Solicitações de remoção de conteúdo aumentam, aponta relatório

Brasil aparece na terceira posição de países que mais solicitam remoção de conteúdo do Google.

Por Internet Pular para comentários
Solicitações de remoção de conteúdo aumentam, aponta relatório

De acordo com o último Relatório de Transparência publicado pelo Google, é possível perceber um aumento no número geral de pedidos realizados. O aumento registrado foi de 68% se comparado com o primeiro semestre de 2013 com o segundo semestre do ano anterior.

O relatório, que é divulgado desde 2010, mostra o Brasil como o terceiro país que mais solicita remoção de conteúdo. Vale notar que o país teve uma queda no ranking nas edições anteriores do documento. Um dos motivos para a redução de pedidos está relacionado à queda de popularidade do Orkut.

Conforme o relatório, entre os meses de janeiro e junho deste ano, foram realizados 321 pedidos de ordem judicial solicitando que o Google fizesse a remoção de algum conteúdo. Entre os motivos alegados estavam a quebra de privacidade, difamação, crítica a governos e governantes, entre outros.

Os principais alvos de reclamações estão o YouTube, com 94 pedidos, o Blogger, com 88 solicitações, e a própria busca do Google, com 88 pedidos. O Orkut, por sua vez, que era o principal alvo de reclamações, gerou apenas 35 solicitações. Solicitações de remoção de conteúdo aumentam, aponta relatório

No mundo, o relatório aponta que houve um aumento nos pedidos de remoção de conteúdo. Entre janeiro e junho de 2013, o Google afirma ter recebido 3.846 pedidos de governos para eliminar 24.737 trechos de conteúdo.

"Nos últimos quatro anos, uma preocupante tendência se manteve presente: governos continuam nos pedindo para remover conteúdo político", declarou diretora do setor jurídico do Google, Susan Infantino.

"À medida que continuamos fornecendo dados, esperamos que sejam cada vez mais úteis e informativos para o debate das políticas e nas decisões em todo o mundo", acrescentou.

Em um texto postado no blog da companhia, Infantino disse que embora "não se trate de um panorama completo da censura on-line", o informe atualizado "mostra uma preocupante tendência crescente no número de solicitações governamentais, e ressalta a importância da transparência em torno da gestão desse tipo de pedido".

No geral, o Google disse ter eliminado conteúdo em 36% dos casos, dos quais 54% se tratavam de ordens judiciais.

Compartilhe com seus amigos:
Rafaela Pozzebom
Rafaela Pozzebom Graduada em Letras pela UFSM e especialista em Tecnologias da Informação e da Comunicação aplicadas à educação
FACEBOOK //
Quer conversar com o(a) Rafaela, comente:
Carregar comentários
Últimas notícias