6G já começa a ser pesquisado pela Huawei

Em laboratório de Ottawa, Canadá, a Huawei pensa mais de uma década a frente ao pesquisar o sucessor do ainda em implementação 5G.

Por Tecnologia Pular para comentários

Enquanto o 5G ainda está para vir em um futuro nem tão próximo assim para o Brasil, a Huawei começa pesquisas em seus laboratórios no Canadá sobre o desenvolvimento de redes 6G, contudo, a previsão inicial para a aplicação prática dessa nova tecnologia seria somente em 2030. Esse tipo de pesquisas tão a longo prazo é na realidade comum. O próprio 5G começou a ser pesquisado em 2009 pelo mesmo laboratório em Ottawa, que hoje está com o projeto do 6G.

O vice-presidente da Huawei no Canadá, Song Zhang, afirmou que o trabalho está apenas em fases preliminares e que acadêmicos de mais de 13 universidades canadenses estabeleceram um acordo de cooperação de desenvolvimento tecnológico com a empresa. As pesquisas atualmente estão partindo do 5G, analisando padrões e comportamentos para posteriormente estabelecer uma forma de ampliar a capacidade da rede e tecnologia.

Ottawa Lab

O projeto corre às portas fechadas e quase nada se sabe sobre as possíveis funcionalidades e diferenciais do 6G. Mas, o próprio Zhang pondera que esse tipo de desenvolvimento e pesquisa leva em torno de 15 anos para efetivamente se tornar uma tecnologia de rede ativa, ainda que incrivelmente o 5G tenha levado apenas 11 anos para chegar nessa etapa.

A pesquisa acontece em meio a turbulências políticas da China com os EUA e com o banimento da Huawei do país por Donald Trump. Há pressão internacional para que aliados americanos sigam o mesmo exemplo de sanções contra a empresa chinesa e contra produtos chineses, mas o Canadá não indicou qualquer intenção de aplicar tais tipos de medidas protecionistas. O país apenas analisa com cautela e realiza todos os testes de segurança para a implementação ainda do 5G pela Huawei no país, o que Zhang concorda e crê ser mais do que normal e justo.

Agora, como consumidor brasileiro, nos resta aguardar ainda a chegada do 5G, enquanto o 4.5G mal chegou a ser difundido pelo território nacional. Por fim, ainda restam dúvidas sobre como o governo Bolsonaro lidará com as empresas e produtos chineses frente à pressão estadunidense.

 

Mais sobre: huawei, smartphones
Compartilhe com seus amigos:
Bruno Ignacio de Lima
Bruno Ignacio de Lima Jornalista, gamer e geek. Louco por tecnologia. Redator de smartphones e novidades tecnológicas aqui no Oficina da Net
Quer conversar com o(a) Bruno, comente:
Carregar comentários