Oficina da Net Logo

Startup afirma que criou bateria de carro elétrico com 600 milhas de alcance

De acordo com a empresa, ela fabricou a primeira bateria recarregável de 1.000 Wh/Kg do mundo. As baterias da Tesla, para comparação, usa em seu Modelo 3, as chamadas 2170 células, estimadas em 250 Wh/Kg.

Por | @oficinadanet Tecnologia Pular para comentários

Os carros elétricos já estão presentes nas ruas, porém, um dos grandes desafios está em seu tempo de rodagem. A Innolith, uma startup suíça, afirma que assuas novas baterias de íon de lítio de alta densidade podem melhorar a autonomia dos carros.

De acordo com a empresa, ela fabricou a primeira bateria recarregável de 1.000 Wh/Kg do mundo. As baterias da Tesla, para comparação, usa em seu Modelo 3, as chamadas 2170 células, estimadas em 250 Wh/Kg. O Departamento de Energia dos EUA está financiando um programa para criar células de bateria de 500 Wh / kg.

"É um grande salto", disse o presidente do Innolith, Alan Greenshields, em entrevista ao The Verge . “É basicamente, em números aproximados, quatro vezes o atual estado-da-arte do íon de lítio ... Aproximadamente três vezes o que é geralmente aceito como sendo a próxima melhoria no lítio. E são duas vezes a meta de densidade de energia [que] organizações como o Departamento de Energia dos EUA definiram. Então isso é um grande negócio ”.

Startup afirma que criou bateria de carro elétrico com 600 milhas de alcance .Startup afirma que criou bateria de carro elétrico com 600 milhas de alcance .

Uma bateria assim poderia alimentar um carro elétrico por 1.000 quilômetros (621 milhas) somente com uma carga. As baterias da Tesla, que são produzidas pela Panasonic, atualmente, podem suportar 330 milhas de alcance nos modelos mais caros.

A maioria dos carros elétricos são alimentados por baterias de íon de lítio “úmidas”, que utilizam aletrólitos líquidos para movimentar a energia. A Innolith utiliza baterias de íons de lítio, com a diferença que ela substitui o solvente orgânico por uma substancia inorgânica que é menos inflamável.

"Nós retiramos os materiais orgânicos e os substituímos por materiais inorgânicos ou basicamente semelhantes a sal, e isso faz duas coisas para você", diz Greenshields. “Um é se livrar do seu risco de incêndio, então, é claro, não há nada para queimar. E a segunda parte é que você também se livrou dos componentes mais reativos do sistema, o que torna mais fácil construir uma bateria onde você pode armazenar muita energia sem que a coisa se torne instável ”.

A Innolith diz que levará sua nova bateria inovadora ao mercado por meio de uma produção piloto inicial na Alemanha, através de parcerias de licenciamento com grandes empresas automotivas e de baterias. A comercialização deverá acontecer em até cinco anos.

Fonte: The Verge

Assista ao nosso último vídeo: