Oficina da Net Logo

O que é Blockchain? Saiba como funciona o registro de transações do Bitcoin

O Blockchain é um dos maiores chavões da tecnologia no momento. Mas afinal, o que é isso?

Por | @oficinadanet Bitcoin Pular para comentários

O Blockchain é um dos maiores negócios financeiros da tecnologia moderna. Para entendê-lo, é preciso primeiramente entender sua relação com o Bitcoin, lançado em 2009. O Bitcoin é uma criptomoeda, e o Blockchain (corrente de blocos) é o registro das transações da moeda. O Bitcoin é uma criptomoeda, também conhecida como moeda digital e ele precisa do Blockchain para poder girar.

Entender a relação entre o Blockchain e o Bitcoin nos permitirá entender como essa tecnologia pode ser transferida para muitos outros casos de uso no mundo real.

O Bitcoin é uma ideia concebida por uma pessoa misteriosa ou grupo de pessoas, conhecido como Satoshi Nakamoto. Ninguém conhece a verdadeira identidade de Nakamoto, mas sua visão foi apresentada em um artigo de 2009 chamado “Bitcoin: Um sistema ponto-a-ponto de dinheiro eletrônico"

O que é Blockchain

O Blockchain é um registro público de todas as transações de Bitcoins que ocorreram. Não pode ser adulterado ou alterado retrospectivamente. Defensores da tecnologia dizem que isso torna as transações de Bitcoin mais seguras do que os sistemas atuais. Leia em destaque: O que é Bitcoin? Leia tudo o que você precisa saber.

O que é BlockchainO que é Blockchain

Então, aqui estão alguns fatos sobre o Bitcoin:

  • Não é regulamentado por uma autoridade central.
  • Existe um limite de 21 milhões.
  • Atualmente pouco mais de 17 milhões de Bitcoins estão em circulação.
  • Acredita-se que a primeira transação usando bitcoin foi realizada por um programador chamado Laszlo Hanyecz, que gastou 10.000 bitcoins em duas pizzas de Papa John's em 2010.
  • A identidade do criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto, permanece um mistério.
  • O Bitcoin tem sido freqüentemente usado para comprar produtos ilícitos, como drogas.
  • Leia tudo o que você precisa saber sobre BitCoin.

Como funciona?

O Blockchain é “descentralizado”, o que significa que não é controlado por nenhuma instituição financeira tradicional.

Enquanto as moedas tradicionais são emitidas pelos bancos centrais, o Bitcoin não tem uma autoridade central, e sim pelo Blockchain, que é mantido por uma rede de pessoas conhecidas como mineiros.

Esses "mineiros" são pessoas que usam computadores criados para fins específicos que, na verdade, competem para resolver problemas matemáticos complexos, a fim de fazer uma transação acontecer.

Por exemplo, digamos que muitas pessoas estão fazendo transações de Bitcoin. Cada transação se origina de uma carteira, que tem uma "senha privada". Essa é uma assinatura digital e fornece uma prova matemática de que a transação foi feita de fato pelo proprietário da carteira.

Agora, imagine que muitas transações estão ocorrendo em todo o mundo. Essas transações individuais são agrupadas em um bloco, organizadas por regras com criptografias rígidas. O bloco é enviado para a rede Bitcoin, composta por pessoas que usam computadores extremamente potentes. Esses computadores competem para validar as transações, tentando resolver enigmas matemáticos complexos.

O vencedor recebe um prêmio em Bitcoin.

Este bloco validado é então adicionado aos blocos anteriores, criando uma cadeia de blocos chamada Blockchain.

Como o Blockchain é inviolável

Uma das vantagens do Blockchain é que ele não pode ser adulterado. Cada bloco que é adicionado à cadeia carrega uma referência criptográfica rígida ao bloco anterior.

Essa referência é parte do problema matemático que precisa ser resolvido para trazer o seguinte bloco para a rede e a cadeia. Parte da solução do quebra-cabeça envolve o cálculo do número aleatório chamado “nonce”. O nonce, combinado com os outros dados, como o tamanho da transação, cria uma impressão digital chamada hash. Essa atividade é completamente criptografada, tornando a transação segura.

Cada hash é único e deve atender a determinadas condições criptográficas. Quando isso acontece, um bloco é concluído e adicionado à cadeia. Para adulterar isso, cada bloco anterior, dos quais existem mais de meio milhão, exigiria que os enigmas criptográficos fossem refinados, o que é impossível.

Prós, contras e alternativas ao blockchain 

Pode parecer um processo desnecessario e complicado para movimentar dinheiro. Mas o Blockchain tem suas vantagens.

Com os métodos tradicionais de pagamento, todas as transações no mundo são registradas em bancos de dados de propriedade privada (entidades corporativas) e entidades públicas financeiras, como o Banco Central do Brasil. Esses bancos de dados não são acessíveis ao público. 

Por causa dessa natureza, eles poderiam estar abertos a fraudes, ou serem atingidos por um ataque, que poderia prejudicar uma rede, ao contrário do Blockchain. Agora, pense no Blockchain como um banco de dados reforçado. Ele registra todas as transações em Bitcoin, não permite pagamentos repetidos e exige que várias partes autentiquem o movimento da moeda digital.

Como o Blockchain não é centralizado, isso também significa que, se uma parte dele cair, toda a rede não entrará em colapso. Existem muitas partes diferentes da rede de Bitcoins que exigem que ela funcione. Assim, mesmo que um minerador saísse de ação, por exemplo, as transações ainda funcionariam.

Problemas do Blockchain

O Blockchain foi projetado para ser uma rede descentralizada. Com isso, no entanto, surgiu uma série de problemas.

Um grande problema é que os tempos e custos de transação do Bitcoin aumentaram, à medida que a rede se tornou mais congestionada. Isso levou, na verdade, a desentendimentos de várias partes que sustentam a rede de como a tecnologia deve se desenvolver no futuro para resolver esses problemas.

Por exemplo, no ano passado, um grupo de desenvolvedores que não concordou com o futuro do Bitcoin, rompeu e dividiu o Blockchain subjacente. Isso levou à criação de um ramo de Bitcoin conhecido como Bitcoin Cash. Outro racha aconteceu, resultando no Bitcoin Gold.

MAIS SOBRE: #Blockchain  #Bitcoin  #criptomoeda
Comentários
Carregar comentários