China planeja lista de "entidades" não confiáveis em retaliação a proibição da Huawei

A China, como previram, não está se conformando com o banimento pelo Donald Trump de suas empresas nos EUA. O país anunciou então, recentemente, que está sendo criado uma "lista negra de entidades não confiáveis".

Por | @Vitor_Valeri Tecnologia Pular para comentários

A China, como previram, não está se conformando com o banimento pelo Donald Trump de suas empresas nos EUA. O país anunciou então, recentemente, que está sendo criado uma "lista negra de entidades não confiáveis".

A lista criada pelo governo chinês inclui empresas, organizações e pessoas estrangeiras que interferem de alguma forma com as empresas chinesas. Isso inclui empresas que rompem contratos, violam regras de mercado, bloqueia suprimentos para empresas por razões "não-comerciais".

O governo da China não mencionou nomes ou empresas ou como (ou se) puniria os infratores.

Embate EUA e ChinaEmbate EUA e China

A China tem uma certa evolução com as empresas americanas, incluindo pedidos de contrato e fornecedores, e caso haja um corte de parceiros, pode levar o país a ter sérios problemas em alguns negócios domésticos. Porém isso pode servir como chantagem para forçar o governo norte americano a voltar às negociações e remover a Huawei da lista negra do Departamento de Comércio americano.

Se ocorrer alguma punição, as consequências podem ser devastadoras para a indústria de tecnologia. Empresas como Intel e Qualcomm se expulsas da China, perderão parceiros de negócios e fornecimento. Os movimentos tomados podem trazer tempos bem difíceis e um dos lados terá que dar trégua para que os negócios continuem.

Digam o que vocês acham sobre o rumo que estão tomando as coisas abaixo.

Comentários
Minha foto
  • Minha foto
    Carlos Alberto Diniz    •    1 semana

    A China está certíssima. Já que norte-americanos, europeus e coreanos deixam, por submissão ao Governo Trump, de realizar negócios com as empresas chinesas, devem ser banidas também do mercado chinês as empresa daqueles países, mesmo considerando o possível estrago para a economia chinesa. Mas, e os EE.UU., a Europa, Coreia do Sul, Taiwan, Japão, Singapura, etc, etc... não sofrerão nada? Suas economias também são tão dependentes da China, quanto a economia chinesa dependem daquelas. É dizer: a China deve retaliar sim e com força! Somente assim se pode enfrentar a política canhestra de Trump e seus acólitos na Hungria, Itália, Brasil, Israel, Argentina, etc, etc... Tudo coisa de gente contra o meio ambiente, a globalização do próprio imperialismo e adeptos da "terra plana". Interessante não é mesmo?

Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal