Golpe do WhatsApp: vítimas agora são pessoas que anunciam produtos em sites de vendas

Golpistas pegam o telefone informado no site de vendas e entram em contato com a vítima alegando ter um problema em sua conta. Confira mais detalhes do golpe, como ele funciona e como se proteger.

Por | @andressaisfer Tecnologia Pular para comentários

Recentemente, o Oficina da Net publicou algumas matérias alertando sobre um golpe no WhatsApp. Agora, os criminosos utilizam a mesma técnica, porém, em outras vítimas: pessoas que realizam vendas pela internet e disponibilizam seu número para contato.

Os criminosos usam esses dados para entrar em contato com a pessoa se passando por representantes dos sites de venda. Eles solicitam um código de verificação do aparelho para a vítima e então conseguem clonar seus aparelhos, extorquindo pessoas próximas da pessoa. 

Sobre o golpe

Primeiramente, os golpistas entram em contato com a vítima por meio do número de telefone disponibilizado nos sites de venda. Eles alegam que há reclamações referentes ao contato do cliente no anúncio e pedem para que confirme seu número, fornecendo um código enviado por SMS.

 Golpistas entram em contato com pessoas que anunciam produtos em sites de venda se passando pelos portais.Golpistas entram em contato com pessoas que anunciam produtos em sites de venda se passando pelos portais.

Enquanto entram em contato com a pessoa, eles pegam outro celular e tentam ativar o WhatsApp com o número da vítima. Isso faz com que chegue um SMS com um código de seis dígitos para ela, que por sua vez pensa ser algo relacionado à mensagem recebida pelo WhatsApp do site de vendas e segue o “passo-a-passo”.

Ao cair no golpe, o criminoso ativa o WhatsApp no aparelho novo e a pessoa é desconectada da sessão – uma vez que o aplicativo não permite que dois dispositivos usem um mesmo número ao mesmo tempo.

Então o golpista ativa a verificação em duas etapas (o que impede a vítima de recuperar sua conta) e envia mensagens para contatos da pessoa pedindo empréstimos.

Como se proteger

O recomendado pelo próprio aplicativo é ativar a verificação em duas etapas. Ela consiste em criar um PIN de seis dígitos e registrar um e-mail. Caso seja necessário ativar o número de celular em outro aparelho, será solicitado esse PIN criado pelo usuário. Além disso, o aplicativo pede com frequência essa senha, verificando constantemente que tudo está sob controle. 

Para se proteger, o WhatsApp recomenda que usuários ativem o código de verificação em duas etapas.Para se proteger, o WhatsApp recomenda que usuários ativem o código de verificação em duas etapas.

 

Providências tomadas pelo WhatsApp

Após denúncias recorrentes desse golpe, o WhatsApp modificou o SMS enviado às pessoas na hora de autenticar suas contas. Agora, ela tem os dizeres “não compartilhe este código”, reforçando que ele deve ser usado somente pelo dono do aparelho e da linha.

siga Oficina da Net no Instagram