Operadoras são cobradas pela Justiça sobre corte de internet

Até novembro do ano passado o usuário que esgotasse sua franquia de internet móvel podia seguir utilizando o serviço em capacidade reduzida.

Por | @marciobohrer Internet

Foi no segundo semestre do ano passado, como noticiamos aqui, que as operadoras passaram a adotar uma postura menos amigável em relação à internet móvel. Uma vez esgotada a franquia, o usuário ficava privado de usufruir do serviço sem um pacote promocional.

Pois a justiça quer transparência acerca destes cortes e notificou operadoras como a Vivo, Claro, Oi e Tim para prestar esclarecimentos a respeito de tal postura. De acordo com a agência Reuters, o anúncio de notificação foi feito por meio de nota oficial emitida pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon/MJ).

O motivo da apuração é investigar se os direitos e garantias do consumidor estão sendo claramente obedecidos pelas operadoras. O prazo de resposta a ser respeitado é de dez dias.

Procuradas pela agência Reuters, a Tim e a Claro disseram não terem sido notificadas, mas a Tim informou que está à disposição para qualquer esclarecimento. Já a Oi preferiu não comentar o caso e a Vivo sequer se manifestou.

A primeira operadora a implantar o novo método foi a Vivo. Ela possui mais de 79 milhões de clientes e a justificativa mais aceitável é de que a redução de consumo de internet móvel (aquela em velocidade reduzida) acarretará em um serviço mais eficaz àqueles que adquirem pacotes promocionais ou planos de internet. Ótimo para quem paga caro pelo serviço e tem de conviver com sinais fracos devido à grande quantidade de receptores, porém, trágico para a maioria esmagadora da população que utiliza celulares pré-pagos.

Vamos aguardar para ver.

Fonte: Reuters

Mais sobre: internet, smartphone, 3G
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários