Tela grande, três, quatro e até cinco câmeras, baterias de 7.000 mAh e mais recentemente até carregadores com mais de 120W de potência. Esses são só alguns atributos que foram crescendo nos smartphones com o passar dos anos. Só que para acomodar tudo isso que eu falei, os celulares têm ficado cada vez maiores e mais pesados.

Aí eu te pergunto: você não tem saudade dos aparelhos que cabiam na palma da mão?

Olha esse Moto G 5s aqui de 2017, cabe na mão e veja se a colocar ele lado a lado com o mesmo Moto G, só que o 9 power (gigante).

Na frente o Moto G5, ao fundo o Moto G 8 Power
Na frente o Moto G5, ao fundo o Moto G 8 Power

Tem uma galera que sente essa saudade, mas não abre mão de performance adequada, câmeras com resultados expressivos e uma autonomia de bateria que garanta pelo menos um dia inteiro longe da tomada.

Pois é. As principais fabricantes de smartphones do planeta já pensam nesse público há um tempo. Por isso a gente vai refletir hoje se tem espaço para mais smartphones compactos no nosso mercado, ou será que essa é uma preocupação pequena demais?

Desde que a gente começou a avaliar smartphones aqui no Oficina da Net, lá em 2013, os celulares passaram de telas de 4,7 polegadas para 5, depois para 5,5, 5,7 e assim por diante. Atualmente tem aparelhos como ROG Phone da Asus, com 6,8 polegadas de tela. E você sabe que a tela praticamente dita o tamanho do celular.

As fabricantes também conseguiram eliminar espaços considerados "mortos" na carcaça, espremeram todos os componentes de hardware em corpos pequenos e oferecem hoje modelos compactos que, apesar de uma tela e bateria muitas vezes menor, o mesmo processador qualificado pode ser usado tanto nos compactos quanto nos aparelhos "plus size".

Celulares compactos, você compraria um?

Então vamos ver as principais mudanças de um aparelho compacto e como isso afeta a experiência do usuário.

Tela menor, mas nem tanto

Displays seguem acima de 5 polegadas
Displays seguem acima de 5 polegadas

Quando você pega um celular compacto nas mãos, a primeira impressão é que a tela é pequena e você não terá condições de redigir mensagens rápidas com o teclado do seu mensageiro favorito. Esse estranhamento vai embora no momento que você liga a tela - graças à tecnologia, o display dos aparelhos ocupa praticamente 100% da face frontal do celular. Pega como exemplo o Zenfone 8, de 2021. O display desse aparelho é de 5,9 polegadas. Viu só? Parece menor mas não é.

Outro exemplo é o Galaxy S22 com display de 6,1 polegadas. Agora, compare com o iPhone 11, cuja tela também tem 6,1" e tem carcaça maior.

Ruim para ver filmes?

Isso não é problema, justamente pelo tamanho da tela não ser tão menor quanto parece. Pessoas que assistem filmes, séries e vídeos nas redes sociais pela tela do celular não têm do que reclamar.

Você continua podendo ver seus filmes e séries pelo celular
Você continua podendo ver seus filmes e séries pelo celular

Ruim para jogar?

Jogar com o celular segue sendo uma ótima pedida, mesmo em smartphones compactos
Jogar com o celular segue sendo uma ótima pedida, mesmo em smartphones compactos

Assim como para ver vídeos e filmes, jogar também não é um problema para smartphones compactos. Você pode acompanhar nos testes de jogos que realizamos no quadro Roda Liso que a experiência de jogo nunca fica prejudicada por uma tela levemente menor, pelo contrário, muitos jogadores preferem uma pegada mais confortável para ficar por horas se divertindo.

O grande tendão de aquiles está na autonomia de bateria para longas jornadas de jogatina. Isso sim, é relatado, como por exemplo, no Roda Liso do Galaxy S22.

Bateria menor, mas nem tanto

Não tem jeito, a bateria é o componente mais volumoso dentro do corpo compacto de um smartphone. Essa é a explicação do motivo pelo qual não vemos baterias cada vez maiores nos celulares. Smartphones como o Galaxy S22 tem bateria de 3.700mAh e o Zenfone 9 tem 4.300mAh. Nada mal se você considerar o tamanho do produto e também a capacidade dos carregadores que acompanham os aparelhos.

#CelularesCapac.Cons. (%)StandByCargaTela Ligada
46°ASUS Zenfone 94.3009515:00h01:20h+7h45min
69°Samsung Galaxy S223.700100001:35h7h05min
73°ASUS Zenfone 84.000100001:25h6h33min

Você pode usar um carregador de 30W para o Zenfone 9 e até 25W para os novos da Samsung (cujo carregador não acompanha na caixa). Caso seja necessário, poucos minutos na tomada com carregadores ultra-rápidos resolvem o problema.

Conjunto de câmeras mais enxuto

Conjuntos de câmeras tem de duas a três lentes no máximo.
Conjuntos de câmeras tem de duas a três lentes no máximo.

Aqui sim uma área dos smartphones que é mais afetada na diferença entre os aparelhos grandes e os compactos. Sobretudo na quantidade de sensores presentes. A câmera principal fica intocável com a mesma capacidade, no entanto, as marcas optam por sacrificar um ou até mais sensores para acomodar tudo no corpo menor.

Na Apple, por exemplo, você sabe que os modelos Pro e Pro Plus carregam uma terceira lente que abre muitas possibilidades de produção de fotos e vídeos para seus usuários. Mas se pegarmos o Zenfone 9 como exemplo mais recente, são apenas duas lentes na traseira e, pelo menos até o momento, não há nenhum rumor ou notícia de que a marca lançará um celular Plus, Pro, ou Flip - como tinha até o Zenfone 8.

Mas o número reduzido de lentes não é, de forma alguma, sinal de má qualidade das fotos e vídeos (aliás, você vai ficar de boca aberta com a qualidade dessas câmeras. Em breve aqui no canal).

E o preço?

Bem, o preço não acompanha a redução do tamanho da carcaça e os smartphones compactos seguem custando tanto quanto os grandes. O que explica isso é justamente o poder da máquina e tudo que ela oferece. Além do bom e do melhor em termos de hardware, os produtos ainda são compactos e cabem na palma da sua mão.

Recém lançado no Brasil, o Zenfone 9 chega custando R$ 3.999. Já o Galaxy S22 está custando na faixa dos R$ 4.500 atualmente. O Zenfone 8 já circula com preços que variam de R$ 2699 - R$ 3.200 conforme promoções.

Dá para a gente concluir que comprar um celular compacto esse ano é quase como um opcional de luxo. Mas o fato desse mercado ganhar força, nos dá boas esperanças de smartphones intermediários também voltarem a aparecer com design menores sem perder o poder de fogo.

Confira os preços de alguns smartphones compactos:

Melhores celulares compactos para comprar

Para fechar esse artigo, eu trago para vocês pelo menos 5 smartphones compactos para ficar de olho nesse final de ano e durante o ano que vem.

iPhone 12, 13 e 14

Já coloco os iPhones mais recentes como uma das opções pelo simples fato deles serem praticamente iguais entre os tamanhos. Eles tem suas particularidades e também seus respectivos preços. No entanto, as versões mini ou normal, têm tamanhos que se encaixam na mão e, portanto, são ótimas opções de celulares compactos. Veja a ficha técnica do iPhone 14.

iPhone 14
iPhone 14

Galaxy S22

Já mencionado no texto, o Galaxy S22 é tem um tamanho perfeito para qualquer pessoa. Não deixa a desejar em NADA diante dos seus irmãos maiores, exceto pela bateria que realmente é menor e, se você gosta de ficar jogando, terá de recorrer ao carregador - excluído da caixa pela Samsung. Veja a ficha técnica Galaxy S22.

Galaxy S22
Galaxy S22

Zenfone 8 e Zenfone 9

Em 2021 a Asus lançou o Zenfone 8 Flip como personagem principal e uma versão compacta, o Zenfone 8. Para esse ano, a empresa optou por apresentar apenas um modelo compacto como grande topo de linha (tirando a linha ROG) e o Zenfone 9 desponta como um dos melhores celulares do ano. Veja a ficha técnica do Zenfone 9.

Zenfone 9
Zenfone 9

Conclusão

Sinceramente, existe público para os smartphones compactos, a ideia deles é praticidade, estar com o celular pronto para o combate. Ter uma opção de pau pra toda obra, ser bom em praticamente tudo, compacto e leve. O que afeta muito nos aparelhos é a condensação dos componentes internos, que por muitas vezes acaba removendo bateria, um dos principais problemas, ainda assim, será possível manter um dia de uso menos intenso.

E você compraria um celular compacto novamente?