Motorola Moto Z3 Play

Review Moto Z3 Play: Tendências de 2018, mas pecou no preço

Testamos a terceira geração de smartphones modulares da Motorola, com tendências de 2018, corpo de vidro, tela fullvision, será que vale a pena comprar?

Por | @nmuller99 Reviews de smartphones Nota: 8.1/10 4 comentários

O Moto Z3 Play é o terceiro de sua geração. A linha Z, que comporta os snaps, incorpora as tendências de 2018 trazendo um smartphone de vidro, com tela fullvision, ainda mantendo grandes bordas na tela e custando R$ 2.299 no Brasil. Será que a terceira geração de smartphones modulares da Motorola vale a pena comprar?

O que vem na caixa do Moto Z3 Play

Dentro da caixa do aparelho podemos encontrar cabo USB, adaptador USB-C para P2, carregador, fones de ouvido e esse modelo que recebemos não chegou com snaps. Você pode comprar o modelo Z3 Play Powered Edition, que vem equipado com o snap de bateria.

Leia em destaque: Review Galaxy J8 - Um intermediário ok.

 

Design do Moto Z3 Play

O design característico da Motorola foi aprimorado em 2018. Os aparelhos agora são revestidos em vidro com pequenas linhas em metal. Todos os Moto Z, contam com a traseira muito parecida, modificando apenas o revestimento e cores. O aparelho é fino, leve e elegante.

Moto Z3 PlayMoto Z3 Play

A frente, agora não tem mais o sensor de impressões digitais, que foi movido para a lateral direita, em uma posição muito boa. Fácil de alcançar com o polegar e indicador da outra mão. A tela ocupa bastante área, mas ainda conta com duas grandes bordas nas faces superior e inferior. Como o sensor foi movido para a lateral direita, o botão de desligar foi posicionado na face esquerda, mudando o padrão da Motorola.

Sem Plug P2: Sim, tiraram o P2. Ele vem com um adaptador P2 que é ligado na porta USB, do tipo C.

Moto Z3 Play - traseira do smartphoneMoto Z3 Play - traseira do smartphone

No Moto Z, o projeto não tende a mudar muito. A traseira será assim até que não existam mais snaps. A protuberância das câmeras é usada para dar suporte e evitar que os snaps deslizem. Não há muito o que exigir deste projeto, ele já conta com tela grande o suficiente, é fino e leve. Até esse é um ponto a ser cuidado, o aparelho é fácil de ser derrubado, as capas de proteção que existem para ele são praticamente snaps.

Em resumo no design, ele é uma mistura de Moto G6 com Moto Z, pra mim, está de bom tamanho.

 

Hardware, specs e performance do Moto Z3 Play

As melhorias de hardware em relação ao seu antecessor foram basicamente no processador, conjunto de câmeras e tela. A começar pelo processador, passou de snapdragon 626 para 636, uma versão que tem leitura de memória maior e velocidade de download maior em redes 4G, mas perde em processamento, cerca de 22%. No final das contas, isso tudo vai tornar o consumo de energia um pouco menor e proporcionar downloads em rede 4G um pouco melhores.

Ele ainda conta com 4GB de memória RAM e 64GB de armazenamento interno, expansível por cartão MicroSD até 2TB. Memória e armazenamento suficiente para os dias de hoje.

A tela do Moto Z3 Play

Super AMOLED, de 6 polegadas, fullvision, resolução de 2160x1080, proporção 18:9, protegida por Corning Gorilla Glass. As telas AMOLED são muito mais nítidas e com cores mais vivas que as IPS. Esse foi um ponto positivo para a Motorola.

Tela Super AMOLED do Moto Z3 PlayTela Super AMOLED do Moto Z3 Play

A densidade de pixels com 403 ppi poderia ser melhor. Qual a diferença entre ter mais ou menos densidade de pixels? Quanto mais pixels na tela, maior a resolução. A resolução maior em tela pequena tende a tornar as imagens mais nítidas, portanto, para uma bela tela como a Super AMOLED, em um smartphone “quase topo de linha”, poderia sim ser melhor. São detalhes que só vão fazer a diferença para quem já teve uma tela com resolução maior.

Desempenho do Moto Z3 Play

Esse foi um ponto interessante, ele se equiparou em praticamente todos os testes de desempenho com o Galaxy A8, superando em quase todos os quesitos nos testes de benchmark, porém, nos testes reais, eles se equipararam.

Abaixo o relatório de benchmark de todos os apps que usamos:

Posso dizer que o Z3 Play vai ser um smartphone que você poderá usar por muito tempo, claro, se a Motorola manter ele atualizado. O software que veio empregado, Android 8.1, já é a versão estável mais atual, o processador aliado aos 4GB de memória RAM tornam esse dispositivo, uma opção para pensar em longo prazo, ainda mais pelos snaps, que podem ajudar e muito na questão de bateria e outras funcionalidades.

Som

O alto-falante principal do Z3 Play é também o usado para chamadas. Com uma saída só, a Motorola não trouxe o Dolby Audio do G6 Plus. Para quem leu o review do Moto G, pode ver a atenção que a fabricante deu para o som do telefone. Infelizmente essa melhoria não foi passada adiante. O som é OK, não é baixo nem alto demasiado. Para quem gosta de escutar músicas, certamente vai usar um headset ou conectar a uma caixa bluetooth. As frequências não se sobrepõem e não são perceptíveis distorções de som.

O posicionamento do alto-falante ajuda, principalmente quem está habituado a consumir conteúdo com o smartphone deitado e segurando com as duas mãos. Na frente, você dificilmente vai cobrir a saída de som.

Câmeras do Moto Z3 Play

Me perdoem os fãs, mas a Motorola não é craque em produzir câmeras excelentes, e antes de ser apedrejado, vide o ranking das melhores câmeras (DxOMark), onde o atual melhor aparelho da marca (Z2 Force) está apenas na 23º posição, perdendo para smartphones mais baratos e também para mais antigos que ele, mas seria injustiça dizer que todas elas são ruins.

Os telefones de 2018 que testei foram bem, o G6 Plus teve boas fotos e agora o Z3 Play na sua câmera principal não se saiu mal.

É preciso ter cuidado ao usar fotos com o HDR ativo, qualquer esbarrão ou movimento ela desfoca, e o que deveria ficar melhor, piora. Mas, se o smartphone estiver praticamente imóvel, vão sair boas imagens, até mesmo em ambientes com pouca luz. Abaixo, você pode ver a galeria de fotos.

As cores em ambientes iluminados ficam mais próximas do natural do que as fotos feitas a noite. Lembrando que para testar as câmeras, usamos sempre o modo automático, aproximando ao máximo o que um usuário “normal” de câmeras de smartphone faria.

A câmera frontal com 8MP e abertura f/2.0, que não me agradou muito. Apesar de ter se saído bem nas fotos externas, o que é natural, onde houve menos luz ela foi pior que a câmera do G6 Plus, com cores mais opacas e pixelizando bastante. Esse foi um ponto fraco.

Bateria do Moto Z3 Play

Esse foi um ponto legal, ele teve uma duração muito boa no teste de vídeo, chegando a quase 13 horas intermitentes (12:44). Outros smartphones com 200~300 mAh a mais de bateria fizeram menos tempo que ele. Em uso para os testes, consegui chegar a 5:53h de tela, gasto em pouco mais de 1 dia e 8 horas.

  • Em vídeo
    12:44h
  • Capacidade
    3000 mAh
  • Em carga
    01:25h
  • Tempo de tela
    -

A bateria em uso intenso vai aguentar entre 10 a 12 horas, com tempo de tela entre 5 a no máximo 6:30, mas ainda assim você vai ter um dia de uso, pelo menos nos 15 primeiros meses de vida do aparelho. Com o passar do tempo o desgaste começa, aí você já sabe o resto da história.

O carregador, Turbo Charger 4.0, foi surpreendente no tempo de carga, levou 1:25h para carregar por completo os 3000 mAh. Um dos mais rápidos que já testamos.

Especificações completas do Moto Z3 Play

Marca Motorola
Processador Qualcomm Snapdragon 636
GPU Adreno 509
Memória RAM 4 GB
Armazenamento Interno 64 GB
Armazenamento Extra 2 TB
Câmera Frontal 8 MP
Câmera Traseira 5 MP e 12MP
Câmera Traseira - Abertura F/2.2 e F/1.7
Vídeo 4K - 30 fps
Display - Tamanho 6"
Display - Tecnologia Super AMOLED
Display - Proteção Corning Gorilla Glass 3
Display - Resolução 2160 x 1080
Sistema operacional Android 8.1 Oreo
Bateria 3000 mAh
AnTuTu 116039
Peso 155 g
Câmera - HDR
Câmera - estabilização ótica
3G
4G
Bluetooth
GPS
NFC
Wi-Fi
DLNA
Rádio FM
TV Digital
Acelerômetro
Bússola
Flash
Giroscópio
Sensor de proximidade
Vibração
Viva Voz
Sensor de impressão digital
Detecção facial
Barômetro

 

Software - Android Oreo 8.1

O mais atual Android estável, é esse o primeiro ponto que enalteço no software. A atual versão já instalada de fábrica nos remete a pelo menos um ou dois anos recebendo atualizações, certamente o Android P chegará para Z3 Play, o Q é bem provável. Esse é um ponto que a Motorola tem se saído bem. Além de trazer software atualizado, ela tem ido pelo menos dois updates a frente nos seus principais smartphones.

Telas do sistema do Moto Z3 Play - Android Oreo 8.1Telas do sistema do Moto Z3 Play - Android Oreo 8.1

Aliado a isso, a Motorola traz um sistema limpo, com apenas alguns apps desenvolvidos por ela. Destaque para o Moto, que junta o Moto Tela, Moto Ações, Moto Key e o beta do Moto Voz.

Telas do sistema do Moto Z3 Play - App MotoTelas do sistema do Moto Z3 Play - App Moto

As ações, no sentido literal, ajudam muito nas tarefas do dia-a-dia. Virar o telefone com a tela para baixo e ele entrar em modo não perturbe, as tradicionais chacoalhada para ligar a lanterna e torcer duas vezes para abrir a câmera, quem para de usar um Motorola sente falta das facilidades.

Além das ações, tem o Moto Tela, que quando ativa, vai diminuir a luz azul durante a noite, para “chamar o sono”. Vai manter a tela ligada, enquanto você estiver com o rosto de frente para o smartphone e as notificações com tela desligada que basta apertar o dedo para ver mais informações, descartar ou mesmo responder sem desbloquear o aparelho.

Como já dito no review do Moto G6 Plus, o Moto Voz é ruim, ainda “muito beta”, tem poucas opções, compreende quase nada. Enfim, é algo que a empresa está trabalhando, dou ponto positivo pelo empenho, mas como é muito recente, nem deveria constar isso nos dispositivos de clientes ainda.

Veredicto

O aparelho chegou custando R$ 2.399, 400 a mais que seu antecessor, a diferença entre eles não é lá tanta para ter aumenta o preço em praticamente 20%. Mesma quantidade de memória RAM e armazenamento interno, telas iguais na qualidade, diferentes no tamanho, a performance melhorou, é bem verdade, mas o revestimento total em vidro me deixa com um medo tremendo em quebrar o aparelho. Sem capa ou um snap, você vai quebrar ele, mais cedo ou mais tarde. E a traseira em vidro nem se justifica, é meramente estético, afinal, ele não conta com carregamento wireless. Eu não gosto de telefone de vidro, já deixei claro isso em meus reviews, eles são bonitos, mas telefone é utilidade, coisa para o dia-a-dia, quebrar a frente já é fácil, ambas as faces então...

Moto Z3 PlayMoto Z3 Play

Um ponto positivo no aparelho é a performance aliada ao software. Roda tudo muito bem, sem engasgos. O Moto Z3 Play vem para competir com o A8+, Zenfone 5 e agora, por que não, com os smartphones chineses que estão tomando conta por todos os lados (não é repúdio, pelo contrário, quanto mais concorrência, melhor eles ficam).

► COMPRE AQUI O MOTO Z3 PLAY: http://bit.ly/z3playon1

Pelo comparativo em termos de especificações e preço, o A8+ já é encontrado por menos de R$ 2000, quando esse review foi lançado, é um grande concorrente. O Zenfone 5, ainda não lançado no Brasil, chega(ou) em agosto. Ele deve vir equipado com 6GB de memória RAM, com mesmo processador e câmeras melhores, portanto, mesmo chegando a R$ 2.499 (não sei preço ainda) ainda assim eu ficaria com o Zenfone 5. A Motorola precisa baixar mais esse valor do aparelho, R$ 2.299 (valor atual) não compensa comprar ele, R$ 1.799~1.899 é um bom valor pago, quem sabe daqui alguns meses.

NOTA

8.1

Motorola Moto Z3 Play

Prós
  • Tela
  • Câmera traseira
  • Bateria
  • Snaps
  • Performance
Contras
  • Câmera frontal
  • Fragilidade do corpo feito em vidro
  • Ausência de entrada P2
  • Preço

Hey, acompanhe todas as notícias do Oficina da Net no Telegram. Inscreva-se grátis.

Melhores smartphones de 2018Tudo sobre
Comentários
Carregar comentários