O Moto G60, até o momento, é o segundo melhor Moto G da linha 2021, atrás do G100. Curiosamente, ele supera o modelo mais poderoso em algumas especificações. Por exemplo, a bateria é maior (6000 mAh contra 5000 mAh) e a câmera principal tem vistosos 108 megapixels, características que chamam atenção.

Sem dúvidas, muitos consumidores podem ficar em dúvida sobre como esse modelo se posiciona no mercado, tanto em relação ao portfolio da Motorola quanto diante da concorrência. São câmeras topo de gama? Ele vale mais que tops de anos anteriores? Saiba que ele está atualmente na nossa lista dos melhores celulares até R$ 2000.

Moto G60 análise: é o melhor celular Motorola até R$ 2000?


Ficha técnica

Lançado em abril de 2021, as especificações do G60 o posicionam como um "intermediário avançado", ou seja, acima de aparelhos mais simples. O processador Snapdragon 732G tem bom poder de fogo e, junto com 6GB de RAM e 128GB de armazenamento, compõe um bom conjunto. Outro destaque fica para a tela, que tem 120Hz de taxa de atualização, sendo capaz de exibir movimentos bastante fluidos. As câmeras trazem chamativos 108 megapixels na lente traseira principal e 32 na lente frontal. Fechando o pacote, a bateria de 6000 mAh fica entre as maiores do mercado brasileiro, e empata com a bateria do Moto G9 Power como a maior entregue pela fabricante.

Motorola Moto G60
Status
Verificado
Data lançamento
20/04/2021
Preço de lançamento
R$ 2.699,00
Menor preço histórico
R$ 1.969,00
Preço atual
R$ 1.969,00
Corpo
Dimensões
169.6 x 75.9 x 9.8 mm
Peso
225 g
Construção
Plástico na traseira, Frame em plástico e Vidro Frontal
Chip
Híbrido Dual SIM
Proteção IP68
Proteção a respingos
Plataforma
Processador
CPU
Octa-core (2x2.3 GHz Kryo 470 Gold e 6x1.8 GHz Kryo 470 Silver)
GPU
Adreno 618
Sistema operacional
Android 11
Memórias
Memória RAM
Armazenamento Interno
Armazenamento Extra
microSDXC
Tela
Tela - Tipo
IPS
Tela - Tamanho
6.8
Tela - Resolução
2460 x 1080
Tela - Densidade
395 ppi
Tela - Extras
120Hz, HDR10 e 560 nits
Câmera principal
Câmera principal
108 MP, f/1.9 e PDAF
2ª câmera
8 MP, f/2.2, 118˚ (ultrawide), 1/4.0, 1.12µm
3ª câmera
2 MP, f/2.4, (profundidade)
Câmera - Extras
Flash LED, HDR e Panorama
Vídeo
4K - 60fps
Câmera frontal
Câmera Traseira - Abertura
F/1.7
Câmera - HDR
Sim
Câmera Frontal
32 MP, f/2.2
Câmera Frontal - Extras
Flash LED e HDR
Vídeo
4K - 30 FPS
Câmera Frontal - Abertura
F/2.2
Bateria
Bateria
6000 mAh
Carregador
20W
Redes de dados
3G
Sim
4G
Sim
5G
Não
Wi-Fi
802.11 a/b/g/n/ac
Bluetooth
LE, 5.0 e A2DP
GPS
A-GPS, GLONASS e GALILEO
NFC
Sim
Som
Som
Loudspeaker
3.5mm jack
Sim
Outros
Rádio FM
Sim
Infravermelho
Não
USB
2.0 e Tipo-C
Sensores
Impressão digital (traseira), Giroscópio, Proximidade e Acelerômetro

A bateria promete… E entrega

Cumprindo a tendência que a Motorola felizmente vem estabelecendo nos últimos lançamentos, um dos grandes destaques do G60, na prática, é sua autonomia. Em dias de uso intenso, com muita rede social, WhatsApp, YouTube e Spotify, foi comum eu conseguir marcas como 28 horas de uso total sendo 9 com a tela ligada. Tudo isso com o painel funcionando em sua fluidez máxima, o que significa que sim, é possível usá-lo dessa forma sem se preocupar com autonomia, tampouco com aquecimento.

O aparelho é bem grandalhão
O aparelho é grandalhão

Nas ocasiões em que meu uso foi mais brando, o aparelho conseguiu passar para um segundo dia sem qualquer problema. Ou seja, o G60 é confiável para diferentes perfis de uso, dos mais simples aos mais exigentes. Não houve um dia sequer em que precisei recarregá-lo antes de ir dormir.

Desempenho? Eu queria mais

Se a bateria foi muito bem, minha sensação final sobre a performance foi mista. Adianto: a tela de 120Hz realmente é um barato para navegar pelos menus do sistema e pelos aplicativos, mas o G60, em si, não conseguiu me entregar uma experiência fluida em todo o tempo. Apesar da rápida resposta do display, foram comuns leves quedas de performance ao manipular aplicativos pesados, navegar por páginas extensas da web, entre outros.

Com isso, não afirmo que o G60 é lento, ele só não conseguiu me entregar uma experiência "lisa" como a do G100, por exemplo, ou mesmo de aparelhos similares que testei no passado, como o Google Pixel 4a.

Visual que chama atenção
Visual que chama atenção

Em jogos, por outro lado, gostei do que vi. Consegui rodar títulos leves e pesados sem problemas, e a tela grande jogou a favor de todos eles. Diria que é justo separar as "engasgadas" no sistema do que foi visto em games.

Câmeras poderiam ser mais impactantes

Os 108 megapixels da lente traseira principal devem ser um dos grandes chamarizes do G60 para quem lê sua ficha técnica. Afinal, esse número se reflete em qualidade? Na verdade, não. Houve momentos em que consegui ótimos resultados com as câmeras, mas também outros de leve decepção.

As selfies funcionaram bem em quase todo o tempo, com nível de detalhes satisfatório e compensação muito boa quando em contraluz. À noite, o aparelho tem um flash frontal que produz resultados decentes, com cores que não ficam artificiais. E a filmagem em 4K na câmera frontal também tem boa qualidade, uma capacidade muito útil para criadores de conteúdo.

Considerando as fotos com a câmera principal, a qualidade é próxima à que eu consegui com o Moto G100. A tonalidade é interessante, a definição também. O HDR poderia ser um pouco mais inteligente, porque algumas fotos em contraluz ou em ambientes claros ainda retornam áreas esbranquiçadas.

O que me incomodou, de fato, em minha experiência, é que o G60 toma decisões estranhas no processamento de algumas fotos. Em alguns tipos de contraluz, quando se toca para focar num objeto à frente, o resultado pode ser uma foto meio escura. Além disso, em paisagens noturnas com muitos pontos de luz, o aparelho pode ter alguma dificuldade pra entregar o melhor foco. Aproximando as imagens, são notáveis pontos "turvos".

O curioso é que, à noite, o G60 me pareceu mais competente que o G100 para focar em objetos à sua frente. A finalização das capturas também tem estilo similar ao do irmão mais caro, com um processamento que mantém os tons escuros em detrimento da clareada clássica de modelos como os Galaxy S. Isso é questão de gosto. O problema, de fato, é a falta de um ajuste fino no software, que pode tropeçar quando não se espera.

A frontal tem 32MP e tira fotos em 8MP por padrão
A frontal tem 32MP e tira fotos em 8MP por padrão

Além disso, os 108 megapixels não devem ser considerados grande diferencial. Por padrão, o aparelho tira fotos em 12MP - vários pixels são mesclar os em um para que se obtenha, em tese, imagem mais bem iluminada. Entretanto, tanto em 12MP como quando forcei os 108MP, não foram perceptíveis ganhos em luz ou definição.

Veredicto: Ainda um intermediário interessante

Prós
  • Visual chama atenção
  • Bateria dura muito
  • Tem um bom conjunto
Contras
  • Câmera é boa, mas não como esperado
  • Desempenho passa na média
Motorola Moto G60
8.0

Para tratar do aparelho em si, ele tem boa construção, com acabamento brilhoso e um ótimo leitor de impressões digitais na traseira - ainda uma solução preferível frente a vários leitores embutidos na tela com desempenho ruim. O som é apenas mono, mas tem volume OK. E, curiosamente, a Motorola manteve a função de rádio FM embutida, para quem ainda a busca. A caixa já inclui capinha e fones de ouvido, que estão sendo cada vez mais um diferencial.

Apesar dos meus descontentamentos, este ainda é um Android para lá de digno. Eu gostei bastante de usá-lo, só sinto que poderia ter gostado muito mais se houvesse pequenos ajustes no desempenho e nas câmeras. Assim como no G100, a Motorola garantiu uma grande atualização do Android por aqui - saiu com o 11 e deve ir para o 12. Isso deixa muitos fãs entusiastas um tanto insatisfeitos, mas garante ao menos 2-3 anos de funcionamento atualizado, sem riscos de incompatibilidade com apps.

Quais são os concorrentes?

O Moto G60 tem como concorrência aparelhos competentes como o Galaxy A52 ou o A72 da Samsung, intermediários fortes que saíram este ano. Em relação ao A72, por exemplo, o Moto G vence em autonomia e levemente em performance, mas tem tela menos bonita e perde por pouco na câmera traseira.

A opção do consumidor pode se dar em função da preferência por marca, mas diria que o G60 vale a pena quando atinge a marca de 1800 reais ou menos. Nessa faixa, é um intermediário que pode brilhar por entregar bastante.

Onde comprar?

Abaixo, estão listadas algumas boas ofertas para este smartphone:

  • Moto G60 Champagne, com Tela de 6,8, 4G, 128GB e Câmera Tripla de 108MP & 8MP & 2MP - XT2135-1 Fast Shop R$ 1.969,00 Ver oferta
  • Motorola Moto G60 128Gb Azul 4G Tela 6.8 Câmera Tripla 108Mp Selfie 32Mp Android 11 Carrefour R$ 1.977,00 Ver oferta
  • Motorola G60, 128GB, 6GB RAM, Octa-Core, Câmera Tripla, 6000mAh, Azul - PANA0000BR Kabum R$ 1.979,00 Ver oferta