Alta fidelidade e praticidade: É possível caminharem juntos?

Cada vez mais os fones de ouvido Bluetooth True Wireless (TWS) e os headsets sem fio estão dominando o mercado pelo fato de proporcionarem uma liberdade e praticidade para diversas atividades. É possível conseguir alta fidelidade com eles? Entenda!

Por Headphones Pular para comentários
Alta fidelidade e praticidade: É possível caminharem juntos?

Atualmente, cada vez mais os fones de ouvido Bluetooth True Wireless (TWS) e os headsets sem fio estão dominando o mercado pelo fato de proporcionarem uma liberdade e praticidade para diversas atividades, seja em casa, no trabalho ou na rua. Além disso, outro fator que ajudou a impulsionar as vendas de fones de ouvido com tecnologia sem fio, foi o aparecimento de produtos com preço muito abaixo do que se via antigamente, graças aos chineses e sua capacidade de produção em massa de baixo custo. Neste artigo será abordado como estes dispositivos se posicionam no mercado da alta fidelidade de áudio, onde há pessoas exigentes, mas que ao mesmo tempo necessitam de uma certa praticidade dependendo do tipo de atividade realizada e como ela é realizada.

Porque não existem fones topo de linha sem fio ou com ANC?

Há uma razão para isso, na grande maioria dos casos, salvo raras exceções, como o headphone AKG N90Q, a qualidade de áudio dos fones de ouvido é degradada ao implementar a tecnologia Bluetooth ou o cancelamento de ruído ativo (ANC ou active noise cancelling). Isso ocorre por diversos fatores, onde cada uma das tecnologias irá sofrer de alguma forma para reproduzir o som sem interferir em sua qualidade.

No caso dos fones Bluetooth, há uma placa dentro do fone de ouvido ou cabo (caso não seja TWS), onde há um DAC/amp, um receptor de sinais Bluetooth, uma bateria, um processador e um sistema de alimentação. Como pode ver, há muitas variáveis que podem interferir na reprodução de som pelo driver do fone, sendo complexo e custoso fazer um projeto no qual se tenha menos interferências ao escutar uma música. Porém, hoje conseguimos, através de um certo custo, reproduzir músicas de forma mais nítida, com a utilização de codecs de áudio Bluetooth avançados como, por exemplo, aptX HD, aptX Low Lattency e LDAC.

Headphone Bluetooth com ANC Sony 1000XM3. Fonte: digitaltrends
Headphone Bluetooth com ANC Sony 1000XM3. Fonte: digitaltrends

Já no caso do ANC, temos geralmente a utilização da tecnologia Bluetooth em conjunto com microfones para captar o som externo e interno, para que seja possível anular as ondas do ruído ambiente (saiba como funciona aqui). Para que seja realizado o cancelamento das ondas e gerar o silêncio para se ouvir a música, é necessário um bom processador com uma boa programação, pois será necessário distinguir o que é o som do ambiente e o que é o som da música, para que seja realizada a função de maneira eficiente. Entretanto, o que acontece e vemos muito por aí, é a má implementação da tecnologia, causando a degradação do som quando a função é ativada, devido a interferência gerada e má captação dos sons e processamento deles.

Como você deve ter percebido acima, há diversos obstáculos a se transpassar no projeto de um fone para que não haja a degradação do som. Como isso é algo muito custoso e o desenvolvimento de um bom fone pode custar muito também, as empresas optam por focar somente no desenvolvimento de fones com fio e sem tecnologia de cancelamento de ruído de forma ativa, somente de forma passiva (através da estrutura do fone). Pois caso a fabricante opte pelo desafio de projetar um fone topo de linha com tecnologia sem fio e ANC, o preço final seria extremamente alto, onde poucos pagariam e haveria uma baixa penetração no mercado.

Sistema Sennheiser HE-1 (Orpheus 2). Fonte: Vitor Valeri
Sistema Sennheiser HE-1 (Orpheus 2). Fonte: Vitor Valeri

Onde os fones de ouvido Bluetooth e/ou com ANC se encaixam?

Apesar de não conseguirem obter um som de alta fidelidade, os fones Bluetooth e/ou com ANC possuem seu lugar no mercado, pois os fones de ouvido não giram em torno somente de um fator (qualidade de áudio), eles possuem um conjunto de características que irão atender ou não um determinado público de acordo com a atividade exercida. No caso dos fones Bluetooth, é proporcionada uma maior liberdade para se movimentar até uma certa distância da fonte que esta sendo utilizada para reproduzir o áudio, ou seja, a pessoa não precisa necessariamente estar com o seu smartphone ou player no bolso para escutar uma música e isso é excelente para realizar, por exemplo, exercícios ou até mesmo para cozinhar em casa, onde pode ser perigoso andar e manusear os alimentos com um fio pendurado.

Fone in-ear Bluetooth True Wireless Sennheiser Momentum. Fonte: SennheiserUSA (Twiiter)
Fone in-ear Bluetooth True Wireless Sennheiser Momentum. Fonte: SennheiserUSA (Twitter)

Já no caso dos fones que possuem cancelamento de ruído ativo, seu ponto forte é permitir que o usuário escute os sons com mais clareza, sem a necessidade de aumentar o volume, preservando assim a audição da pessoa. Além disso, esta tecnologia é muito útil para quando o usuário quer se concentrar em algo e necessite de silencio (sim, existem pessoas que utilizam estes fones sem tocar som algum) ou mesmo quando quer se distrair ouvindo somente a música, independente do que está acontecendo no "mundo exterior" (chega a ser uma terapia). Claro que é possível conseguir esta função de isolar o ruído ambiente de forma passiva, mas isso dependerá muito do modelo do fone e se ele encaixará bem no ouvido da pessoa, ou seja, o ANC é algo como "forçar" para que haja silêncio independente das condições (formato do fone, ouvido da pessoa, intensidade do ruído no ambiente).

Porém, não há como negar que há casos em que a tecnologia ainda não consegue proporcionar um desempenho aceitável, que é o caso dos headsets (headphones com fones de ouvido acoplados) Bluetooth (não confunda com os que utilizam um dongle para transmitir o sinal via rádio ao ser conectado via USB a um dispositivo). A tecnologia Bluetooth, ainda não consegue manter uma boa qualidade de sinal através do profile (perfil) AD2P e dos codecs de áudio Bluetooth desenvolvidos, pois é necessário dividir a transferência de informações entre o áudio do som gerado na fonte (PC, notebook, tablet, smartphone etc.) e o áudio da voz do usuário. Dessa forma, geralmente temos como resultado a degradação do áudio gerado pelo microfone e até mesmo do som que está se ouvindo.

Conclusão

Existe de fato uma barreira difícil de se quebrar entre a alta fidelidade e a praticidade dos fones com Bluetooth e/ou com ANC, porem há de se lembrar que dependendo da atividade exercida pela pessoa, a praticidade irá pesar mais do que a qualidade de som. Ou seja, tudo dependerá de qual atividade será feita, pois existem fones mais adequados para cada tipo de função exercida. Para saber qual fone é mais adequado para a sua atividade, acesse este artigo.

Esse artigo é feito em parceria com o Grupo Fones de Ouvido High-End:

Fonte (imagem da capa): AKGAudio (Twitter)

Compartilhe com seus amigos:
Comentários:
Carregar comentários