Bitcoin estoura novamente e passa de U$ 10 mil, desde março de 2018 que não atingia esse valor

Criptomoeda teve um aumento súbito de valor neste último final de semana, alavancando sua negociação para US$11.000. Esse é o maior valor do ano para o Bitcoin.

Por Tecnologia Pular para comentários
Bitcoin estoura novamente e passa de U$ 10 mil, desde março de 2018 que não atingia esse valor

O Bitcoin teve um de seus maiores aumentos este final de semana, a criptomoeda não valorizava dessa forma desde março de 2018, analistas da área atribuiram o súbito aumento após a apresentação do White Paper do Facebook sobre o Libra.

A criptomoeda atingiu US$11.247,62 na bolsa Bitstamp no final do domingo, mais tarde, recuou para US$11.039,62.

O Facebook anunciou na semana passada que planejava lançar uma nova criptomoeda, o Libra, embora o anúncio tenha imediatamente levado a perguntas de reguladores e políticos em todo o mundo. A súbita alta de outras criptomoedas nos faz enxergar como positiva a chegada do Facebook ao mercado de criptomoedas. Embora já tenhamos informado aqui que esse assunto só será sólido no segundo semestre de 2020. 

Quem conhece sabe, o bitcoin é muito volátil, a imagem acima capturada a pouco já mostra ligeira queda no valor.Quem conhece sabe, o bitcoin é muito volátil, a imagem acima capturada a pouco já mostra ligeira queda no valor. E indica também que a valorização não chegou nem perto da alta de dezembro de 2017.

Mati Greenspan, analista da eToro, disse que os ganhos do bitcoin ressaltaram o crescente otimismo entre os investidores de varejo de que os planos do Facebook eram parte de uma tendência mais ampla de grandes empresas adotarem moedas criptografadas.

"Eles acreditam que Libra criará consciência em massa de criptomoedas e atuará como um portal para adoção."

Uma das maiores razões pela corrida no mercado de bitcoins, segundo analistas, é a próxima "redução pela metade" da criptomoeda, prevista para maio de 2020, onde as recompensas oferecidas aos mineiradores de bitcoin diminuem. Isso restringe o fornecimento da moeda digital.

O Bitcoin depende dos chamados computadores de "mineração" que validam blocos de transações que se atualizam a cada 10 minutos. Em troca, o primeiro a entregar o resultado é recompensado com novos bitcoins.

A tecnologia Bitcoin foi projetada de forma a cortar a recompensa para os mineradores pela metade a cada quatro anos, uma medida destinada a conter a inflação.

A recompensa de mineração atualmente é de 12,5 bitcoins. Na próxima metade, em 2020, a recompensa cairá para 6,25 novos bitcoins.

"O Bitcoin sempre faz tem seu valor elevado a quase 200% um ano antes da redução ocorrer e, essa elevação também ocorre um ano após o corte", disse Marius Kramer, um influenciador de mídia social que atualmente trabalha com o aplicativo Ember Fund.

Outros traders citaram fatores geopolíticos, desde as tensões na região do Golfo até a guerra comercial EUA-China, que alimentaram o interesse pelo bitcoin, que mais do que dobrou de preço desde março.

Thomas Puech, da Enigma Securities, uma empresa sediada em Londres que se especializa em acordos de criptomoedas de grande porte vendidos sem receita, disse que as crescentes tensões entre os Estados Unidos e o Irã são "gás" para o bitcoin e outras criptomoedas.

No final de março, o bitcoin iniciou sua subida de valor e até o momento já valorizou quase 200%!

A volatilidade do Bitcoin tem sido ótima para investidores maiores, no entanto entusiastas com poucos fundos disponíveis para investir não estão gostando muito. Afinal, para os pequenos investidores é hora de vender para os grandes. Pois como citado acima, ano que vem pode ser um ano não tão bom. 

Mas claro que a máxima aqui vale, assim como na bolsa de valores, só invista nesse tipo de negócio um dinheiro que você está disposto a perder. Esse mercado definitivamente não é para amadores.

Compartilhe com seus amigos:
Bernardo Silva
Bernardo Silva Louco por tecnologia, amo velocidade e sou apaixonado por comida.
FACEBOOK // INSTAGRAM: @androidplaceblog // TWITTER: @bgssilva
Quer conversar com o(a) Bernardo, comente:
Minha foto
    Últimas notícias de Tecnologia