Como foram as primeiras horas de iPhones 5S no Brasil?

Lojas abrem as portas para atender compradores dos novos iPhones.

Por | @RafaelaPozzebon Smartphones

As lojas das quatro operadoras que estão disponibilizando os novos iPhones abriram à meia-noite da sexta-feira (22) para atender o ansioso público.

O primeiro e feliz comprador de um novo iPhone na loja da TIM, em São Paulo, foi Lucas Amaral, de 23 anos. Ele trabalha como garçom e disse que juntou dinheiro por 11 meses para adquirir o seu sonhado iPhone 5S, de 16GB. Ele conseguiu economizar R$ 2,2 mil para a compra, porém, o aparelho sai por R$ 2,8 mil.  "O resto eu vou parcelar", diz. Além disso, o comparador precisou convencer uma amiga a ficar na fila em seu lugar para não perder a compra.

Feliz da vida, Lucas disse que agora não vai mais dormir. "Agora, eu só vou me livrar desse iPhone quando aparecer na tela 'game over'", brinca.

O lançamento dos novos aparelhos da Maçã contou também com a presença de celebridades. Na loja da TIM, em São Paulo, o ex-nadador olímpico Fernando Scherer, o Xuxa, mordeu o seu novo iPhone como se fosse uma medalha.

Leia também:

Outros brasileiros também enfrentaram as filas para adquirir o seu smartphone. Exemplo disso é o empresário carioca Augusto Motta, de 31 anos. Ele estava na fila da loja Oi do Shopping Leblon, no Rio de Janeiro e conseguiu o seu novo iPhone 5S de 64 GB antes mesmo da meia-noite. "Comprei o novo com mais espaço porque o meu 5, de 32 GB, já estava cheio de apps", conta. "Além disso, quero ver como funciona o novo Touch ID, que é uma das grandes novidades da nova geração do iPhone".

Como foram as primeiras horas de iPhones 5S no Brasil?
Augusto Motta adquriu seu iPhone antes mesmo da meia-noite.

“Minhas senhas são muito longas, pois guardo muitas informações sensíveis no meu iPhone. Com o Touch ID eu consigo desbloquear ele rapidamente, principalmente se preciso ver algo rapidamente no trânsito", disse também Motta.

Leia também:

A loja da Oi no Leblon abriu as portas às 22h, porém, o pagamento da compra só poderia ser feito mesmo à meia-noite.

Gabriel Subtil estava na fila na loja da Vivo no Barra Shopping, no RJ, desde às 10 horas da manhã. Mesmo ansioso com a compra, o rapaz reclamou dos altos valores dos aparelhos no país. “A Apple meteu a mão, os aparelhos vieram muito mais caros do que no ano passado, quando já estavam caros", diz.

"Esse ano cheguei determinado a ser o primeiro, entre 9h e 10h. Ano passado foi sem querer porque tinha perdido o meu iPhone. Daqui mesmo vou transferir meu conteúdo de um iPhone para outro. Quando sair daqui vou brincar um pouco, dormir e pegar no trabalho às 6 horas", conta, explicando que, além do gadget da Apple, tem ainda um Nokia com Windows Phone e um aparelho Android, "só para brincar".

Ana Flávia, 28 anos, estudante, chegou primeiro na loja da Claro para comprar o celular do marido, às 15h. Ela pegou a senha para Evilmar Macirel, 34, bancário. "Eu sou applemaníaco e caí no arrependimento de comprar um Galaxy S4. Quero voltar pra Apple rápido. Tenho Mac mini e um MacBook White", disse.

Mais sobre: apple, iphone, brasil
Share Tweet
DESTAQUESRecomendado
Mais compartilhados
Comentários