Oficina da Net Logo

Governo Federal anuncia programa para levar internet mais rápida para escolas

Para o ano que vem, a expectativa é que sejam investidos R$ 271 milhões atendendo até 22 mil unidades escolares no país.

Por | @oficinadanet Internet Pular para comentários

Na semana passada, o Governo Federal anunciou um programa para disponibilizar internet mais rápida para as escolas públicas de todo o Brasil. A iniciativa surgiu da parceria entre o Ministério da Educação e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e tem como objetivo beneficiar 12.8 milhões de alunos da rede pública.

Nomeado de Política de Inovação Educação Conectada, o programa deve implantando aos poucos, até 2024. Para o ano que vem, a expectativa é que sejam investidos R$ 271 milhões atendendo até 22 mil unidades escolares no país.

Governo Federal anuncia programa para levar internet mais rápida para escolas.Governo Federal anuncia programa para levar internet mais rápida para escolas.

Leia também: Leia em destaque: Os 10 maiores canais do YouTube.

Deste valor, da primeira etapa, R$ 255 milhões serão investidos para melhorar a infraestrutura e conexão, já o restante será usado na formação de professores, bem como o desenvolvimento de uma plataforma de cursos online e ainda produção de conteúdos específicos.

O Ministério da Educação acredita que até 2024 todas as escolas recebam conexão de alta velocidade, o que deverá beneficiar aproximadamente 40% do total de anos do ensino fundamental e médio do Brasil.

Agora, com essa Educação Conectada, vamos trazer de vez o mundo digital para as nossas escolas. Não se trata apenas de entregar equipamentos e promover acesso à educação, mas trata-se, mais que tudo, de preparar nossos jovens para interagir com uma realidade que se renova a cada dia”, disse o presidente da república, Michel Temer, comemorou o lançamento do programa.

Você tem Telegram? Então inscreva-se grátis aqui no canal do Oficina da Net e recebe todas as notícias pelo mensageiro.

MAIS SOBRE: #internet  #escolas  #brasil
Comentários