Microsoft realiza o teste de primeiro data center subaquático do mundo

O calor desse tipo de local é muito grande, por possuir milhares de computadores ligados simultaneamente.

Por | @oficinadanet Tecnologia

A Microsoft resolveu instalar um data center em um local inusitado, ou seja, dentro do oceano. Intitulado como Projeto Natick, ele conta com enormes tubos de aço ligados por fibra óptica que ficariam posicionados no solo marinho ou mesmo flutuando sobre a água. A iniciativa tem como objetivo um melhor aproveitamento do local, bem como manter tudo resfriado.

"Ir debaixo d'água pode resolver vários problemas com a introdução de uma nova fonte de energia, reduzir consideravelmente os custos de refrigeração, reduzir a distância com as populações conectadas e tornar a instalação de centros de dados mais simples e mais rápida", disse a empresa em seu blog oficial.

Microsoft realiza o teste de primeiro data center subaquático do mundo

Leia também:

O calor desse tipo de local é muito grande, por possuir milhares de computadores ligados simultaneamente. Com isso, o investimento para manter tudo sob temperatura aceitável é muito alto. Com os servidores debaixo das águas marinhas geladas, o problema de superaquecimento seria resolvido.

A Microsoft ainda tem como meta usar uma fonte renovável de energia para colocar os seus data centers marinhos em pleno funcionamento. Dentre as opções estão o uso de turbinas ou até mesmo um sistema de energia de marés.

“Quando ouvi isso pela primeira vez, eu pensei 'Água... Eletricidade, por que você faria isso?”, comentou o designer de computador Ben Cutler, da Microsoft, um dos engenheiros envolvidos no projeto. “Mas, quando você pensa mais a respeito disso, realmente faz muito sentido”.

O caminho ainda é longo para que isso tudo se concretize. Do ponto de vista tecnológico a ideia é viável, porém, ainda é preciso avaliar o impacto dentro do ambiente marinho. Os pesquisadores, neste primeiro teste, inseriram sensores acústicos do lado de fora. A movimentação, de acordo com eles, é praticamente imperceptível.

O aquecimento dos tubos também poderia ser um problema, porém, os pesquisadores do Natick afirmam que apenas uma quantidade de calor “extremamente pequena” foi detectada na parte externa da cápsula.

Conforme a Microsoft, caso haja viabilidade do projeto, os data centers subaquáticos podem ser erguidos em até 90 dias.

Mais sobre: microsoft datacenter internet
Share Tweet
Recomendado
Comentários
Carregar comentários
Destaquesver tudo