Oficina da Net Logo

Como a Inteligência Artificial vai mudar o mercado de trabalho?

O mundo está mudando, e o mercado de trabalho também. Veja o que pensam os profissionais da área sobre o futuro.

Por | @oficinadanet Business Intelligence Pular para comentários

Durante a década de 1940, a Companhia Americana de Telecomunicações empregava mais de 350.000 telefonistas, um trabalho que quase desapareceu. Mas, hoje, algumas estimativas indicam que o número de desenvolvedores de aplicativos móveis é de cerca de 12 milhões de pessoas em todo o mundo. Assim como as tecnologias e as comunicações mudam, os empregos também evoluem. A força de trabalho como a conhecemos está no meio de uma revolução. E como a inteligência artificial vai mudar o mercado de trabalho?

À medida que novas tecnologias emergem, no que alguns denominaram de a "Quarta Revolução Industrial", as empresas inovadoras já começaram a se adaptar, levando à reavaliações de estratégias de desenvolvimento da força de trabalho. A inteligência artificial, em particular, traz novas possibilidades - como aumento de produtividade e inovação. Ela também tem implicações radicais para os conjuntos de habilidades dos funcionários. 

Como a tecnologia está moldando o futuro do trabalho e como as empresas podem acompanhar essas mudanças?

O que os profissionais de RH pensam sobre o futuro?

Para começar, vamos olhar para as tecnologias que estão em jogo. Pesquisas recentes mostram que os gerentes de RH estão se preparando para a transformação induzida pela tecnologia. Sessenta e dois por cento dos gerentes pesquisados ​​disseram que a IA vai mudar a maneira como eles trabalham dentro de cinco anos. Outras tecnologias emergentes, como a Internet das Coisas, devem provocar transformações semelhantes. Leia em destaque: O que é Business Intelligence?.

(Fonte: Salesforce Workforce Development Survey, maio de 2017).

O que os profissionais de RH pensam sobre o futuro?O que os profissionais de RH pensam sobre o futuro?

Como acontece com qualquer revolução, há um lado positivo e negativo para discutir. Por exemplo, a impressão 3D nos deu próteses avançadas e de baixo custo. No local de trabalho, o impacto também pode ser discutido nos dois sentidos. Enquanto 45% dos gerentes de RH dizem que a IA terá um impacto positivo nas taxas de emprego, 32% esperam um impacto negativo.

(Fonte: Pesquisa de Desenvolvimento da Força de Vendas da Salesforce, maio de 2017).

Mudanças no trabalho causados pela AI

O relatório sobre o Futuro dos Empregos, do Fórum Econômico Mundial, concluiu que 35% das competências básicas serão alteradas entre 2015 e 2020. Sem dúvida, a AI possui o potencial de automatizar determinados trabalhos. Mas muitas vezes somos apresentados a uma falsa escolha entre automação e tarefas. Não é uma situação dicotômica. 

Em uma entrevista recente sobre o futuro do trabalho, Jonathan Reichental, CIO da cidade de Palo Alto, ofereceu este exemplo:

"Se você voltar 100 anos atrás, uma grande parte da nossa sociedade estava trabalhando em uma fazenda, ou trabalhando em uma fábrica. Hoje, dificilmente alguém trabalha nas fazendas - temos máquinas que fazem o trabalho que os humanos costumavam fazer. Nossas fábricas são massivamente automatizadas com tecnologias de produção em massa".

"A automação contínua da sociedade significa que os seres humanos se concentram cada vez mais no trabalho de alto nível."

Zvika Krieger, co-líder do Centro para a Quarta Revolução Industrial do Fórum Econômico Mundial, observa que

"à medida que a IA começa a impactar na força de trabalho, e a automação substitui algumas habilidades existentes, estamos vendo uma necessidade crescente de inteligência emocional e criatividade."

Na verdade, 73% dos gerentes de RH dizem que o pensamento criativo e abstrato se tornará mais importante

(fonte: Pesquisa de força de trabalho e desenvolvimento de força de vendas, maio de 2017).

Como a Inteligência Artificial vai mudar o mercado de trabalho?

 

 

10 profissões que não existiam há uma década

Destacando o ritmo da mudança da força de trabalho, o Fórum Econômico Mundial enfatiza esses 10 trabalhos que não existiam há 10 anos:

  1. Desenvolvedor de aplicações
  2. Gerente de mídias sociais
  3. Motoristas de Uber
  4. Engenheiro de veículo autônomo
  5. Especialista em Cloud Computing
  6. Analista de Big Data / cientista de dados
  7. Gerente de sustentabilidade
  8. Criadores de conteúdo para YouTube
  9. Operadores de drones
  10. Experts em novas gerações de profissionais

Outra estimativa projeta que "65% das crianças que entram na escola primária hoje, acabarão por trabalhar em tipos de trabalho completamente novos, que ainda não estão no nosso radar".

As empresas ainda não tem planos formais

A pesquisa da Bloomberg mostra que, tanto a empresa quanto as universidades, não têm planejamento para formar a futura força de trabalho. Apenas cerca de 50% das empresas e 2/3 das instituições acadêmicas têm um plano formal para abordar o impacto das tecnologias emergentes. Isso é uma falha grave.

Pesquisas da Salesforce mostram que a maioria dos gerentes de RH (68%) acham que os programas de reciclagem formalizados são muito valiosos para os funcionários, mas apenas 46% priorizam esses programas. Outra falha.

O fato de não abordar o desenvolvimento da força de trabalho e a re-qualificação só aumentará a lacuna de habilidades digitais, ameaçando a capacidade da empresa de competir na Quarta Revolução Industrial. 

52% dos líderes de TI já dizem que as lacunas de habilidades são um grande desafio em sua organização. 87% das empresas dizem que as universidades não estão preparando adequadamente os alunos para os empregos de hoje. Apenas 29% das organizações de TI avaliam sua capacidade de acompanhar as tendências tecnológicas como excelentes.

O Fórum Econômico Mundial descobriu que mais de um terço das habilidades essenciais exigidas da força de trabalho até 2020 serão diferentes das atuais. Enquanto isso, os clientes esperam que as empresas forneçam novos produtos e serviços com mais frequencia do que nunca, e é preciso mais do que nunca impressioná-los. 

Para que as empresas cultivem uma cultura inovadora e produzam produtos e serviços inovadores, o treinamento e a reciclagem de funcionários devem estar na vanguarda de sua estratégia de negócios.

Se quisermos nos adaptar à IA, começaremos priorizando os programas de treinamento da força de trabalho. É crucial que estejamos tão empenhados em construir as capacidades dos indivíduos, quanto na construção de capacidades tecnológicas. 

Para o argumento de Krieger, "à medida que o ritmo da mudança tecnológica se acelera, precisamos ter certeza de que os funcionários estão mantendo as habilidades certas para prosperar na Quarta Revolução Industrial".

Afinal de contas, se a força de trabalho evoluiu de operadoras de telefonia para desenvolvedores de aplicativos móveis em 70 anos, imagine o que nos espera nos próximos 50 anos.

Comentários
Carregar comentários
  • PARTICIPE DA NEWSLETTER

    As novidades de tech no seu
    e-mail, inscreva-se grátis ;)