O Bitcoin é a criptomoeda mais importante, e muito disso se deve por ter sido a precursora entre as moedas digitais. Lançada no começo de 2009 pelo criador de pseudônimo Satoshi Nakamoto. Para investir, é necessário estar por dentro da situação da criptomoeda, e neste artigo você pode obter toda a informação necessária, incluindo o valor do Bitcoin hoje, atualizado.

O Bitcoin foi a primeira criptomoeda a registrar transações em uma rede segura e descentralizada, baseada em blockchain. Seu valor é mensurado pela capitalização de mercado e também pela quantidade de dados armazenados no blockchain. O software do Bitcoin é gratuito, e está disponível para qualquer pessoa que desejar baixar em seu computador.

Conforme o Bitcoin amadureceu, os engenheiros desenvolveram protocolos adicionais para melhorar a velocidade e a privacidade das transações, incluindo a Omni Layer, Lightning Network e Liquid Network.

Qual o valor do Bitcoin hoje?

Histórico de Preços do Bitcoin

O Bitcoin é conhecido por sua volatilidade, e sofreu inúmeras oscilações dramáticas de preços desde o seu lançamento.

2009: O Bitcoin tornou-se público em 2009, e as pessoas começam a "minerar" novas unidades de moeda.

2010: O Bitcoin é negociado pela primeira vez, ponto a ponto em um fórum bitcoin. Um desenvolvedor inicial usa-o para pagar uma entrega de pizza, a fim de demonstrar um caso de uso como moeda, gastando 10.000 BTC em duas pizzas.

2011 - 2012: O Bitcoin atinge e excede paridade com o dólar americano, atingindo um valor de cerca de US$ 31 por Bitcoin, em junho de 2011. Logo após caiu para menos de 10% desse valor, onde permanece por grande parte do ano seguinte.

2013: O Bitcoin sobe para US$ 1.000 por BTC antes de cair para US$ 300, levando a especulações generalizadas de que a moeda havia desmoronado permanentemente.

2014: O preço continua a despencar. Enquanto isso, a gigante da tecnologia Microsoft começa a aceitar a criptomoeda como pagamento.

2015 - 2016: O preço do Bitcoin se recupera para US$ 770, em junho de 2016, encerrando rumores de que a moeda estaria em declínio.

2017: O Bitcoin ganha mais consciência mainstream, e aumento da demanda leva a um aumento maciço de preços, de menos de US$ 1.000 para cerca de US$ 20.000.

2018: O preço do Bitcoin despenca novamente, continuando uma rápida queda em dezembro de 2017, e levando a ainda mais especulações de uma explosão permanente de bolhas. Os preços caíram após janeiro, chegando a uma queda de mais de 50% em abril. Especula-se que essa queda se deveu ao lançamento de um mercado futuro de Bitcoin. No final do ano, os preços caíram para cerca de US$ 3.200.

2019: Agora uma moeda amplamente aceita, a adoção e a conscientização do Bitcoin continuaram a crescer. O preço se recuperou e se estabilizou em cerca de US$ 10.000 em 2019.

2021/06: China repreende mineração por conta do alto consumo de energia, Bitcoin cai 10%.

Oscilações do Bitcoin em consequência das declarações de Elon Musk

Nos últimos dias temos visto uma grande oscilação do Bitcoin, graças a algumas declarações do bilionário dono da Tesla e da SpaceX, Elon Musk. E no último domingo à noite ele voltou a se pronunciar, desta vez contribuindo para aumentar o valor da criptomoeda com um tweet positivo.

O preço do Bitcoin tem girado em torno das opiniões de Musk há meses, desde que a Tesla anunciou em fevereiro uma compra de US$ 1,5 bilhão em Bitcoin, e disse que aceitaria a criptomoeda como forma de pagamento.

No dia 13 de maio, Musk anunciou que a Tesla não permitiria mais a compra de seus veículos com o Bitcoin devido a preocupações ambientais. O CEO disse que: "A criptomoeda é uma boa ideia em muitos níveis, e que sua empresa acredita que ela tem um futuro promissor, mas isso não pode ter um grande custo para o meio ambiente.

Ele ainda alegou que a Tesla não venderia nenhum Bitcoin, e que a empresa pretendia usá-lo para transações assim que a mineração passar para uma energia mais sustentável. A consequência foi que o Bitcoin despencou cerca de 10% logo após o tweet.

De acordo com um índice da Universidade de Cambridge, a mineração de Bitcoin consome atualmente cerca de 97 terawatts por hora, o que excede o uso de energia de países inteiros como o Cazaquistão, e não está muito longe do que é usado pelos Países Baixos.

Em 19 de maio, o Bitcoin caiu mais de 50% abaixo de sua alta recorde de US$ 64.895 em abril. Todo o setor de criptomoedas perdeu quase US$ 1 trilhão.

Na época do tweet de Musk em maio, porém, alguns analistas sugeriram que ele era provável tentando impulsionar as credenciais verdes de Tesla e promover energia sustentável para alimentar a produção de Bitcoin, algo que beneficiaria a empresa a longo prazo.

Bitcoin em alta após nova declaração

Dessa vez Musk afirmou que sua empresa de carros elétricos Tesla retomará as transações com a criptomoeda. Em uma resposta a um artigo que o criticava por "manipular o preço do Bitcoin", Musk mencionou que a Tesla retomará as transações com a criptomoeda quando a mineração for feita com energia mais limpa.

Musk atualmente é a segunda pessoa mais rica do mundo. O canal de notícias sobre criptomoedas CoinTelegraph o acusou de manipular o mercado de criptomoedas com suas declarações. O bilionário respondeu: "Isso é impreciso. A Tesla só vendeu cerca de 10% das participações para confirmar que o bitcoin poderia ser liquidado facilmente sem movimentar o mercado".

Ele ainda disse que quando houver a confirmação de que pelo menos 50% da mineração de Bitcoin for feita com o uso de energia limpa, o que ele considera "razoável", a Tesla retomará as transações de Bitcoin.

Com essa notícia, o Bitcoin subiu quase 10%, o maior ganho percentual em um único dia desde 9 de junho.