Alasca se conectará ao restante dos EUA por meio de rede de fibra optica com velocidade de 100 terabits por segundo

O Alaska Canada Overland Network terá investimento da empresa MTA e apoio do Canadá. Atualmente o Alasca tem, em média, uma das conexões a internet mais lentas dos EUA, principalmente por causa da distância do restante do país.

Por | @andressaisfer Tecnologia Pular para comentários

A MTA Fiber Holdins anunciou na última quarta-feira (01) que vai construir a “primeira e única rede terrestre de fibra optica” conectando o Alasca ao restante dos Estados Unidos. A iniciativa se deu após residentes do Alasca reclamarem sobre a falta de acesso à internet.

Atualmente, a grande maioria das conexões do estado com a internet global são feitas por meio de cabos submarinos, satélites ou conexões sem fio. Isso faz com que a conectividade seja lenta e complicada, inviabilizando atividades como assistir vídeos em boa qualidade. 

A construção começará no Polo Norte, no Alasca, viajará pelo Canadá - onde se conectará com transportadoras canadenses - e, por fim, se conectará com “qualquer grande polo” nos Estados Unidos. Os canadenses cooperam com o projeto uma vez que sofreram com o mesmo problema: a diferença de conectividade entre o norte e o sul do país.

Assim, a MTA está usando parte da rede já construída pelo Canadá e fornecendo dinheiro para provedores desenvolverem a fibra pela distância que ainda falta. Isso sem qualquer envolvimento do governo. 

“Estamos rodando ao longo da rodovia Alasca-Canadá, que está bem conservada. Não é tão desafiador tecnicamente e não é tão difícil quanto em lugares em que não há estradas” disse o CEO da MTA, Michael Burke.

Alasca e restante dos Estados Unidos serão ligados por uma rede de fibra optica.Alasca e restante dos Estados Unidos serão ligados por uma rede de fibra optica.

Essa nova rede de fibra ótica terá capacidade inicial de 100 terabits por segundo. A MTA, no entanto, afirmou que essa velocidade pode aumentar conforme a tecnologia evolui.

As construções já tiveram início e, apesar de não possuírem data exata, devem terminar em 2020.

Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal