Segundo garoto responsável por hackear servidor da Apple sai da prisão

O ataque ocorreu em 2015 e 2017 por dois jovens australianos. Segundo o advogado de defesa das vítimas, os garotos admiravam a empresa e hackearam seu servidor com a esperança de serem contratados pela maçã.

Por Tecnologia Pular para comentários
Segundo garoto responsável por hackear servidor da Apple sai da prisão

Foi liberado da prisão na última segunda-feira (27) um dos jovens responsáveis por hackear os servidores da Apple e fazer downloads de diversas informações do então chamado "arquivo seguro" da empresa. O primeiro ataque foi realizado em 2015 e apenas em 2018 dois jovens foram descobertos e presos pelo crime.

Na época, os garotos tinham 13 e 16 anos. Em setembro de 2018 o mais velho recebeu sua condenação - liberdade condicional por oito meses. Na última segunda-feira (27), o outro rapaz foi julgado e condenado a cumprir sua pena em liberdade condicional pelos próximos nove meses.

 Dois jovens australianos conseguiram invadir o servidor da Apple em 2015 e 2017. Ambos foram presos em 2018.Dois jovens australianos conseguiram invadir o servidor da Apple em 2015 e 2017. Ambos foram presos em 2018.

A decisão foi proferida pelo juiz David White da Corte da Juventude de Adelaide, na Austrália, que levou em consideração a boa reputação do rapaz na escola e o fato de que, após o ataque, o jovem usou seus "talentos tecnológicos" para o bem.

Segundo o advogado de defesa da vítima, Mark Twiggs, o garoto não tinha ideia da gravidade da situação. Ele era fã da Apple e acreditava que, caso descoberto pelo hack, poderia ser contratado pela empresa para auxiliar na melhora do sistema de segurança da maçã.

O advogado ainda alegou que ambos os garotos são extremamente talentosos e pretendem estudar cibersegurança e criminologia na faculdade, se arrependendo profundamente do que fizeram.

Mesmo com a invasão, a Apple não sofreu nenhuma perda financeira ou de tecnologia.

O caso

Dois adolescentes de Adelaide, cidade localizada na Austrália, invadiram o servidor da Apple em dezembro de 2015. Na época, eles criaram credenciais falsas e digitais, confundindo o servidor - que acreditava que ambos eram funcionários da empresa.

Em 2017 eles realizaram um novo ataque, dessa vez utilizando diversos laptops e conexões diferentes para não serem pegos. Os jovens conseguiram baixar documentos e dados internos da Apple, tendo acesso inclusive a informações pessoais de usuários.

Pelo menos 90GB de dados foram salvos pelos rapazes. As informações não foram divulgadas, nem usadas.

Todos os equipamentos utilizados pelos garotos durante o ataque hacker foram apreendidos pela polícia.Todos os equipamentos utilizados pelos garotos durante o ataque hacker foram apreendidos pela polícia.

Apesar de todo esforço para não serem pegos, a Apple conseguiu rastrear os ataques e descobrir o número de série dos computadores usados no crime. A empresa logo acionou o FBI, que contatou a Polícia Federal australiana e conseguiu prender o primeiro garoto. Em seguida, foi a vez do segundo jovem de ser preso.

Em setembro de 2018, o jovem que tinha 16 anos na época - agora com 19 - foi julgado e recebeu a pena de liberdade condicional de oito meses. Agora, em maio de 2019, foi a vez do mais novo, de 13 anos na época - e 17 agora - receber a mesma sentença, só que de nove meses.

Todos os equipamentos utilizados pelos garotos como notebooks, smartphones e HDs foram apreendidos pela Polícia Federal.

Compartilhe com seus amigos:
Andressa Isfer
Andressa Isfer Jornalista, amante de séries, filmes, livros e games. Curiosa e sempre pronta para novos desafios.
TWITTER: @andressaisfer
Quer conversar com o(a) Andressa, comente:
Minha foto
    Últimas notícias de Tecnologia