Hackers usam malware criado pela NSA, dos EUA, para sequestrar PCs

Segundo o jornal The New York Times, algumas cidades dos EUA vem sofrendo ataques de hackers onde é exigido um pagamento da criptomoeda bitcoin para liberar a máquina do vírus.

Por | @Vitor_Valeri Tecnologia Pular para comentários

Segundo o jornal The New York Times, algumas cidades dos EUA vem sofrendo ataques de hackers onde é exigido um pagamento da criptomoeda bitcoin para liberar a máquina do vírus.

Um exploit, que acreditam ter sido criado pela Agência Nacional de Segurança (NSA) dos EUA, vem sendo utilizado para realizar ataques a diversas máquinas pelo país.

De forma irônica, o software tem infectado computadores na cidade sede da NSA, Baltimore. Além de outras cidades como San Antonio no Texas e Allentown na Pensilvânia. Segundo especialistas, os criminosos estão usando a aplicação EternalBlue que encontra vulnerabilidades em computadores que possuem o sistema operacional Windows Vista e Windows XP. A Microsoft ja disponibilizou uma atualização que elimina a falha de segurança, no entanto para que funcione é necessário que o usuário a instale (ou esteja com a configuração para atualizar automaticamente o Windows).

O software utilizado para o ataque se utiliza de um ransomware que trava a máquina e pede em troca 3 bitcoins para destravar a máquina ou 13 bitcoins (R$460 mil) para desativar o vírus. Os cidadãos de Baltimore que sofreram o ataque denunciaram o caso ao FBI, porém, até o momento não conseguiram quebrar a criptografia e nem achar os responsáveis pelo ataque.

Aviso da prefeitura da BaltimoreAviso da prefeitura da Baltimore

A prefeitura da cidade decidiu desativar alguns serviços do município como contas de e-mail, cobrança online da distribuição de água, banco de dados dos estacionamentos públicos entre outros serviços. Bernard Young, prefeito de Baltimore emitiu um comunicado dizendo para os cidadãos atacados não cederem à chantagem, que isso só daria mais poder ainda para os hackers e ainda sim não garantiria a liberação dos computadores.

siga Oficina da Net no Instagram