Oficina da Net Logo

Na hora da compra, brasileiros ainda optam por celulares mais baratos

Mesmo em alta, os aparelhos considerados mais baratos estão perdendo espaço para os aparelhos mais sofisticados. Entre 2014 e 2015, os telefones com preços de até R$ 1,5 mil tiveram aumento no número de vendas.

Por | @oficinadanet Negócios

De acordo com um estudo da consultoria Kantar, os brasileiros, na hora de comprar um novo celular, acabam optando por aparelhos mais baratos, ou seja, com preços até R$ 500.  Tais modelos correspondem por 46% das vendas de celulares no país.

Mesmo em alta, os aparelhos considerados mais baratos estão perdendo espaço para os aparelhos mais sofisticados. Entre 2014 e 2015, os telefones com preços de até R$ 1,5 mil tiveram aumento no número de vendas.

Um dos motivos para o crescimento nas vendas de aparelhos com um valor maior deve-se também ao fato de que já não é tão fácil encontrar aparelhos com valor menor de R$ 500. Em 2013, 56% dos aparelhos comercializados no país custavam até R$ 500. Em 2014, a participação caiu para 48% e, no ano passado, para 46%.

Na hora da compra, brasileiros ainda optam por celulares mais baratos
Na hora de escolher um aparelho celular, mesmo com a alta nas vendas de produtos topo de linha, os preferidos continuam sendo os modelos mais em conta.

Leia também:

Já os aparelhos entre R$ 501 a R$ 1 mil, em 2013 correspondiam a 31% da parcela do mercado, em 2014 passaram para 43%. Já em 2015, o total de parelhos com preços intermediários passou para 41%.

Aparelhos acima de R$ 1 mil

De acordo com a Kantar, os aparelhos que custam entre R$ 1.001 e R$ 1,5 mil ainda atraem apenas uma parcela menor da população, porém, crescente. Nesta categoria, o número de celulares passou de 9% em 2013 para 10% em 2015. Em 2014 o índice atingiu 8%.

Os aparelhos que custam mais de R$ 1.500 reais também registraram uma procura pequena, mesmo assim, com crescimento. Em 2013, os topos de linha correspondiam a 5% do mercado. Em 2014, o índice caiu para 4% e no ano passado passou para 6%.

MAIS SOBRE: #smartphone  #android  #ios  #rafaelapozzebon
Comentários
Carregar comentários