvolvedores, e quem tem um Google Pixel deverá receber o novo sistema em primeira mão. É esperado que os novos recursos do Android Q sejam divulgados no Google IO 2019, que ocorrerá em 7 de maio, na palestra da empresa em Mountain View, Califórnia. Mas se você está curioso, confira aqui o que já sabemos sobre o Android 10 Q.

Graças à versão beta lançada, da para se ter uma ideia do que chegará com a nova versão do sistema operacional do Google. No momento, o que se sabe é muito baseado em dados históricos e vazamentos, mas conheceremos fatos mais concretos à medida que o Google IO 2019 se aproxima.

Data de lançamento do Android Q

  • 13 de março: Lançamento do primeiro beta para desenvolvedores do Android 10
  • Início de abril: Não é mentira: Lançamento da segunda beta do Android Q será em 1º de abril
  • Início de maio: O beta 3 deve ser lançado em 1º de maio
  • Início de junho: A atualização incremental final, beta 4, deve chegar em junho
  • Julho: Beta 5 e beta 6, candidatos a lançamento
  • Agosto: O lançamento final aconteceu rotineiramente em agosto

A versão beta do desenvolvedor do Android Q do Google já está disponível para quem tem um smartphone Google Pixel e está disposto a testar um sistema operacional móvel inacabado.

O Google descreveu seis etapas para seu processo beta de seis meses, incluindo o lançamento inicial, três atualizações incrementais, uma atualização com APIs finais, o SDK oficial e dois candidatos a lançamento. Isso é tudo antes da versão final do Android 10.

Suas atualizações mensais indicam que o lançamento oficial do Android Q deve ser em agosto, mês em que historicamente foram lançadas as versões anteriores do Android. Mas isso não significa que todos os smartphones Android terão o Android Q. 

O lançamento para outros dispositivos acontecerá ao longo de 2019 e até 2020, já que vários fabricantes adicionam seus próprios recursos e interfaces ao sistema operacional. Há uma chance de que você tenha que esperar bastante tempo após o lançamento inicial do Android Q, antes de ver a atualização do sistema operacional de seu dispositivo.

Recursos do Android Q

Com a revelação pública da primeira versão beta do Android Q, o Google confirmou oficialmente uma parte dos recursos que chegam na atualização completa. Não está claro se todos estão disponíveis no primeiro lançamento, ou quais serão adicionados em uma versão beta posterior, mas pelo menos sabemos o que está por vir.

Alguns dos recursos mais interessantes provavelmente serão revelados no Google IO 2019, enquanto outros serão revelados com novas versões beta. No entanto, podemos ter uma noção do que esperar da atualização operacional do Google, graças a vazamentos.

Mas primeiramente, vamos conhecer os aqui recursos que o Google confirmou em sua postagem em seu Blog.

Suporte dobrável

O grande recurso dessa versão do Android 2019 é o suporte para "telas dobráveis ​​e novas telas inovadoras", como diz a postagem no blog. Isso é mais um recurso para os desenvolvedores, com alterações de back-end, que ajudarão a tornar seus aplicativos compatíveis com as grandes telas dobráveis ​​dos smartphones top de linha. Mas pelo menos sabemos que o Android está pronto para esse tipo de tecnologia.

Modo escuro em todo o sistema

O primeiro grande vazamento do Android Q foi pelo site XDA Developers, que supostamente conseguiu uma versão em janeiro de 2019 do novo sistema operacional, e mostrou um modo escuro todo em sistema, confirmado pelo especialista em tecnologia Owen Williams. 

Os desenvolvedores também terão uma opção que parece forçar os aplicativos sem os modos escuros a mudar para o esquema de cores noturno.

Privacidade

A postagem no blog do Google que anunciou a versão beta de desenvolvedor confirmou uma forte ênfase no aumento da privacidade no Android Q. Os usuários terão mais controle sobre o acesso dos aplicativo à informações de localização, arquivos compartilhados e repositórios, como Fotos e Vídeos. 

Outra mudança útil: em vez dos aplicativos mudarem automaticamente de foco quando tiverem uma Atividade em segundo plano (como um alarme ou chamada), primeiramente vão enviar notificações de alta prioridade. Essas podem ser algumas das mudanças mais onerosas para os desenvolvedores do Android Q.

Ferramentas de desenvolvedor para aplicativos

Os desenvolvedores poderão exibir configurações do sistema contextualmente importantes em seus aplicativos. Então, em vez de ter que ir até as Configurações para ativar o Modo avião ou ativar ou desativar o Wi-Fi, ou Dados móveis, por exemplo, você poderá fazer isso diretamente no navegador.

Também há ajustes na conectividade, incluindo o "Wi-Fi adaptável", que permite modos de alta performance / baixa latência, o que seria útil para jogos on-line ou chamadas de voz.

No Android Q, os aplicativos podem solicitar dados de profundidade (metadados JPEG + XMP + mapa de profundidade e confiança) para, por exemplo, oferecer "opções especializadas de desfoque e bokeh na câmera", como sugere a postagem do Android. "Você pode até mesmo usar os dados para criar imagens 3D ou suportar fotografia AR no futuro."

O Android Q também suporta mais codecs de multimídia: AV1 para permitir que provedores de mídia transmitam vídeo de alta qualidade, Opus para codificação de áudio e HDR10 + para vídeo de alta faixa dinâmica "em dispositivos que o suportam" - como a família Samsung Galaxy S10.

Quanto aos jogos, o Android Q beta aumenta o suporte para OpenGL, junto com correções de bugs e mais funcionalidades. 

Mais permissões

O vazamento do XDA também revelou uma renovação das permissões, do geral para o específico. Os usuários podem ter uma visão geral de quais aplicativos deram permissão para determinadas coisas, como, digamos, o acesso ao local ou ao microfone. Há uma função de pesquisa, que permite filtrar por item de permissão, permitindo que você veja rapidamente quais aplicativos você deu acesso à sua câmera, contatos, localização e assim por diante.

Você também pode ver as permissões concedidas a cada aplicativo e alterná-las individualmente, para definir se o acesso estará desativado, ativado ou ativado enquanto o aplicativo estiver aberto.

Ferramentas de desenvolvimento

Há muitas novas ferramentas de desenvolvimento descritas pelo vazamento do XDA, mas não está claro como todas elas funcionarão. As janelas de forma livre retornam, o que permite que você as ative depois de pressionar e segurar um ícone de aplicativo na visão geral recente dos aplicativos.

Por outro lado, o XDA também encontrou um recurso chamado "Game Updates Package Preference" (Preferências do Pacote de Atualizações de Jogos), cujo propósito é um pouco misterioso. Outro, intitulado "force desktop mode" (forçar o modo de área de trabalho), parece que possibilitaria ao Android servir como um monitor externo, o estilo Samsung DeX.

Nem toda a interface do usuário está concluída, fazendo com que alguns recursos - como a gravação de tela - não sejam totalmente compreensíveis. 

Autenticação no estilo ID facial

Outra revelação feita pelo XDA Developers mostra que o sistema operacional pode ter um recurso sobre o qual os usuários do iOS já usurfruem: ID do rosto. A próxima versão do Android pode suportar aparelhos que empacotam o hardware para usar varreduras faciais na autenticação.

Não está claro como isso funcionará, ou se combinaria as leituras do sensor para uma varredura mais abrangente dos recursos faciais. Mas alguns códigos de erro em um dos APKs do sistema operacional dá pistas, pois variavelmente diz ao usuário para mover o smartphone em diferentes direções, para que o dispositivo consiga ver melhor seu rosto. 

Outras strings de código encontradas pelo XDA também são promissoras, como uma que divulga que os usuários que podem "Usar seu rosto para desbloquear seu dispositivo, autorizar compras ou fazer login em aplicativos".

Se os smartohones poderão usar o Face ID é outra história: eles precisam ter o hardware compatível com esta tecnologia - seja por sensores ou as especificações certas - para que o recurso funcione. 

O fim do botão voltar e o controle por gestos

Embora smartphones Android já tenham tentado forçar a navegação por gestos por anos, o sistema operacional sempre manteve sua navegação estática de três botões. Mas isso pode estar chegando ao fim, já que a compilação de visualização do XDA mostrava apenas controles por gesto, de acordo com esse artigo do site Tom's Guide.

Pelo que parece, os usuários só podem usar o sistema de navegação presente no Google Pixel 3: uma pequena pílula na parte inferior da tela que você pode deslizar em diferentes direções.

É importante notar que o Android permite que as marcas desenvolvam seus próprios métodos e sistemas de navegação, para acompanhar suas superposições. Por isso é muito improvável que essa seja a única maneira de navegar. 

Algo mais?

Havia outras duas possibilidades de recursos no Android 10 no vazamento do XDA, incluindo novas configurações de acessibilidade.

Ambas se aplicam a quanto tempo as mensagens de notificação permanecem ativas, e aparentemente se aplicam a diferentes tipos de notificações. A primeira é para "mensagens que pedem para você agir", enquanto a outra se refere a notificações que aparecem com simples lembretes. Você pode alterná-los para ficar entre 30 segundos e 2 minutos. 

Isso é tudo o que se sabe por enquanto, mas novos detalhes certamente surgirão nas próximas versões beta, no Google IO 2019 em maio e em qualquer vazamento.

Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal