O Google anunciou mudanças significativas para sua plataforma inteligência artificial, e o destaque vai para a transformação do antigo Bard para o novo Gemini. Imagine o Bard como um assistente de conversação, agora repaginado e com uma série de novidades mais inteligentes. Segundo a empresa, o Gemini não é apenas um chatbot, mas um modelo de linguagem multimodal, capaz de lidar com texto, audio ou imagem.

Google lança Gemini e aposenta o Bard

Google rebatiza Bard que agora se chamará Gemini
Google rebatiza Bard que agora se chamará Gemini

Em dezembro de 2023, o programa Gemini foi lançado com três versões: Nano, Pro e Advanced, cada uma com suas habilidades específicas. A versão Advanced, como seu próprio nome indica, é recomendada pelo CEO Sundar Pichai para tarefas avançadas que envolvem raciocínio e colaboração criativa.

Uma novidade importante é a introdução do Google One AI Premium, um plano de assinatura para quem quiser utilizar os serviços. No Brasil, esse plano vai custar R$ 99,99 mensais. Esse plano se destaca por oferecer uma IA generativa avançada, mostrando que o Google está apostando alto na inteligência artificial e disposto a proporcionar uma experiência premium aos usuários.

Gemini, a nova plataforma de IA do Google
Gemini, a nova plataforma de IA do Google

Outra mudança prática é o endereço para acessar o chatbot, que passa de "bard.google.com" para "gemini.google.com". Além disso, o aplicativo dedicado para dispositivos Android requer no mínimo 4 GB de memória RAM e Android 12 para funcionar. Interessante notar que o processamento ocorre na nuvem do Google, proporcionando uma experiência mais eficiente, a menos que você possua o Pixel 8 Pro, o único até agora capaz de rodar a IA diretamente no dispositivo.

A integração do Gemini em serviços essenciais, como e-mail, chatbot e assistente digital, marca uma das transições mais significativas na história do Google, de acordo com a vice-presidente da empresa, Sissie Hsiao. Essa mudança vai além do simples rebatismo; é uma evolução que visa aprimorar a interação e a resposta da IA às necessidades dos usuários.