Computadores e smartphones ficarão mais caros no próximo ano

Com a mudança, smartphones, computadores e tablets ficarão mais caros. Economistas estimam que os produtos devam ficar até 10% mais caros.

Por | @RafaelaPozzebon Tecnologia

Se você já achava caro o setor de tecnologia, prepare o bolso para o próximo ano: computadores, tablets e smartphones ficarão ainda mais caros. A razão para isso, o aumento de impostos em dispositivos móveis e computadores.

A Medida Provisória N° 690, que foi publicada em setembro deste ano com o propósito de acabar com os benefícios fiscais dos produtos cobertos pelo Programa de Inclusão Digital (a Lei do Bem) foi aprovada pela Comissão do Senado e seguiu para votação na Câmara dos Deputados. Assim, caso seja aprovada (e certamente será), precisará apenas a sanção da presidente Dilma Rousseff.

Computadores e smartphones ficarão mais caros no próximo ano

Leia também:

A mudança, claro, recai para o povo, que terá que pagar mais pelos produtos. Com o Programa de Inclusão Digital, que foi criada para que computadores, tablets e smartphones ficassem mais baratos, e assim mais acessíveis para a população, com as alíquotas de PIS/COFINS que haviam sido zeradas voltarão a ser recolhidas a partir de 01/01/2016, com taxa de 11,75%.

O objetivo é aumentar a arrecadação de impostos durante três anos. A taxa (11,75%) será mantida até 31/12/2016, após isso, será reduzida em 50%. Somente a partir de 01/01/2019, as taxas voltarão a ser zeradas.

Com a mudança, smartphones, computadores e tablets ficarão mais caros, já que os impostos serão cobrados das empresas, e claro, serão repassadas aos consumidores.

As operações de várias companhias, certamente, também serão afetadas, já que muitas contavam com a chamada Lei do Bem por muito mais tempo.

Mesmo que a MP só entre em vigor em 2016, o varejo brasileiro já está autorizado a reajustar os preços. Assim, não fique surpreso com as compras de Natal, alguns produtos podem sim estar mais caros. De acordo com os economistas, o aumento deverá chegar a 10%. Boa sorte! 

Mais sobre: smartphones, tablets, impostos
Share Tweet
DESTAQUESRecomendadoMais compartilhados
Comentários