A história das principais marcas tradicionais de fones de ouvido do mundo - Parte 5

Confira a história das principais desenvolvedoras de fones de ouvido tradicionais do mundo. Saiba como surgiram e o que já produziram.

Arte His Master's Voice (HMV) criada pelo pintor britânico Francis Barraud em 1898 que se encontra na marca da Victor Company of Japan para produtos de áudio premium.
Arte His Master's Voice (HMV) criada pelo pintor britânico Francis Barraud em 1898 que se encontra na marca da Victor Company of Japan para produtos de áudio premium.

A quinta parte da série de artigos dedicada a história das principais marcas tradicionais de fones de ouvido do mundo se concentrará em duas empresas japonesas, a Denon e a JVC (Victor Company of Japan). Aqui temos muitas histórias de conflitos, fusões e mudanças de nomes. São duas fabricantes de respeito que apesar da dificuldade, criaram e inovaram em diversos produtos de áudio.

Não deixe de acompanhar e compartilhar as crônicas destas famosas empresas. No próximo artigo trataremos da história da Sony e da Etymotic. Fiquem ligados!

Não leu os outros artigos ainda? Confira

Denon (1910)

Nacionalidade: Japão

Fundador: Frederick Whitney Horn

Faturamento anual: ???

A Denon é uma marca que foi criada em 1947 com a fusão entre as empresas Nippon Columbia e Japan Denki Onkyo. Para entendermos melhor sua origem, temos que voltar algumas decadas atrás.

Originalmente, a empresa foi fundada em 1910 por Frederick Whitney Horn com o nome de Nippon 'DENki ONkyo Kabushikigaisha". Dois anos depois, em 1912, a companhia foi comprada pela Nippon Chikuonki Shokai (Japan Recorders Corporation), uma fabricante de discos de vinil e gramofones na época.

Quase duas décadas depois, em 1928, a marca "Columbia" foi adicionada e o nome da empresa mudou para Japan Columbia Recorders. Dezoito anos se passaram e a companhia foi renomeada como Nippon Columbia. Entretanto, esta nomeação não durou muito, um ano depois houve a fusão entre a Nippon Columbia e a "DENki ONkyo", surgindo a DENON (versão encurtada de "DENki ONkyo").

Após as compras, criações de marcas e fusão de empresas, a Denon, empresa especializada e, equipamentos domésticos e profissionais de cinema e áudio chegou a produzir inúmeros tipos de produtos como: gramofones, gravador de discos de vinil, maquinas de produção de LPs que realizavam cortes no material, discos estéreo, fitas de áudio de bobina aberta, pianos eletrônicos, capsulas fonocaptoras (phono cartridge), amplificadores, sintonizadores, alto-falantes, toca-discos, CD Players profissionais, CD Player duplo para DJs, home theaters, fones de ouvido, etc.

A Denon foi responsável por diversas inovações como a revelação formato CD-ROM em 1984, pelos os primeiros LPs ao Japão em 1951 e lançar o primeiro home theater THX-EX do mundo. Ganhou prêmios como o 13th Montreux International Diplome d’honneur technique award (prêmio de inovação tecnica) em 1980, "Trend-Setter Award" da US Billboard magazine pela contribuição a industria em 1977, três prêmios no Paris Hi-Fi Show, quando introduziu sua linha de fones de ouvido em 1990, prêmio de inovação europeia do ano em 1994.

Entretanto, apesar das inúmeras inovações e prêmios, a Denon se fundiu com a Marantz Japan em 2002, tornando-se a D&M Holdings Inc. Quinze anos depois, em 2017, a Sound United LCC comprou a empresa.

Devido às diversas fusões, não se sabe ao certo qual o faturamento da Denon atualmente.

JVC (1927)

Nacionalidade: "Japão"

Fundador: "Frederick Whitney Horn"

Faturamento anual: ???

A JVC (Victor Company of Japan) foi fundada em 1927, porém sua origem não inicia no Japão e sim nos EUA. Tudo começa com a "The Victor Talking Machine Company of Japan", fundada em 1901 pelo engenheiro Eldridge R. Johnson em parceria com o Emile Berliner, inventor do gramofone, em Camden, Nova Jersey, EUA.

Antes de 1925, todas as gravações eram feitas por métodos puramente mecânicos, nada eletrônico era utilizado desde a criação do fonógrafo há 50 anos atrás. Não havia nenhum microfone envolvido e não se tinha meios de amplificação. A máquina gravadora era como aqueles toca discos com cones enormes, que ao invés de realizar a leitura de um disco, fazia o inverso (como não é o objetivo deste artigo, o mecanismo para fazer esta gravação ficará para outro momento). Foi neste momento que a Victor entrou, inovando os processos de fabricação de peças para este processo em 1903, e posteriormente, aprimorando a qualidade dos discos e tocadores.

Nesta época, juntamente com as inovações, iniciava um plano ambiciosos da empresa, que visava trazer os cantores e músicos mais prestigiados do mundo para gravar em seus equipamentos. Mesmo que fosse exigido altos valores pelos artistas, Eldridge pensava em como estaria futuramente e acreditava que este investimento traria muitos frutos, então aceitava as ofertas independente do cobrado na grande maioria das vezes. Os discos que continham estas celebridades, continuam rótulos vermelhos, os Red Seals (selos vermelhos).

As gravações realizadas pela Victor feitas pelo tenor mundialmente famoso Enrico Caruso (1904 e 1920) tiveram particularmente um grande sucesso e foram utilizadas diversas vezes pelos varejistas para demonstrar os fonógrafos da empresa.

Os primeiros discos de jazz e blues foram gravados pela Victor Talking Machine Company. A primeira música gravada de blues, "The Memphis Blues", foi lançada em 1914. Já em 1917, era gravado o álbum "Livery Stable Blues", que estabeleceu o jazz como música popular.

Em 1925 a Victor mudou seu método de gravação acústico, que se utilizava somente de mecânica para a gravação, para um novo sistema elétrico baseado em microfone desenvolvido pela Western Eletric. Com isso surgiu uma nova linha de toca-disco, chamada "Orthophonic Victrolas". O anúncio da novidade foi feito no "Victor Day", em 2 de novembro de 1925.

No ano de 1926, Eldridge vendeu sua participação controladora (não a detentora) da Victor Company para os bancos JW Seligman e Spyer & Co, que por sua vez venderam para a Radio Corporation of America (RCA) em 1929, entretanto, a maioria das gravadoras continuou usando o nome Victor até 1946.

Na década de 1920, os executivos da Victor se tornaram muito ricos devido aos diversos estúdios, escritórios e fábricas, além de grande parte da britânica Gramophone Company, expandindo assim o mercado da empresa para além de Camden, Nova Jersey. Nesta expansão, em 1927, foi formada a "The Victor Talking Machine Company of Japan" (JVC), mais tarde chamada somente de "Victor Company of Japan".

No início da década de 30, a JVC produzia somente fonógrafos e discos de vinil. Porém, depois de 1932, após a compra da RCA, a JVC começou a produzir rádios. Assim a empresa começava a sua jornada de grandes feitos no Japão. O primeiro deles foi o lançamento da primeira televisão do Japão fabricada localmente.

Devido a segunda guerra mundial e consequentemente conflitos entre EUA e Japão, em 1943 a JVC se separou da RCA Victor, mantendo as marcas registradas "Victor" e "His Master's Voice"

Sobre a His Master's Voice (HMV)

His Master's Voice é a marca da grande gravadora britânica The Gramophone que possui uma pintura de 1898 (feita por Francis Barraud) do cão inglês chamado Nipper, da raça fox terrier, ouvindo um gramophone. A arte foi adquirida pela empresa inglesa em 1899 sob a condição de que alterasse o toca-discos para mostrar um dos modelos lançados pela companhia.

Com o aumento da popularidade da marca, várias cópias adicionais foram encomendadas ao artista Francis Barraud. Um dos interessados na época foi Emile Berliner, inventor do gramofone, que viu a foto em Londres e fez um copyright nos EUA no ano de 1900. Um ano depois, em 1901, a pintura foi adquirida como marca comercial da Victor Talking Machine Company, que possui grande parte da The Gramophone.

Após a segunda guerra mundial, a Panasonic comprou a maior parte da JVC. Uma década depois, a JVC lançou sua nova marca para televisores e aparelhos de som, a Nivico (Nippon Victor Corporation), para criar a linha Delmonico.

Após a segunda guerra mundial, a Panasonic comprou a maior parte da JVC. Uma decada depois, nos anos 60, a JVC lançou sua nova marca para televisores e aparelhos de som, a Nivico (Nippon Victor Corporation), para criar a linha Delmonico.

Em 1975 a JVC lançava o primeiro rádio portátil a pilhas com TV embutida (a tela de tubos possuía 3 polegadas). Um ano depois foi anunciado o primeiro vídeo cassete a usa fitas VHS (vídeo home system), o Victor HR-3300.

Na década de 1980, a JVC comercializou por pouco tempo seu próprio equipamento de áudio portátil, semelhante aos primeiros players da linha Walkman da Sony. Entretanto, a marca não obteve sucesso e poucos anos depois acabou encerrando a produção. Lembrando que no Japão a empresa comercializou seus produtos como "Victor" e no exterior JVC.

Em 1986 a JVC lançou um PC que lidava, para a época, com uma interface de hardware sofisticada que conseguia lidar com sobreposição de vídeo e possuía vários recursos de processamento de vídeo. O produto chegou a ser vendido no Japão e Europa, mas suas vendas foram horríveis.

No ano de 2001 a JVC ganhou o Emmy Award da "National Academy of Television Arts and Sciences" pela "extraordinária conquista no avanço tecnológico" pelo "desenvolvimento pioneiro de câmeras de vídeo para consumidores".

No ano de 2005 a JVC anunciou a primeira mídia de DVD regravavel (DVD-RW).

Um ano depois, no final de 2007, a Matsushita (Panasonic) entrou em negociação com a a Kenwood e a Cerberus, para vender a sua participação na JVC. Neste ano a JVC anunciou a sua aliança com a Kenwood e a SPARKX, resultando na redução da participação da Panasonic para 37%. Logo em seguida, em 2008, a Panasonic concordou em se separar da empresa e fundi-la com a Kenwood, surgindo assim a JVC Kenwood Holdings.

No ano de 2008 a JVC acabou anunciando o fechamento de suas fabricas de televisores na Escócia e no Japão, deixando apenas uma fábrica na Tailândia. Assim, a produção de TVs da JVC na Europa e na America do Norte é feita de forma terceirizada.

Atualmente a JVC vende fones de ouvido, sistemas de áudio para carros, filmadoras, câmeras de segurança, caixas de som, projetores, televisores, entre outros produtos. No ano de 2011 a Japan Victor Company decidiu eliminar aos poucos a marca "Victor" dos seus eletrônicos no Japão. Entretanto, a JVC quis manter o uso da marca "Victor" para os seus produtos de áudio premium, para os estúdios de gravação Victor Studios e para a gravadora JVCKenwood Victor Entertainment.

Como a JVC possui fusão com a JVC (chamada hoje de JVC Kenwood Holdings), não há como saber qual a receita anual da empresa separadamente.

Não leu os outros artigos ainda? Confira

Esse artigo é feito em parceria com o Grupo Fones de Ouvido High-End:

Especial: Série de artigos sobre Fones de Ouvido

Confira a série especial de artigos, em parceria com a Fones High End (Facebook, Instagram, Twitter), onde é mostrada uma nova perspectiva descomplicando tudo sobre fones de ouvido!

Como funciona?

O Som

Tecnologias

Como escolher?

Dicas

Tutoriais

Artigos

Reviews

A História

Entrevistas

Conteúdo relacionado

A história das principais marcas tradicionais de fones de ouvido do mundo - Parte 1
Fones de Ouvido

A história das principais marcas tradicionais de fones de ouvido do mundo - Parte 1

Confira a história das principais desenvolvedoras de fones de ouvido tradicionais do mundo. Saiba como surgiram e o que já produziram.

A história das principais marcas tradicionais de fones de ouvido do mundo - Parte 3
Fones de Ouvido

A história das principais marcas tradicionais de fones de ouvido do mundo - Parte 3

Confira a história das principais desenvolvedoras de fones de ouvido tradicionais do mundo. Saiba como surgiram e o que já produziram.

A história das principais marcas tradicionais de fones de ouvido do mundo - Parte 2
Fones de Ouvido

A história das principais marcas tradicionais de fones de ouvido do mundo - Parte 2

Confira a história das principais desenvolvedoras de fones de ouvido tradicionais do mundo. Saiba como surgiram e o que já produziram.