Quarentena, excluir ou reparar, o que fazer?

Obviamente é fato que estamos vulneráveis na internet e até em dispositivos externos, como através de um pendrive. Diariamente temos a chance de infectarmos nossos PCs com algum software malicioso, onde precisamos tomar diversos cuidados para tentar diminuir essas chances de infecção virtual.

Por | @oficinadanet Segurança digital

Por isso, nós da Optclean pretendemos facilitar cada vez mais a sua experiência na utilização do seu computador. Essa dúvida, com certeza, você, leitor, já deve ter enfrentado inúmeras vezes. Afinal, esse vírus eu devo colocar na quarentena, reparo ou apenas o excluo? Se eu excluir, será que não vou colocar em risco todo o sistema operacional? Como eu devo proceder?

Pois é meu caro, infelizmente você sempre ficará com essa dúvida, mas podemos tentar diminuí-las. Portanto, precisamos entender o que cada opção nos apresenta:

Quarentena

A quarentena serve para preservar o sistema de possíveis ameaças. Nessa opção, o malware ficará isolado em seu computador, e sequer vai conseguir sair dali, a não ser que você remova-o da quarentena. De fato, essa é a decisão mais segura a se tomar na maioria das vezes, pois frequentemente desconhecemos se esse vírus poderá acarretar sérios problemas ao sistema. Além de deixar o vírus isolado, é enviado um log para o desenvolvedor do antivírus, e espera-se que seja solucionado o problema para que não acarrete em perda/dano do arquivo, onde o referido malware se alojou.

Veja também: Qual é o melhor antivírus pago?

A quarentena torna-se uma zona de isolamento, onde recebe pastas, aplicativos e arquivos que são identificados como suspeitos, logo após o escaneamento de seu antivírus. Portanto sendo a opção mais segura para você não ficar sem o computador. Se o arquivo infectado estiver no diretório do Windows, WindowsSystem32, é altamente recomendado movê-lo para a quarentena.

Excluir

A exclusão acarreta em se livrar do arquivo - o vírus - ou seja, é apagado definitivamente do sistema. Em contrapartida, o antivírus pode acusar que o arquivo pode afetar o funcionamento do sistema, por isso o PC pode não funcionar da melhor forma.

Nesse método você deve ter o máximo de cuidado, e recomendamos que escolha, apenas, quando tiver a certeza absoluta que o vírus não lhe causará perdas no sistema, pois caso exclua algum arquivo importante como o Win32 você corre sério risco de causar Crash, e você realmente poderá ficar sem sistema quando reiniciar o computador.

Reparar

Na reparação do vírus, o antivírus limpará o arquivo infectado por malware sem causar problemas em seu sistema operacional. Caso ele esteja alojado em uma DLL importante, apenas o eliminará sem causar problemas nenhum no funcionamento.

Essa é a melhor solução para um problema com vírus, pois haverá a desinfecção do mesmo. Entretanto, na maioria das vezes o antivírus não irá conseguir a reparação, e caso isso aconteça com você, siga as outras duas opções elencadas.

Leia também: Saiba se o seu computador está sendo monitorado

Ignorar

Se você tem certeza absoluta que o arquivo não é um software malicioso, ignore a recomendação do antivírus. Apenas necessita ter um pouco de conhecimento para saber discernir se é um malware ou não. Saiba os diferentes tipos de malwares. Alguns antivírus são ineficazes, e pode ocorrer a identificação de falso positivos, situação que você deve ter conhecimento, para que incorra na remoção indevida de arquivos importantes.

Enquanto o novo post sobre os melhores antivírus de 2015 não sai, que tal conferir a lista dos melhores antivírus de 2014?

Como se prevenir dos malwares(vírus)

Existem inúmeras formas de você se proteger. Ressaltamos que é muito mais importante do que um antivírus, é a forma que utilizamos a internet e o computador. Por isso, nós incentivamos o uso consciente da navegação e dos recursos, bem como do seu equipamento. Assim, saiba algumas dicas para proteger seu computador de malwares:

  1. Cuide as extensões (três últimas letras, após o ponto) dos arquivos, especialmente os .EXE;
  2. Desconfie de e-mails de cobranças que não fazem sentido;
  3. Não abra e-mails de desconhecidos e as vezes até de conhecidos/amigos;
  4. Atualize o antivírus periodicamente;
  5. Suspeite de Downloads;
  6. Cuide os dispositivos externos como pendrives, por exemplo;
  7. Não entre em sites que você não conhece;
  8. Cuidado ao navegar na internet;
  9. Faça backup de seus principais arquivos periodicamente;
  10. Observe o desempenho de seu PC, se ele estiver lento, provavelmente há vírus.
  11. Caso, mesmo com todas as dicas e seu PC ainda esteja infectado, chame um profissional para resolver a situação.

Conclusão

Siga sempre as nossas dicas e acompanhe o nosso perfil, se mesmo assim o seu PC ainda está infectado e você na dúvida em que decisão tomar, repare o vírus, porém, se não adiantar, analise onde está localizado esse software malicioso, depois disso você estará apto a escolher entre excluir ou enviar para a quarentena. Caso você não possua conhecimentos avançados em informática, recomendamos que sempre envie para a quarentena.

Não esqueça que você SEMPRE deve atualizar o banco de dados de seu antivírus. Veja os riscos de não atualizar softwares.

Ante ao exposto, esperamos que você possa tomar a decisão mais acertada, sempre lembrando que não faça nada sem ter o conhecimento adequado, e não hesite em chamar um profissional de sua confiança, caso seja necessário. Talvez seu antivírus não consiga eliminar ou identificar o malware com nenhuma das opções acima elencadas, então será importante ler sobre o que fazer quando o antivírus não consegue eliminar as ameaças.

Texto produzido por: Luiz Felipe Kessler – Sócio-diretor da Optclean e Eduardo Mendes – Sócio da Optclean

Mais sobre: virus segurança segurancadigital
Share Tweet
Comentários
Destaquesver tudo

Siga nossas contas no Twitter