Twitter procura melhorar conteúdo e combater discursos de ódio

Chefe do Twitter vai a público pedir ajuda dos usuários para combater assédios e manipulação nas mensagens instantâneas.

Por | @ingridjank Redes sociais

A rede social de mensagens instantâneas mais famosa da internet está com problemas. Na quinta-feira do dia 1° de março, o chefe do Twitter, Jack Dorsey, expressou preocupação diante do comportamento dos usuários da rede social, comunicando que precisa de ajuda de todos para enfrentar os assédios, bots, a desinformação, notícias falsas e manipulação política. O twitter vem sendo alvo de críticas por não ter combatido essas questões, o que levou Dorsey a se manifestar publicamente em uma série de tweets.

Em tom de responsabilidade, confessou que a empresa não previa nem entendia completamente as consequências negativas das mensagens no mundo real, mas que agora reconhecem isso e estão determinados a encontrar soluções holísticas e justas.

A equipe do Twitter havia concentrado as forças na remoção de conteúdo contrário a seus termos, chegando a excluir 235 mil contas em seis meses por promover o extremismo, em agosto de 2016. Agora, pretendem mudar de comportamento. O CEO explica que a “construção de um quadro sistêmico para ajudar a promover um debate mais saudável, conversas e pensamento crítico” é a abordagem de que precisam.

Jack Dorsey, chefe do Twitter, manifestou-se diante acusações contra a Rede Social.Jack Dorsey, chefe do Twitter, manifestou-se diante acusações contra a Rede Social.

A solução encontrada consiste na identificação de métricas para avaliar a “saúde das conversas públicas”, ao mesmo tempo que tentam encontrar formas para fazer acontecer essa medida. Dorsey ainda pediu ajuda para que os abusos cessem, os usuários podem desencorajar essas ações e também enviar propostas em uma página da web criada para isso.


Em seu tweet, Dorsey diz: “não nos orgulhamos de como as pessoas aproveitaram o nosso serviço ou a nossa incapacidade de abordá-lo com rapidez suficiente” confessa, ao mesmo tempo que declara que estão trabalhando para corrigi-lo enquanto são acusados de apatia, censura, preconceito político e otimização para os negócios. “Isso não é quem somos, nem quem queremos ser” completa.

Ao final, o chefe do Twitter se comprometeu compartilhar os resultados publicamente na rede social, para benefício de todos que compartilham da conversa pública.

SHARE
+ Notícias
Comentários