Microsoft agora está submergindo servidores em "banheiras"

É anunciado pela Microsoft iniciativa de resfriamento líquido em servidores de nuvem. Confira como foi realizada a técnica de refrigeração para não gerar nenhum gasto energético para este fim.

Foto de hardware de servidor da Microsoft submergido. Fonte: Microsoft
Foto de hardware de servidor da Microsoft submergido. Fonte: Microsoft

Recentemente foi anunciado que a Microsoft está testando a submersão de servidores em líquido na tentativa de melhorar a eficiência energética da estrutura necessária para mantê-los devidamente resfriados. A técnica utilizada já existe há alguns anos, porém, a Microsoft afirma que é o "primeiro provedor de nuvem a utilizar resfriamento por imersão de duas fazes em um ambiente de produção".

Como funciona

Para utilizar a técnica de resfriamento por líquidos, o hardware dos servidores é submerso completamente em um fluido não condutor projetado especialmente para este fim. A composição do líquido tem como base o fluorcarbono, responsável por remover o calor à medida que entra em contato direto com os componentes. À medida que o processo ocorre, o líquido entra em ebulição a exatos 50°C, condensando e voltando para a "banheira" onde as placas estão submersas.

O mecanismo de resfriamento descrito acima é fechado, ou seja, não necessita de algo de fora alimentando ele para continuar o processo. Desta forma, os custos de resfriamento são reduzidos consideravelmente.

primeiro provedor de nuvem a utilizar resfriamento por imersão de duas fazes em um ambiente de produção. Fonte: Microsoft
Primeiro provedor de nuvem a utilizar resfriamento por imersão de duas fazes em um ambiente de produção. Fonte: Microsoft

O vice-presidente do grupo de desenvolvimento avançado de data center da Microsoft, Christian Belady, diz em entrevista ao site TheVerge:

"É essencialmente uma banheira. A prateleira ficará dentro da banheira, e o que você verá está fervendo exatamente como você veria fervendo em sua panela. A fervura em sua panela está a 100 graus Celsius e, neste caso, está a 50 graus Celsius."

Solução compacta e com alta eficiência energética

Além de não se gastar energia para manter o resfriamento do servidor funcionando, esta técnica de refrigeração liquida permite que a Microsoft acomode o hardware de maneira compacta, reduzindo assim o espaço necessário comparado a uma estrutura com resfriamento tradicional a ar. Inicialmente está sendo feitos testes com uma pequena carga de trabalho, porém o plano é ampliar o uso e escalar o processo. Christian diz:

"Isso potencialmente eliminará a necessidade de consumo de água em data centers, então isso é realmente importante para nós. Na verdade, trata-se de dirigir cada vez menos impacto para onde quer que pousemos."

Primeiro provedor de nuvem a utilizar resfriamento por imersão de duas fazes em um ambiente de produção. Fonte: Microsoft
Primeiro provedor de nuvem a utilizar resfriamento por imersão de duas fazes em um ambiente de produção. Fonte: Microsoft

E complementa falando:

"Está em um pequeno data center e estamos avaliando o valor de um rack. Temos uma abordagem totalmente em fases e nossa próxima fase será em breve com vários racks."

O motivo para a utilização de resfriamento líquido tem a ver com a promessa ambiental feita pela Microsoft

A Microsoft está comprometida a combater a escassez de água no mundo. O objetivo é repor mais água do que utiliza para suas operações globais até o ano de 2030. Um de seus esforços para conseguir isso foi um sistema de coleta de água da chuva nos escritórios, além de coletar a condensação dos aparelhos de ar-condicionado para as estações de água.

O que achou da iniciativa da Microsoft? Comente abaixo e compartilhe conosco a sua opinião!

🔥O POCO F4 É MUITO BOM 👇

Comentários
Minha foto
Insira um comentário