É interessante saber como surgiram as empresas que fazem tanto sucesso hoje no mundo dos fones de ouvido. Pensando nisso, farei essa série de artigos, onde conto a história das principais marcas tradicionais de fones de ouvido do mundo.

Não leu os outros artigos ainda? Confira!

Audeze (2008)

Nacionalidade: EUA

Fundadores: Sankar Thiagasamudram e Alex Rosson

Faturamento anual: US$10 milhões

Sankar (esquerda) e Alex (direita). Fonte: innerfidelity
Sankar (esquerda) e Alex (direita). Fonte: innerfidelity

A Audeze é uma empresa norte americana focada em fones de ouvido com drivers planar magnéticos. A companhia californiana, fundada por Sankar Thiagasamudram e Alex Rosson, surgiu no ano de 2008 em uma garagem. Tudo começou quando a desenvolvedora de headphones encontrou um ex-cientista da NASA que conseguiu desenvolver um material circular flexível para naves espaciais.

O material desenvolvido pelo pesquisador era extremamente fino, forte e rápido (quando estimulado). Os fundadores da Audeze, depois de constatar as diversas capacidades da película, perceberam que seria perfeito para utilizá-la como diafragma de fones de ouvido e inovar na indústria de headphones.

Após estudos e testes, o material desenvolvido pelo ex-pesquisador da NASA acabou se tornando o diafragma dos famosos modelos LCD da empresa. Foi aí que a Audeze nasceu. Hoje a empresa conta com fones custando desde US$150 até US$4000 e, de acordo com o site Owler, possui um faturamento anual de US$10 milhões.

Audio Technica (1962)

Nacionalidade: Japão

Fundador: Hideo Matsushita

Faturamento anual: US$20 milhões

Hideo Matsushita. Fonte: Audio Technica Blog
Hideo Matsushita. Fonte: Audio Technica Blog

A Audio Technica é uma empresa japonesa focada em produtos de áudio, não somente fones de ouvido. Fundada em Tóquio por Hideo Matsushita em 1962, começou fabricando cápsulas fonocaptoras (phono cartridge) para leitores de vinil (vitrolas). Alguns anos depois, mais especificamente no ano de 1969, a companhia expandiu seu mercado, começam a exportar suas capsulas para diversos países no mundo e lançando seus primeiros leitores de fitas cassete (K7).

No ano de 1974 a Audio Technica lançou seus primeiros fones de ouvido, a série AT-700. Alguns anos depois, em 1978, a empresa lançou também seus primeiros microfones, da série AT-800. Já em 1986, a companhia lançou cabos RCA voltados para áudio.

Na década de 90, foram lançados diversos microfones condensadores e com o passar dos anos foram sendo lançados diversos fones, equipamentos voltados para conferências e shows. Hoje a empresa já se encontra com quase 60 anos e, de acordo com o site Ownler, um faturamento anual de US$20 milhões.

Beyerdynamic (1924)

Nacionalidade: Alemanha

Fundador: Eugen Beyer

Faturamento anual: US$70 milhões

Eugen Beyer. Fonte: Beyerdynamic
Eugen Beyer. Fonte: Beyerdynamic

Eugen Beyer, fundador da Beyerdynamic (originalmente chamada de "Elektrotechnische Fabrik Eugen Beyer"), na década de 20, acreditava que o cinema estava trazendo uma nova oportunidade para os meios de comunicação. Então, no ano de 1924, a empresa produzia seus primeiros produtos de áudio, caixas de som para cinemas. Alguns anos depois, na década de 30, mais especificamente em 1937, a companhia lançou seus primeiros headphones com drivers dinâmicos, os DT48, entretanto, no final da década a segunda guerra mundial acabou congelando temporariamente a produção.

Na década de 60, a Beyerdynamic lançou seu primeiro microfone sem fio, que foi comercializado em 1962. Nos anos seguintes, foram lançados diversos microfones, fones de ouvido, headsets e sistemas de reuniões (conferências).

Hoje a empresa alemã, fundada em Berlin, com quase 100 anos, possui uma gama muito variada de produtos e, de acordo com o site Ownler, tem um faturamento anual de US$70 milhões.

Fostex (1973)

Nacionalidade: Japão

Fundadores: Shigeaki Nishimura e Hiroaki Hagiwara

Faturamento anual: US$2 milhões

Observação: Não há foto dos fundadores, pois não foi possível encontrar uma.

A Fostex foi criada em 1973 a partir da Foster Denki KK (Fosut Denki kabushiki kaisha), empresa que chegou a tornar-se uma das maiores fabricantes OEM de alto-falantes e fones de ouvido do mundo. Fundada por Shigeaki Nishimura e Hiroaki Hagiwara no Japão, a Fostex começou a fabricar produtos com componentes da Foster.

A Fostex, iniciou seu desenvolvimento de alto-falantes para uso profissional em 1978 e ficou muito conhecida no ramo da alta fidelidade. A caixa e som monitor Fostex 6301B foi a menor já feita para broadcast e uso profissional. Na década de 1970, a empresa começou a lançar fones de ouvido com drivers planar magnéticos através de sua série chamada RP (Regular Phase ou chamado as vezes de Regulated Phase).

Em 2015, foram lançados novos modelos de headphones, através de parcerias como com a Dekoni e o Massdrop (Drop agora). O modelo T50RP (que está em sua terceira versão) ficou famoso devido aos mods feitos pela comunidade audiofila.

De acordo com o relatório anual da Foster, no ano de 2016, foi gerado uma receita de aproximadamente US$2 milhões.

Grado (1953)

Nacionalidade: EUA

Fundador: Joseph Grado

Faturamento anual: US$9,3 milhões

Joseph Grado. Fonte: eteknix
Joseph Grado. Fonte: eteknix

A Grado Labs, é uma empresa norte-americana que foi fundada em 1953 pelo relojoeiro Joseph Grado. A companhia foi criada no bairro Brooklyn, na cidade de Nova York, e iniciou sua jornada produzindo cápsulas fonocaptoras (phono cartridge) para leitores de vinil (vitrolas). Joseph começou a fazer as cápsulas na mesa de sua cozinha após algum tempo, vendo o mercado de "agulhas" para ler vinis, resolveu fechar sua loja Grado Fruit e abrir a Grado Labs.

Durante um certo tempo, a Grado lançou cápsulas fonocaptoras, alto-falantes, toca-discos e tonearms, sendo as cápsulas a única linha que não foi descontinuada na época. Então, em 1965, Jhon Grado passou alguns anos treinando com seu tipo, até que em 1975, Jhon começou a gerenciar os negócios rotineiros na empresa da família. Em 1980 ocorreu um pico na produção de capsulas, chegando a vender 10 mil unidades por semanas.

Após alguns anos, as vendas de capsulas para vinil diminuíram drasticamente, chegando a vender 12 mil unidades ao ano. Em 1990, a Grado Lads estava para fechar, quando Jhon Grado resolveu comprar a empresa de seu tio, tornando-se presidente e CEO. Então Jhon criou a primeira linha de fones de ouvido da Grado, no início dos anos 90.

Como a Grado não anunciava suas vendas, Jhon viajava para shows de áudio no mundo todo para demonstrar seus fones de ouvido. Quando ele conseguiu uma lista grande de distribuidores em vários países, decidiu parar de ir aos shows e decidiu ficar mais tempo com a sua família.

Com o passar dos anos, Jhon supervisionou o projeto de retorno das vendas das cápsulas fonocaptoras, conseguindo elevar as vendas para 60 mil unidades ao ano. Entretanto, ainda faltava algo para fazer com que a empresa realmente fizesse um marketing que fizesse mais jus aos seus produtos com características únicas. Então, Jonathan Grado, filho de Jhon, entrou para a empresa no ano de 2013, criando uma página no Facebook e um Twitter da Grado (o filho acabou tornando-se diretor de mídias sociais da companhia).

No ano de 2014, Jonathan tornou-se vice-presidente de marketing, porém, teve de ser muito criativo em suas ideias, pois o seu orçamento para as campanhas era de zero dólares de gasto. No mesmo ano, a Grado Labs foi nomeada entre as oito maiores empresas sociais da America pelo site Mashable e pela American Express. Logo em seguida, a companhia lançou a sua nova série, que adicionava um "e" aos seus modelos.

Em 2015, a companhia aérea, JetBlue Airways, fez uma parceria com a Grado para utilizar seus fones de ouvido nos vôos da classe Mint. Infelizmente, neste mesmo ano, Joseph Grado, fundador da empresa, acabou falecendo aos 90 anos de idade.

A Grado Labs, de acordo com o site Ownler, possui um faturamento anual de US$9,3 milhões.

Não leu os outros artigos ainda? Confira!

Esse artigo é feito em parceria com o Grupo Fones de Ouvido High-End: